Maternidade


Tentando lidar com a solidão Materna

Vamos falar de solidão materna? Quando descobri que estava grávida, fiquei super animada com a ideia de ter um bebê. Era incrível ver as pessoas ao meu redor demonstrando interesse pela criança. No entanto, não demorou muito para perder a paciência, pois todas as perguntas eram direcionadas apenas para o bebê, como se eu, a futura mãe, fosse apenas uma espectadora nesse processo.

Durante a gravidez, todo mundo só falava sobre o desenvolvimento do bebê, os preparativos para o quarto e os planos para a chegada. Enquanto todos discutiam as expectativas para a nova vida que estava a caminho, muitas vezes me sentia meio excluída dessas conversas. Uma solidão começou a aparecer, não porque as pessoas não me amavam ou apoiavam, mas porque parecia que a minha própria jornada estava ficando meio apagada.

Solidão materna não é só estar fisicamente sozinha; é um sentimento profundo de não se conectar emocionalmente. Muitas vezes, as conversas eram só sobre coisas de bebê, tipo fraldas, horários de alimentação e marcos de desenvolvimento. E, apesar de tudo isso ser importante, eu queria poder falar sobre mim mesma – minhas paixões, meus interesses, minhas dúvidas e até minhas inseguranças.

Tentando lidar com a solidão Materna

Lidando com a Solidão Materna: Reconectando com Minha Própria Jornada

Logo percebi que, na tentativa de ser a melhor mãe possível, acabei deixando de lado partes importantes de quem eu sou. Os hobbies que eu amava foram trocados por uma rotina totalmente focada na minha filha. A solidão vinha da dificuldade de conversar sobre algo que não fosse relacionado à maternidade, como se a minha identidade estivesse sendo apagada pelo papel de mãe.

Olhando para frente, estou ansiosa por momentos em que eu possa retomar algumas das coisas que eu amo. Mas mais do que isso, espero por conversas que vão além de fraldas e mamadeiras, onde eu possa compartilhar minhas próprias experiências, desafios e vitórias. Porque ser mãe não significa abrir mão de quem eu sou; é encontrar um equilíbrio que enriqueça a minha vida e a da minha filha.

A solidão materna é complicada e tem muitos aspectos. É importante entender que, mesmo com muito amor e apoio, uma mãe pode se sentir isolada em sua jornada. Criar espaços para conversas sinceras, que abordem as diferentes partes da maternidade, é um passo importante para combater essa solidão.

Como mães, merecemos mais do que só ficar observando a vida dos nossos filhos. Merecemos ser participantes ativas, capazes de compartilhar nossas histórias, alegrias e desafios. A solidão materna pode ser difícil, mas ao compartilhar nossas experiências, construímos uma comunidade que realmente apoia e compreende as complexidades da maternidade.

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

    ir ao topo

    Buscar no site

    plugins premium WordPress
    5 lições que aprendi no meu puerpério até agora Ritual de Leitura A canção de Aquiles: 5 motivos para ler Conheça a Quanti Café