Um lugar bem longe daqui tem tanto para nos ensinar

por Clayci
0 comentário

Como leitora, já tive o prazer de conhecer e viajar por vários universos; da mesma forma que já encontrei todo tipo de personagens. Mas foram poucos os que me conquistaram da mesma maneira como a que a pequena Kya Clark.

Quando soube que a produtora de Reese Whiterspoon iria transformar “Um lugar bem longe daqui” em filme, fiquei bem animada. Então, dei um jeitinho de encaixar essa leitura e finalmente vim compartilhar o que achei sobre a história.

Quanto se está disposto a oferecer para vencer a solidão?

Um lugar bem longe daqui

Um lugar bem longe daqui

Esse livro traz uma história sobre resistência, determinação, sobrevivência, perda, solidão, preconceito e amor. Sim, no meio de tanto sofrimento é possível encontrar uma mensagem de esperança e amor. Kya Clark foi desamparada e negligenciada de todas as formas possíveis. A jovem foi abandonada pelos seus pais, irmãos e a cidade vizinha em que morava. Ela cresceu se escondendo de todos e ficou conhecida como a “menina do brejo”. Os moradores a olhavam com desprezo. Desde cedo, Kya sofreu traumas e foi julgada, ridicularizada e intimidada por aqueles que deveriam acolhê-la. Mas como eu disse ali em cima, apesar de todo o sofrimento, existiam pessoas boas que cruzaram o seu caminho.

Um lugar bem longe daqui tem tanto para nos ensinar

No início da história somos apresentados a Kya e logo de cara sentimos a sua angústia. Aos seis anos, fora abandonada pela mãe e os irmãos mais velhos; a pequena teve que conviver com um pai alcoólatra e violento por mais alguns anos. Entretanto, apesar de viver com os maus-tratos do pai, a jovem sentia que era a sua única companhia e tentava agradá-lo. No começo, até que deu certo, chegou a ensiná-la a pescar; mas ele também foi embora e a deixou sozinha em uma casa caindo aos pedaços. Kya ficou desamparada, sem mantimentos e roupas. Não fazia ideia de como iria sobreviver, todavia não queria deixar o pântano que sempre a acolheu. Foi então que uma ideia surgiu em sua cabeça: começou a catar mariscos na paria e a fazer peixes defumados para trocar por gasolina (para o motor do seu barco) e alguns mantimentos.

Kya teve que aprender a lidar com a solidão desde cedo

Ela fazia essas vendas na loja de Pulinho. Ele e sua esposa sabiam que Kya estava sozinha e mesmo de longe tentavam ajudá-la com doações. E assim vamos acompanhando o seu crescimento e amadurecimento. Kya conhecia todos os cantos do pântano e a natureza foi sua mãe. A jovem até tentou ir para a escola, mas foi ridicularizada logo no primeiro dia e desistiu. Passava os dias se escondendo da assistência social até desistirem dela.

Além de Pulinho e Mabel, surgiu outra pessoa em sua vida: Tate. Era amigo do seu irmão e mesmo não tendo mais contato com ele, a ajudou a ler e a escrever. No decorrer da história, conforme Kya vai amadurecendo, iremos conhecer seus dois relacionamentos amorosos. Desde cedo, da forma mais cruel, a jovem aprendeu a lidar com o abandono e por isso tem medo de confiar em alguém e aquela pessoa deixá-la.

Um lugar bem longe daqui tem tanto para nos ensinar

Os capítulos são intercalados entre o crescimento e amadurecimento de Kya; e um assassinato que ocorreu anos mais tarde, envolvendo uma pessoa que se relacionou com ela. Delia Owens fora delicada e descreveu com perfeição a sinergia de Kya com o pântano; além da sua essência e personalidade, as quais adquiriu por meio do conhecimento sobre os insetos, aves e a sua arte.

Ansiosa pelo filme

Confesso que não consegui me sentir atraída pelo assassinato. Eu queria saber quem cometeu o crime. Só que notei que algumas cenas não foram realistas e não gostei da forma com que o julgamento foi conduzido. Kya foi negligenciada de todos os jeitos e só queria ficar sozinha para não se machucar ainda mais.

A vida a havia transformado numa especialista em esmagar sentimentos até que ficassem de um tamanho possível de guardar.

Um lugar bem longe daqui.

No entanto, chorei e muito, com o final. A autora criou personagens maravilhosos e com várias camadas. Ver a relação de Kya com o ambiente em que cresceu, a forma com que lidou com o trauma da perda e da solidão, foi marcante e em certos pontos pude me enxergar em sua pele. Eu comecei a leitura com o coração partido e terminei com ele esmagado. É um livro que entrou para a minha lista de favoritos e que irei panfletar com frequência. Já leram?

Um lugar bem longe daqui Book Cover Um lugar bem longe daqui
Delia Owens
Intrínseca
336

Sinopse: Por anos, boatos sobre Kya Clark, a “Menina do Brejo”, assombraram Barkley Cove, uma calma cidade costeira da Carolina do Norte. Ela, no entanto, não é o que todos dizem. Sensata e inteligente, Kya sobreviveu por anos sozinha no pântano que chama de lar, tendo as gaivotas como amigas e a areia como professora. Abandonada pela mãe, que não conseguiu suportar o marido abusivo e alcoólatra, e depois pelos irmãos, a menina viveu algum tempo na companhia negligente e por vezes brutal do pai, que acabou também por deixá-la.

Anos depois, quando dois jovens da cidade ficam intrigados com sua beleza selvagem, Kya se permite experimentar uma nova vida — até que o impensável acontece e um deles é encontrado morto.

Ao mesmo tempo uma ode à natureza, um emocionante romance de formação e uma surpreendente história de mistério, Um Lugar Bem Longe Daqui relembra que somos moldados pela criança que fomos um dia e que estamos todos sujeitos à beleza e à violência dos segredos que a natureza guarda.

Você também poderá gostar:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar

Privacidade