Vitorianas Macabras – A voz feminina na era Vitoriana

por Clayci
9 comentários 68 visualizações

Vitorianas Macabras é um lançamento do novo selo Macabra, da Darkside Books. O livro é uma antologia organizada pela Marcia Heloísa – doutora em Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense (UFF) – e traz 13 histórias de terror e suspense, escritas por autoras Vitorianas. Logo nas primeiras páginas, encontramos uma introdução maravilhosa da própria Marcia, falando um pouquinho sobre o projeto e este período histórico. As autoras reunidas nesta antologia são: Charlotte Riddel, Louisa Baldwin, Edith Nesbit, Violet Hunt, Amelia B. Edwards, Charlotte Bronte, Elizabeth Gaskell, Mary Elizabeth Braddon, Margareth Oliphant, Rhoda Broughton, H.D Everett, Vernon Lee e May Sinclair,.

Era Vitoriana foi o período do reinado da rainha Vitória, entre junho de 1838 a janeiro de 1901. Apesar desse período trazer prosperidade para o povo britânico, ele ficou marcado pelo seu conservadorismo. Existiam algumas normas comportamentais que precisavam ser seguidas à risca pelos cidadãos ingleses durante a Era Vitoriana. Desde a forma de se vestir até ao modo de falar e interagir socialmente. Mas este reinado trouxe lucros com a expansão e domínio do Império Britânico. Da mesma forma que teve o surgimento de novas invenções. Então, se por uma lado esse período ficou marcado por rígidos costumes, do outro surgiu a modernização na ciência e economia.

Nenhuma estrela que se vê
É um astro perdido
Sempre podemos vir a ser
O que poderíamos ter sido

Adelaide Anne Procter
Vitorianas Macabras - A voz feminina na era Vitoriana

Mulheres Vitoriosas

Vou falar um pouquinho dos contos que eu mais gostei. O primeiro é da Charlotte Riddel e se chama “A porta sinistra“. Essa história é sobre uma porta que não fecha. Você pode tentar trancá-la, mas ao dar as costas ela abrirá novamente. O jovem Phill, pensando na recompensa, se oferece para ficar nessa casal mal assombrada e resolver este problema. Será que ele vai conseguir?

Já no segundo conto, da autora Louisa Baldwi, teremos que desvendar “O mistério do Elevador”. Nessa história vamos conhecer o relato de um ascensorista do Empire Hotel. Ele serviu o exército e quando finalmente foi dispensado, conseguiu esse emprego na Bath Street. Por transportar vários hóspedes diariamente é comum criar afinidade com alguns deles. Mas esse ascensorista teve uma experiência sobrenatural que acredito ter assutado muitos naquela época.

E por falar em morte…

Um dos meus contos favoritos foi “Mortos em Mármore” da autora Edith Nesbit. Quando um jovem casal se muda para uma cabana em uma vila tranquila, acreditavam que teriam uma vida sossegada. O marido decidiu contratar uma empregada para ajudar na rotina da casa, mas estranhou quando a mesma pediu demissão. Há uma superstição rondando aquela cabana e boatos dizem que as estátuas de mármore, que ficam na igreja local, ganham vida todos os anos na véspera de Todos os Santos. Será que o casal corre perigo? Gostei da forma com que a autora desenvolveu essa história e fiquei feliz quando descobri que a J.K Rowling a tem como inspiração.

Outro conto que entrou para a minha lista de favoritos foi A Sombra da Morte, da autora Mary Elizabeth Braddon. Nessa história, uma tragédia deixou uma mancha existencial em um quarto antigo. Uma jovem empregada foi forçada a se hospedar e aguentar as noites sombrias naquele quarto. Será que alguém irá ajudá-la? Essa história foi bem sombria e fiquei angustiada com a mensagem transmitida.

Um pouco mais sobre a Rainha Vitória

Além dos contos, há um material bem interessante no final do livro. Temos uma pequena biografia da rainha do Reino Unido e também um pouquinho da História dessa época. Vamos ver uma Londres obscura, com atrações que faziam sucesso e locais sombrios que mais tarde serviram de inspirações para obras aclamadas. Histórias conhecidas como Whitechapel em meados de 1888, onde um assassino conhecido como Jack, o Estripador, fizera algumas vítimas. Assassinas de bebês, hospícios, casa de ópio e também casas de crueldade.

Vitorianas Macabras - A voz feminina na era Vitoriana

Essa edição reúne pôsteres de filmes que retratam esse período Vitoriano (fiquei feliz em ver alguns filmes que adoro nessa seleção). E ainda tem um álbum incrível com algumas fotos da época. Sem dúvidas, Vitorianas Macabras se tornou um dos livros mais bonitos da minha estante.

Vitorianos Macabras Book Cover Vitorianos Macabras
Marcia Heloisa
Darkside Books

Para enaltecer as mulheres ilustres que prestaram uma contribuição formidável à literatura — e reparar a injustiça histórica que por séculos reverenciou apenas os homens —, a DarkSide® Books e a Macabra Filmes orgulhosamente apresentam a antologia Vitorianas Macabras. Organizada em parceria com Marcia Heloisa — doutora em Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense (uff), também responsável pela tradução e já conhecida pelos darksiders por seu exímio trabalho com Bram Stoker e Edgar Allan Poe, na linha Medo Clássico —, a coletânea apresenta treze histórias escritas por autoras que, assim como nós, foram cativadas pelo medo e por tudo aquilo que é sobrenatural.

Verdadeiramente assustadoras, as histórias desta antologia foram ecoadas em contos e romances publicados nos séculos seguintes, uma proeza e influência que apenas as tramas mais poderosas poderiam conseguir. Aqui, o medo se manifesta de diversas maneiras, todas elas terríveis, impressionantes… e difíceis de esquecer. Não vamos contar todos os segredos, mas aqui vai um gostinho do que está por vir: “A Prece”, de Violet Hunt, é uma espécie de avô de Cemitério Maldito; o perturbador “Onde o Fogo Não se Apaga”, de May Sinclair, reproduz a tensão dos slashers com a profundidade do terror psicológico; “O Conto da Velha Ama”, de Elizabeth Gaskell, e “O Mistério do Elevador”, de Louisa Baldwin, apresentam fantasmas memoráveis; já em “A Janela da Biblioteca”, Margaret Oliphant traz um ensaio melancólico sobre o fantasma da solidão.

Compre Vitorianas Macabras pelo meu link na Amazon e ajude o blog.

Você também poderá gostar

9 comentários

Isabelle Brum E Silva 24 de março de 2020 - 10:47

Uau, Clayci, que livro SENSACIONAL *0*
Não sei se fico mais empolgada com o fato da seleção ter sido feita por uma doutora em Literatura ou pelas histórias selecionadas *-* Já quero ler!!!
E dona DarkSide sempre arrasando nas suas edições, né?! *-*
Beijinhos, obrigada pela dica de leitura e boa semana <3

resposta
Bianca Ribeiro 23 de março de 2020 - 13:04

Esse selo da Macabra me chamou muito a atenção desde o lançamento, vejo bastante gente falando bem dos livros, mas devo manter a opinião de que CrimeScene é meu favorito!
Interessante os temas falados nesse livro, acho que eu nunca li algo sobre mulheres que se passe no periodo vitoriano, com toda certeza seria uma leitura incrivel!
Ai, amei suas fotos, muito perfeitas!

resposta
Clayci 23 de março de 2020 - 15:50

Muito obrigada! Esse livro está impecável

resposta
Larissa Dutra 22 de março de 2020 - 20:45

Olá, tudo bem? Eita, que edição mais linda (normal da caveirinha, né, rsrs)! Não conhecia essa antologia ainda, mas fiquei bem curiosa para ler, principalmente o conto “A sombra da morte”. Amei a resenha e as fotos!

Beijos,
Duas Livreiras

resposta
Kênia Cândido 22 de março de 2020 - 19:00

Oi Clayci.

Estou louca para adquirir este livro para minha coleção da Darkside e sua resenha é a segunda que leio. Confesso que aumentou minha curiosidade para conhecer os contos porque a edição já me conquistou completamente. Parabéns pela resenha e obrigada pela dica.

Bjos

resposta
Clayci 23 de março de 2020 - 15:51

Fico feliz que tenha gostado <3

resposta
Cibele 22 de março de 2020 - 18:19

Ah, que máximo esse livro! Eu já tinha visto a capa circular pelas redes sociais, mas nunca soube certinho do que a obra se tratava.
Gosto muito do gênero e da editora, e adorei saber que são vários contos reunidos. Gostei bastante de saber um pouco dos que você mais gostou, me interessei bastante pela “A porta sinistra” e “Mortos em mármore”.
Com certeza anotarei sua dica para adquirir assim que der.
Beijos!

resposta
Luana Souza 21 de março de 2020 - 17:08

Comentei num outro post que estou muito curiosa para ler livro. Desde que a DarkSide mostrou a capa eu fiquei ansiosa e, agora, depois da sua resenha, eu fiquei com ainda mais vontade de ler <3 Acho tão importante e incrível resgatar vozes que, em sua época, não tiveram tanto espaço!
Ah, suas fotos ficaram perfeitas. As luvinhas de renda, aaaa que lindas *-*

resposta
Michelle 21 de março de 2020 - 11:32

Que post, que obra incrível! Adorei conhecer o livro pelo seu olhar, as fotos ficaram maravilhosas, a única coisa que me entristece é o preço, mais uma para minha lista de desejos! 🙂

resposta

Deixe um comentário