A espera finalmente acabou. Stranger Things 3 está no catálogo da Netflix desde o último dia 4. A terceira temporada da série que se tornou sensação em todo o mundo com sua ambientação anos 80 está de volta. E mais uma vez temos uma trama bem construída em meio a subtramas que se interligam de alguma forma. Ou seja, nenhum personagem fica vagando num limbo sem explicação. Exceto por aqueles momentos em que realmente querem que fiquemos nos questionando: o que acontecerá agora?

Stranger Things 3 - mudanças a caminho

É muito difícil falar de uma série que tem apenas 8 episódios sem soltar algum spoiler e ainda assim pegar os pontos principais. Entretanto, apesar de curta, o formato conciso da mesma deixa ela bem moldada e não cansativa. Desse jeito conseguimos aproveitar bem os episódios, prestar mais atenção aos fatos, aos diálogos e ações dos personagens. A terceira temporada foi impecável e se mostra uma temporada de transição. As crianças daquele pequeno grupo estão crescendo e isso envolve grandes mudanças.

Diversificando

Essa temporada, no meu ver, teve uma peculiaridade. Ela trabalhou bastante as subtramas antes de unir todas elas no que torna Stranger Things uma grande produção. Com isso, é possível conhecer melhor diversos personagens e suas qualidades, bem como a forma como lidam com as adversidades que surgem. Sendo assim, tivemos dois grupos se destacando. Duas frentes de ação e, gente, isso foi muito bom, pois abre inúmeras possibilidades.

Stranger Things 3 - mudanças a caminho

Manter o foco apenas na Onze, Max e nos garotos seria muito fraco para o padrão da série e fico contente de ver que os produtores perceberam que tinham muito a explorar. Personagens tiveram suas histórias aprofundadas e explicadas, esclarecendo muitas dúvidas trazidas da segunda temporada. Enquanto isso, “novos” personagens se mostraram uma bela adição ao elenco ao adquirirem maior destaque. Eles tem uma personalidade notável e mereciam ser explorados em cena, deixar de ser meros coadjuvantes. Com certeza valeu a pena e acertaram na decisão.

Uma das personagens que mais me chamou a atenção e de que gostei bastante foi a Robin. Ela é assertiva e determinada. Não se mostra fraca em momento algum, pelo contrário; e mesmo se deparando com coisas estranhas pela primeira vez, não arreda pé. Ela segue em frente, é amiga e a atriz atuou muito bem no papel. Até porque, não poderia deixar de ser assim. Como dizem: “filho de peixe, peixinho é!” Maya Hawke, a atriz que a interpreta, é filha de Uma Thurman e Ethan Hawke.

Stranger Things 3 - mudanças a caminho

As mudanças em Stranger Things

A chegada do gigante Starcourt Mall, mexeu com a pequena cidade de Hawkins. É o cenário perfeito para essa fase da série, já que nossa turma está crescendo e precisará encarar algumas mudanças. Assistir estas cenas, fez com que eu sentisse vontade de sair de casa para tomar um sorvete e quem sabe pegar uma sessão de “De volta para o futuro”?! O shopping desempenha um papel muito importante, assim como o jornal da cidade e até mesmo a piscina pública. Sem dúvidas a fotografia dessa temporada está incrível.

No mais, a temporada traz uma ameaça ainda maior para o grupo, e claro para toda Hawkins e o mundo. Os conflitos internos também continuam presentes e todos eles precisarão deixar as desavenças de lado para sobreviverem. As referências e easter eggs relacionados à cultura e entretenimento dos anos 80 estão muito presentes. Facilmente serão notadas.

E você, já foi maratonar Stranger Things? Não! Então corre lá. Agora, se já maratonou, comenta aí o que achou.