Escolhas em Jogo


Kind Words – um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

One kind word can change someone’s entire day

Vamos conversar sobre Kind Words? Sem empatia, sobra intolerância e violência. Vivemos em um época em que a falta de entendimento entre as pessoas é completamente desconfortável. Vemos o discurso de que devemos ser empáticos e nos colocar no lugar do próximo, mas a cada dia que passa surgem mais discursos de ódio e incompreensão pelas redes sociais.

Mas o que é empatia? De uma forma simples e resumida: é a habilidade de sentir e entender o que outra pessoa está passando e consequentemente compreender as suas atitudes. Mas só de reconhecer que existem outras realidades e que cada um vive a verdade que cria para si, de acordo com os seus valores, já é um grande passo.

Kind Words é um dos jogos mais diferentes que eu já joguei. Sua premissa é simples: escrever cartas para desconhecidos enquanto ouvimos uma música relaxante. Ao entrar na plataforma pela primeira vez, somos guiados por um cervo. Ele pede para que você escreva uma mensagem sobre algo que te incomoda. Essa carta será enviada para a comunidade (para os outros verem) de forma anônima. Além de manter o seu sigilo, isso ajuda na segurança da comunidade.

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

Compartilhando suas angústias com um desconhecido

Nesse jogo você fará aquilo que a sua mãe pediu para nunca fazer: conversar com estranhos. Pode parecer irresponsável, mas o hábito de conversar com desconhecidos facilita enxergar a humanidade no outro. Há alguns anos atrás, li um artigo na revista Galileu que fala justamente sobre isso: Falar com estranhos te deixa mais feliz.

Mas voltando para o Kind Words, em um período onde algumas comunidades de jogos se aproveitam do anonimato para destilar ódio gratuito, o desenvolvedor Popcannibal nos lembra que é possível sermos bons uns com os outros. Ele mostra o que a internet deveria ser: um local para nos ajudarmos.

E qual o melhor lugar para fazermos isso, do que nosso quarto? Em Kind Words, o seu personagem está em um quarto, sentado em uma escrivaninha, ouvindo uma música relaxante e escrevendo cartas. Você começa em um quarto simples, sem nenhuma decoração e aos poucos vai ganhando enfeites e acessórios para decorá-lo.

O que devo escrever em Kind Words?

Aquilo que te incomoda. Você pode enviar uma carta e esperar a resposta de outros jogadores ou pode receber um pedido de ajuda. Na carta você pode colocar aquilo que te aborrece. Está com problemas no relacionamento? Dificuldades no trabalho? Quer saber como outras pessoas lidam com a ansiedade? Entretanto se você precisar e achar necessário, também pode falar sobre aleatoriedades como: pedir uma receita, indicação de séries, recomendação de música. Em Kind Word você é livre para escrever o que quiser – respeitando o próximo, claro – e de uma forma anônima.

Minha experiência com o jogo

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

Achei outra utilidade para usar o Kind Words: treinar o meu inglês. Infelizmente as cartas estão nesse idioma. Você até pode escrever em português, mas pode ser que a resposta demore para chegar já que na plataforma existem jogadores do mundo todo.

Bom, a maioria das cartas que eu recebi, foram de jogadores que enfrentam grandes dificuldades, Um estava inseguro e não sabia se devia pedir a mão da namorada em casamento; outro estava insatisfeito com a sua aparência. Também tem várias pessoas que precisam encontrar uma motivação para sair da cama e há várias mensagens de pessoas solitárias.

Cada um com a sua dificuldade, contudo todos procurando uma mensagem de apoio. Essas mensagens são monitoradas e é possível denunciar caso apareça alguma pessoa tóxica. Felizmente não encontrei nenhuma mensagem inapropriada nas horas em que joguei, porém não sei afirmar se todos os jogadores tiveram essa sorte. Mas o próprio jogo orienta sobre a necessidade de procurar ajuda profissional.

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

Vale a pena jogar?

Sem dúvidas! A ideia é original e achei uma excelente forma para estimular a empatia entre estranhos online. É claro que para manter essa visibilidade e atrair novos jogadores, é preciso que a moderação seja constante para evitar aquelas pessoas que queiram estragar a rede.

E se você quer aprender a desenvolver a sua empatia, essa ferramenta é excelente para aprender na prática. Você só não pode se esquecer de observar e dar espaço para sensibilidade na hora de escrever a sua mensagem. Veja o trailer e compre o jogo aqui.

5 livros que trabalham e estimulam a empatia

Extraordinário – R. J. Palacio

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma sindrome genetica cuja sequela e uma severa deformidade facial, que lhe impos diversas cirurgias e complicacoes medicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade… ate agora. Todo mundo sabe que e dificil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tao diferente.

Prestes a comecar o quinto ano em um colegio particular de Nova York, Auggie tem uma missao nada facil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparencia incomum, ele e um menino igual a todos os outros.

R. J. Palacio criou uma historia edificante, repleta de amor e esperanca, em que um grupo de pessoas luta para espalhar compaixao, aceitacao e gentileza. Narrado da perspectiva de Auggie e tambem de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraidos, Extraordinario consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, familia, amigos e comunidade um impacto forte, comovente e, sem duvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo o tipo de leitor.

Pollyanna – Eleanor H. Porter

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

A pequena cidade de Beldingsville, no interior dos Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma garotinha órfã de 11 anos que ficou aos cuidados da tia rica, a irritadiça e intransigente senhora Polly Harrington.


Com sua extraordinária visão de mundo, a encantadora menina conquista os habitantes da cidadezinha e ensina a todos o seu incrível “jogo do contente”, um jogo capaz de transformar vidas e modificar destinos.
Publicada como livro em 1913, a história da alegre e corajosa menina se tornou um clássico da literatura infantojuvenil e vem cativando diferentes gerações de leitores com sua poderosa mensagem de otimismo e superação das dificuldades. É impossível não se encantar com Pollyanna, um exemplo inesquecível de amor, amizade e de como ver sempre o lado bom da vida.

Anne de Green Gables – L. M. Montgomery

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

Quando os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert, de Green Gables, na Prince Edward Island, no Canadá, decidem adotar um órfão para ajudá-los nos trabalhos da fazenda, não estão preparados para o “erro” que mudará suas vidas: Anne Shirley, uma menina ruiva de 11 anos, acaba sendo enviada, por engano, pelo orfanato.

Apesar do acontecimento inesperado, a natureza expansiva, sempre de bem com a vida, a curiosidade, a imaginação peculiar e a tagarelice da menina conquistam rapidamente os relutantes pais adotivos. O espírito combativo e questionador de Anne logo atrai o interesse das pessoas do lugar – e muitos problemas também.

Em algum lugar das estrelas – Clare Vanderpool

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker.

A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai… bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho.

Jack é então levado para um internato no Maine (o mesmo estado onde vivem Stephen King e boa parte de seus personagens). O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden.

Quando chegam as festas de fim de ano, a escola fica vazia. Todos os alunos voltam paracasa, para celebrar com suas famílias. Todos, menos Jack e Early. Os dois aproveitam a solidão involuntária e partem em uma jornada ao encontro do lendário Urso Apalache. Nessa grande aventura, vão encontrar piratas, seres fantásticos e até, quem sabe, uma maneira de trazer os mortos de volta ainda que talvez do que Jack mais precise seja aprender a deixá-los em paz.

Passarinha – Kathryn Erskine

Kind Words - um jogo que te ajuda a desenvolver a empatia na prática

No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso.


Ela quer ajudar o pai – a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido.


Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam.


Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Você já conhecia Kind Words? O que achou da proposta do jogo?

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Escolhas em Jogo

    Gris – um jogo sobre como enfrentar os nossos medos e encontrar a nossa voz

    Por

  • Comportamento

    Jogando Life Is Strange pela segunda vez e fazendo as mesmas escolhas

    Por

comentários

  • Mara Santos

    Oiii,

    Não conhecia esse jogo, mas posso te dizer que amei demais a premissa dele, sou péssima em inglês, mas isso não seria um impedimento para participar, acho que até me ajudaria e muito. Amei a dica de verdade!
    Quanto aos livros sobre empatia, só não li Em algum lugar das estrelas e já adicionei ele na minha lista, já que amei os outros, acho que vou curtir ele também!

    responder
  • Karoline Gonçalves

    Oi Clayci
    Que post mega interessante. Eu amei. Não sabia sobre essa rede que podemos conhecer e desabafar com novas e estranhas pessoas.
    Confesso que quis tentar e experimentar essa Vivencia.

    Amei tbm as indicações de leituras com empatia e amor, amo Anne de Green Gables e Polianna.

    Amei o post

    responder
  • Debyh

    Olá,
    Que interessante o jogo. Eu acho que eu não teria problemas em escrever para um estranho porque meus melhores amigos mesmo depois de anos apareceram por conta de um forum de internet, e outros por chat de conversa, nunca tive esse problema. Achei interessante ter vários assuntos mesmo que o principal seja a empatia eu acredito que conversar sobre assuntos aleatórios sempre ajuda.

    responder
  • CRIS

    Oi Clayci!
    Adorei o jogo, gostaria de ter tempo de entrar e participar, mas quem sabe mais a frente. Pessoas anônimas ajudando ou dando conselhos umas as outras é muito interessante, principalmente se não conseguimos desabafar com amigos e familiares.
    Li alguns desses livros que postou Extraordinário que amo muito, Em algum lugar nas estrelas e Pollyanna, quero muito ler a Passarinha já ouvi falar dele, parabéns pelo post e obrigado pelas dicas. Bjs!

    responder
  • Aline Coelho

    Nossa que interessante. Não conhecia esse jogo mas achei a permissa dele inspiradora pq estimula as pessoas a expressar seus sentimentos e te tar entender o dos outros. E os livros citados são bem conhecidos e já li alguns, eles realmente mudam mesmo nossa forma de ver as coisas. Enfim valeu pelas dicas.

    responder
  • Alisson Gomes

    Oi Clayci,
    eu sinceramente adorei toda a proposta do jogo, as vezes a gente só precisa desabafar um pouco para diminuir toda a carga que nos carregamos nessa vida não é mesmo? Vou dar uma olhadinha depois e ver se eu gosto e participo também do jogo. Sobre os livros que você indicou ainda não li nenhum deles, mas conheço a maioria deles.

    Beijos!
    Eita Já Li

    responder
Mais comentários
1 2

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Escolhas em Jogo

    Gris – um jogo sobre como enfrentar os nossos medos e encontrar a nossa voz

    Por

  • Comportamento

    Jogando Life Is Strange pela segunda vez e fazendo as mesmas escolhas

    Por

ir ao topo

Buscar no site