Maternidade


Sono do bebê: Dois reais ou uma soneca misteriosa?
Dicas que funcionaram comigo

Olá, mamãe! Já colocou o Xote da Alegria para o seu bebê dormir hoje? Ou será que você já ensinou autonomia desde cedo? Se você tem um bebê em casa, especialmente naquela fase dos primeiros três anos, certamente está familiarizada com a polêmica em torno do sono infantil nas redes sociais.

Vamos encarar a realidade: a maternidade já é uma montanha-russa emocional por si só, e a última coisa que precisamos é de mais pressão vinda de outras mães, concorda?

O sono da Cora nunca foi um problema para mim, porque sempre fui proativa em relação a isso. Antes mesmo dela nascer, fiz muita pesquisa sobre sono de bebês e seu impacto no desenvolvimento. Além disso, como sou do signo de Touro e adoro dormir (essa sou eu culpando o signo), sempre soube que garantir uma boa noite de sono para minha filha seria essencial para o bem-estar dela.

Reflexões sobre Conteúdo Materno Online

É incrível como, depois de finalmente conseguir que minha filha durma a noite toda e compartilhar toda minha empolgação nas redes sociais, no dia seguinte ela decide que a festa será no meio da madrugada! Parece que eles têm um radar para detectar nossas vitórias como mães e nos desafiar logo em seguida.

Brincadeiras à parte, o que realmente me incomoda é a reação de outras mães a esse tipo de conteúdo. Cheguei ao ponto de parar de consumir vídeos de maternidade. Tenho a impressão de que os criadores brasileiros enfatizam tanto as noites mal dormidas que acabamos esquecendo dos momentos incríveis de desenvolvimento e descoberta de nossos filhos.

É como se as palavras “autonomia” e “salto de desenvolvimento” ganhassem um peso gigante nas redes sociais, não é mesmo? Às vezes, até hesito em mencioná-las, com medo de que alguém apareça apontando o dedo para mim!

Apoio e acolhimento na Maternidade

Desde que a Cora nasceu, tive a sorte de poder me dedicar inteiramente a ela, com uma ótima rede de apoio que me permite cuidar dela sem preocupações extras. Por isso, nunca foi um problema embalá-la no colo, por exemplo. No entanto, também aplico princípios de autonomia para lidar com os despertares noturnos. Aqui em casa, a maneira como ela dorme nunca foi algo fixo, mas estabelecemos uma rotina que oferece previsibilidade em relação ao sono.

Recentemente, optei por contratar uma consultora do sono para ajudar com a Cora. Apesar de possíveis julgamentos externos, não me arrependo nem um pouco dessa decisão. A verdade é que essa consultoria me ajudou a entender melhor as necessidades de sono da Cora, analisar seus padrões e aprender a respeitar seu ritmo. Embora sempre tenha tido consciência de que o sono infantil passa por fases e mudanças, a orientação profissional tornou tudo mais tranquilo.

Antes, eu ficava preocupada quando a Cora não conseguia tirar cochilos eficazes, o que acabava afetando o sono noturno. Agora, entendo que cada bebê tem sua própria personalidade e ritmo, que devem ser respeitados. Fazer o máximo para melhorar seu sono é o mínimo que podemos oferecer como pais.

Falta Empatia na Comunidade Materna Online

Não me importo se a Cora prefere adormecer no colo em vez de sozinha. Estou disponível para atender às suas necessidades. No entanto, reconheço que há realidades completamente diferentes das minhas. Mães solteiras, sem rede de apoio, sustentando o lar e com mais de um filho enfrentam desafios únicos. Quem sou eu para julgar ou criticar a forma como elas abordam o sono de seus filhos? Infelizmente, tenho observado isso nas redes sociais: mães criticando outras mães.

Seja por meio de métodos variados, como música, balanço, naninhas ou chupetas, o importante é garantir que o bebê durma o suficiente para se desenvolver adequadamente. No fim das contas, cabe à família da criança decidir o que é melhor para ela.

Gostaria que todas as mães entendessem que estamos fazendo o nosso melhor, mesmo nos dias em que parece que estamos afundando. Não existe mãe perfeita, e é hora de nos libertarmos desse peso desnecessário de nos compararmos umas às outras.

Dicas (que funcionaram comigo) para Facilitar as Sonecas do seu Bebê

  1. Conheça a Janela de Sono do seu Bebê:

Levei um tempo para entender como a janela de sono funcionava com a minha filha Cora. Tive que observá-la por alguns dias e aprender a reconhecer os sinais de sono que ela demonstrava. Descobri que cada bebê tem um tempo específico que consegue ficar acordado antes de precisar dormir novamente. É importante conhecer essa “janela de sono” do seu filho e observar os sinais que ele apresenta quando está cansado. Assim, você poderá ajudá-lo a dormir no momento certo. Geralmente, os bebês abaixo de 6 meses ficam acordados até 2:30, mas isso pode variar de acordo com cada bebê.

  1. Estimule na Medida Certa:

Os bebês são naturalmente curiosos e adoram explorar o mundo ao seu redor, o que é fundamental para o desenvolvimento de suas habilidades. No entanto, é importante encontrar um equilíbrio na hora de estimulá-los, especialmente antes das sonecas.

Antes do horário de dormir, opte por atividades mais calmas e relaxantes, que ajudem o bebê a se acalmar e se preparar para dormir. Ler um livro com histórias tranquilas, cantar uma canção de ninar suave ou ter uma conversa serena são ótimas opções para esse momento.

Evite atividades muito agitadas ou estimulantes, como brincadeiras muito animadas ou assistir a programas de televisão agitados, pois isso pode dificultar que o bebê relaxe e adormeça.

Lembre-se de que cada bebê é único e pode reagir de maneira diferente aos estímulos. Observe as reações do seu filho e ajuste as atividades de acordo com o que funciona melhor para ele.

Associando o Sono de Forma Saudável

A associação de sono pode ser uma ferramenta útil, desde que não se torne um problema para você. Se o seu bebê se acalma ao dormir no peito, colo ou com uma chupeta, por exemplo, e isso não te incomoda, está tudo bem! Cada família encontra o que funciona melhor para ela.

Se não é um problema para você, não há motivo para mudar. É comum as crianças terem associações, assim como os adultos. Alguns adultos só conseguem dormir com tampão de ouvido ou luz ambiente, enquanto outros precisam de seu travesseiro favorito para ter uma boa noite de sono (eu me encontro nesse caso).

Ambiente Pré-Sono Tranquilo

  1. Diminua as Luzes:
    Luzes brilhantes podem atrapalhar a produção do hormônio do sono, a melatonina. Por isso, é importante reduzir a intensidade das luzes, especialmente antes da soneca. Prefira luzes mais suaves e difusas, ou até mesmo deixe o ambiente mais escuro, para sinalizar ao bebê que é hora de descansar.
  2. Reduza o Barulho:
    Um ambiente tranquilo é essencial para ajudar o bebê a relaxar e dormir. Diminua o volume de ruídos externos, como televisão, música alta ou conversas animadas. Você pode até usar dispositivos que produzem ruído branco, como um ventilador, para criar um ambiente mais calmo.
  3. Crie uma Atmosfera Confortável:
    O conforto é fundamental para o sono do bebê. Certifique-se de que o berço ou local de dormir esteja confortável e seguro. Use roupas de cama macias e aconchegantes, evitando excesso de cobertores ou almofadas. Considere também usar um cobertor leve ou uma naninha para proporcionar conforto e segurança.
  4. Estabeleça uma Rotina de Sono:
    Ter uma rotina consistente antes da soneca pode ajudar o bebê a se sentir mais calmo e preparado para dormir. Inclua atividades relaxantes, como uma massagem suave, uma história tranquila ou uma música suave. O importante é seguir a mesma sequência todas as vezes antes da soneca, para que o bebê associe esses sinais ao momento de dormir.

Ao criar um ambiente pré-sono calmo e relaxante, você está oferecendo ao seu bebê as melhores condições para um sono tranquilo e reparador.

Respeitando o Sono do seu Filho

É crucial que todos que convivem com seu filho compreendam que o sono dele precisa ser respeitado. Mesmo que isso resulte em ser vista como a “chata do rolê” aos olhos da família, lembre-se de que você conhece seu filho melhor do que ninguém e sabe do que ele precisa para descansar adequadamente.

Salto de Desenvolvimento: Oferecendo Estímulos Adequados

Eu aprendi com os conteúdos da Aytanna que crianças apreciam rotinas previsíveis e uma rotina saudável, embora flexível, é benéfica! Durante os períodos de salto de desenvolvimento, como o que a Cora está enfrentando, gosto de levá-la para passeios. Nessa fase visual, ela gosta de explorar coisas novas, e não há lugar melhor para isso do que a rua – uma pracinha é perfeita! Lembre-se de que, embora você já tenha visto de tudo, para o bebê, tudo é novidade! Eles têm um mundo inteiro para explorar, e é revigorante para eles ver movimento e coisas diferentes que não têm em casa.

Durante os momentos de salto de desenvolvimento, é crucial oferecer estímulos visuais e sensoriais para ajudar a criança a lidar com as mudanças em seu desenvolvimento. Nada supera uma dose de ar fresco e novidades para alegrar o dia, concorda?

Sempre lembre-se de que essa fase passa rapidamente, então aproveite cada momento com seu bebê, mesmo que isso signifique muitas sonecas no colinho durante o dia. Confie em seus instintos maternos e faça o que é melhor para seu filho, mesmo que isso signifique seguir um caminho diferente do esperado pelos outros. Afinal, nós nos adaptamos às necessidades de nossos filhos, e não o contrário.

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Maternidade

    Tentando lidar com a solidão Materna

    Por

  • Dois Meses de Cora: Descobertas, Desafios e Muito Amor

    Sobrevivendo ao Combo 'Hora da Bruxa' e Crise dos Três Meses

    Maternidade

    Dois reais ou um salto de desenvolvimento misterioso?

    Por

  • Maternidade

    Dois Meses de Cora: Descobertas, Desafios e Muito Amor

    Por

comentários

  • Camila Faria

    Oi Clayci. <3
    Se tem uma coisa que não dá para entender são mães criticando/julgando outras mães. Cada criança é diferente, cada mãe é diferente, consequentemente, cada maternar é diferente, não tem como julgar. Por aqui o meu filhote já está com 5 anos e, lendo o seu post, me lembrei de toda a ansiedade que passei nesses primeiros anos, com as sonecas, falta de sonecas, janela do sono… nossa, parece que foi em outra vida, mas na verdade foi outro dia. O negócio é aproveitar cada fase, porque aquele clichê é realmente fato: passa tão rápido! Lindo post.

    responder
  • Nana

    Apesar de não ser mãe, minha amigas contam que esse talvez seja o maior desafio materno: acertar o sono da criança.

    Tem post novo – espero vc!
    Bj e fk c Deus
    Nana – procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    responder
ir ao topo

Buscar no site

plugins premium WordPress
5 lições que aprendi no meu puerpério até agora Ritual de Leitura A canção de Aquiles: 5 motivos para ler Conheça a Quanti Café