A Ficção científica (ou sci-fi) é um gênero que normalmente lida com conceitos especulativos e imaginativos, ou seja, coisas relacionados principalmente com o futuro, que envolvem ciência e tecnologia. Gosto desse gênero porque ele nos permite refletir sobre a sociedade. 

Acredito que seja uma excelente forma de te fazer pensar fora da caixinha. As histórias fazem com que você enxergue as coisas por outra perspectiva, além de pressupor as mudanças que nosso mundo poderá sofrer. E por falar em modificações, hoje eu quero conversar sobre um subgênero que não é novidade, mas está se mostrando cada vez mais presente na literatura.Vocês conhecem a ficção climática?

FICÇÃO CLIMÁTICA OU CLI-FI

Como eu mencionei, ficção climática não é um sub-gênero novo. Tanto que nos últimos anos de carreira do Asimov ele mostrou que estava descrente quanto ao rumo que a humanidade estava tomando. Os primeiros romances de ficção climática mostravam como os homens exploravam a natureza e todos os seus recursos.

Ambientes inabitáveis e destruições ambientais são os protagonistas desse subgênero. Gosto de livros assim, pois sinto que o autor consegue dar um tom mais humano para os gráficos científicos. Dá para ter um pequena ideia de como será o futuro com o aquecimento global. E mesmo sendo uma ficção, é possível considerar diferentes possibilidades e imaginar como elas afetariam diretamente a nossa vida. Vamos lã?

1 – Os seis finalistas

Sinopse: Mudanças climáticas tornam nosso planeta inabitável, as grandes cidades do mundo estão debaixo d’água. Num último esforço para encontrar um novo lar para a humanidade, a Missão Especial mais audaciosa da história é lançada: a colonização de Europa, uma das luas de Júpiter. 


Agora, no Centro de Treinamento Espacial Internacional (CTEI), 24 adolescentes brilhantes foram recrutados e se preparam para disputar seis vagas na equipe que deixará para sempre a Terra carregando o futuro da raça humana.
Leo, um nadador italiano profissional, não vê a hora de encarar esse desafio, depois de perder a família inteira numa inundação. Já Naomi, uma americana de ascendência iraniana – e gênio da ciência -, tem muitas suspeitas com relação ao CTEI, após uma missão semelhante falhar em circunstâncias misteriosas. 
Na medida em que o treinamento testa os limites de cada um e a tensão aumenta entre os astronautas, a amizade dos dois se torna essencial para enfrentarem o que está em jogo: a humanidade, a Terra e suas vidas.

2- A Faca de Água

Sinopse: Num futuro árido e tumultuado, em que a água ganhou o status de commodity mais valiosa; o direito de uso das fontes e dos rios é alvo de disputas ferrenhas. Uma guerra entre governos, órgãos públicos e empresários, na qual vale tudo.
Enquanto advogados e burocratas armam-se com infinitos processos judiciais; mercenários e militares subjugam proprietários de terra, implodem estações de tratamento e interrompem o abastecimento de regiões inteiras.
Nesse cenário surge Angel, um faca de água, um dos muitos mercenários; com a missão de cortar e desviar o fornecimento de água a mando de quem paga mais.


Lucy é uma jornalista premiada que decidiu revelar para o mundo a realidade da Grande Seca. Maria é uma jovem cuja vida foi destruída pelos efeitos das mudanças climáticas. Quando o direito de usar a água significa dinheiro para alguns e sobrevivência para outros. O que esses três personagens não sabem é que seu encontro é um marco que poderá mudar tudo. Um novo fiel da balança que sempre pendeu para o mesmo lado.
Futurista, mas nada improvável, Faca de Água é um thriller que perpassa por questões econômicas, ambientais e éticas. Numa narrativa que extrapola o gênero, daquelas que se lê de uma tacada só; e depois leva-se um longo tempo assimilando.

3 – A Estrada

Sinopse: “The Road”. Num futuro não muito distante, o planeta encontra-se totalmente devastado. As cidades foram transformadas em ruínas e pó; as florestas se transformaram em cinzas, os céus ficaram turvos com a fuligem e os mares se tornaram estéreis. Os poucos sobreviventes vagam em bandos.


Um homem e seu filho não possuem praticamente nada. Apenas alguns cobertores, um carrinho de compras com poucos alimentos; e um revólver com algumas balas, para se defender de grupos de assassinos. Estão em farrapos e com os rostos cobertos por panos para se proteger da fuligem que preenche o ar e recobre a paisagem. Eles buscam a salvação e tentam fugir do frio, sem saber, no entanto, o que encontrarão no final da viagem. Essa jornada é a única coisa que pode mantê-los unidos; que pode lhes dar um pouco de força para continuar a sobreviver.

Bom, estes foram os 3 que me chamaram a atenção e me fizeram ver o mundo com olhos de maior cuidado. O que temos feito pelo planeta e seus ambientes? Me parece que estamos aos poucos tentando nos matar, ao mesmo tempo em que destruímos as condições que permitem que haja vida no mundo. Concluindo, estes romances não fogem tanto assim de um possível cenário real, o qual já é estudado e previsto pelos cientistas. Precisamos começar a mudar nossa visão de mundo.