Flores para Algernon – Daniel Keyes

por Posted on 12 Comments 4 min. de leitura 88 visualizações
Flores para Algernon - Daniel Keyes
[penci_review id=”23350″] [penci_blockquote style=”style-2″ align=”none” author=”Flores Para Algernon”]Como eles me parecem diferentes agora. E quão tolo fui de algum dia pensar que professores eram gigantes intelectuais. Eles são pessoas, e sentem medo de que o resto do mundo descubra.[/penci_blockquote]

Flores para Algernon, do autor Daniel Keyes, foi publicado aqui no Brasil pela editora Aleph. Essa história foi relatada pela primeira vez em um conto homônimo, publicado 1959 e fora ganhador do prêmio Hugo. 

SOBRE A HISTÓRIA

Flores para Algernon - Daniel Keyes

Charlie Gordon é um homem de 32 anos com uma deficiência intelectual que não lhe permite ter um QI alto. Ele se esforça e quer ser inteligente, mas não consegue compreender as coisas que acontecem ao seu redor. Charles trabalha em uma padaria como zelador e entregador. O fato de querer ser “mais intelijente” fez com que ele fosse escolhido para uma nova cirurgia revolucionária. Os cientistas testaram essa técnica no pequeno ratinho Algernon e por ter resultados positivos, irão submetê-lo a esta nova experiência.

Charlie acredita que os “médicos” irão corrigir o seu cérebro e que também conseguirá melhorar a sua vida após essa cirurgia. Ele relata diariamente o progresso em um diário. No início há vários erros ortográficos e gradativamente vamos notando a evolução do seu estado clínico. Em poucos dias temos um novo Charlie Gordon! Além de aumentar o QI, ele desenvolveu lembranças e começa a compreender melhor o seu passado e a sua infância.

[penci_blockquote style=”style-2″ align=”none” author=”Flores para Algernon”]- O problema, querido professor, é que você queria alguém que pudesse se tornar inteligente, mas continuasse numa jaula e fosse exibido, quando necessário, para colher as honras que você busca. O problema é que sou uma pessoa[/penci_blockquote]
Flores para Algernon - Daniel Keyes

É melhor ser inteligente ou permanecer na ignorância?

Antes da cirurgia, Charlie queria saber interagir em grupo. O seu sonho era conseguir conversar sobre qualquer assunto sem que ninguém o zombasse. A cirurgia foi um sucesso e aos poucos ele foi superando todas as pessoas que ele acreditava ser mais inteligente do que ele. No entanto, por mais que seu desejo fosse ser alguém mais aceitável socialmente, não foi esse o resultado da experiência.

Com seu novo intelecto, Charlie consegue visualizar uma existência obscura sobre a natureza humana. Ele enxerga com transparência a antipatia e inveja que seus colegas sentem ao vê-lo mais engenhoso. Parece inaceitável ver uma experiência ultrapassar todos os objetivos e ser melhor que os próprios cientistas que o criaram. E é a partir daí que o livro traz questões mais profundas e de existencialismo. Flores para Algernon discute sobre deficiências mentais, natureza humana, inteligência e afeto.  Gordon chegou em um ponto que começou a refletir se não seria melhor permanecer na ignorância e não saber a verdade sobre as pessoas próximas a ele.

MINHA OPINIÃO

Estou com dificuldades para colocar em palavras as emoções que experimentei ao ler este livro. Pensei que seria uma leitura arrastada, porém fui surpreendida quando vi que finalizei a leitura no mesmo dia. Por mais que se trate de uma ficção científica, o autor conseguiu trazer uma história leve e focada em humanidade.

Charlie queria ser mais inteligente, mas é óbvio que antes da cirurgia ele não fazia ideia de que isso teria um preço. Quando finalmente ele conseguiu ter controle da sua mente, pode compreender que nem todas as pessoas que o faziam rir eram seus amigos. As pessoas tiravam proveito da situação e muitas o humilhavam como piada. Memórias que até então foram esquecidas, voltam de uma forma dolorosa.

Eu me emocionei com a leitura diversas vezes. Para ser sincera eu não conseguia largar o livro, pois foi um misto de sentimentos. Eu ficava triste, irritada, frustrada e ainda assim esperançosa. Mesmo com tantas pessoas ruins, Charlie tentava lidar com o seu sofrimento e também pensava nas condições de todos que passaram pelo mesmo que ele. O autor discute sobre a falta de estrutura para abrigar pessoas como Charlie. Eu me senti um lixo nessas cenas, pois não teve romantização e nem mesmo a esperança de um futuro melhor.

[penci_blockquote style=”style-2″ align=”none” author=”Flores para Algernon”]“Inteligência é um dos maiores presentes humanos. Mas muito frequentemente a busca por conhecimento exclui a busca por amor. […] Inteligência sem a habilidade de dar ou receber afeto leva a um colapso mental e moral, para neurose, e possivelmente até para psicose”[/penci_blockquote]
Flores para Algernon - Daniel Keyes

Aprendi muito com o Charlie Gordon

Somos condicionados a ter um objetivo na vida. Sabemos que precisamos buscar conhecimento, mas com qual propósito? Flores para Algernon nos faz refletir em como a falta de empatia e compaixão interfere nesse resultado e busca. Charlie alcança um novo intelecto, no entanto se isola se tornando uma pessoa arrogante e autocentrada. Sem dúvidas esse livro entrou para os meus favoritos da vida e irei sempre me lembrar de Charlie Gordon com carinho.

Receba as publicações por e-mail

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 Comments
  • lilian farias
    maio 10, 2019

    Misericórdia, que capa linda. Editora Aleph nem espero outra coisa… Concordo com a temática do livro, sim somos condicionados a muitas coisas e deixamos sentimentos e desejos de lado, em busca de um infinito sucesso e felicidade quase insana, depois o corpo responde com ansiedade e depressão, então ficamos condicionados aos remédios.é um cilo doentio. Preciso ler essa obra.

  • Mara
    maio 8, 2019

    Oi, Clayci!

    Tô com esse livro na mão para ler, recebi ele no ano passado pela Caixa do Skoob e será uma das próximas leituras. Ver a sua opinião sobre ele me deixou mais animada ainda para a leitura. Não costumo ler ficção científica e tava com receio de a leitura ser arrastada. Tô sentindo que vou amar tudo no livro depois da sua opinião!

  • Pah
    maio 7, 2019

    Oiiii! Realmente parece ser um livro dificil de explicar, no caso de explicar as sensações sentidas por causa da leitura. Já tinha visto o livro em alguns lugares, mas sempre imaginei algo diferente sobre ele. Gostei de saber mais sobre a obra e sobre a sua experiencia de leitura

  • Lucy
    maio 7, 2019

    Oi, Clayci!
    Simplesmente adorei a trama desse livro, diferente do que estou acostumada a ler por aí. Eu fui pesquisar preços e no momento achei bem salgado, mas fiquei muito curiosa. Ficção científica não é o meu forte, mas essa história me chamou a atenção!
    bjs
    Lucy – Por essas páginas

  • Camila de Moraes
    maio 4, 2019

    Olá!
    Parece ser uma leitura bem envolvente. Não conhecia essa história mas por suas palavras e empolgação com a trama já deu pra sentir que o autor conseguiu deixar a história intensa, reflexiva sobre vários aspectos da vida e como a conduzimos.
    Vou anotar a dica para conhecer!

  • Lana Silva
    maio 4, 2019

    Já conhecia o livro pelo fato de sempre ver a capa nas redes sociais, no entanto está foi a primeira resenha que leio que me convenceu a dar uma chance a essa leitura. Primeiro pelo fato de que apesar de se tratar de ficção científica ainda assim a trama trata questões sobre humanidade e existencialismo, dois pontos que me chamaram bastante a atenção. Enfim, espero que a leitura seja tão prazerosa para mim, quanto foi para você, e que me proporcione esse turbilhão de emoções.

  • Paac Rodrigues
    maio 4, 2019

    mulher to numa curiosidade louca de ler esse livro, ele ta na minha lista a um certo tempo, só quero me formar logo pra por leituras em dia e esse é uma delas :3 adoro livros que abrem margem pra falar de temas bacanas.

    • Cibele
      maio 11, 2019

      Olá!
      Ainda não tinha ouvido falar nesse livro, mas fiquei bastante empolgada para conhecer. Parece ser uma obra bastante reflexiva e emocionante..
      Fico contente em saber que a leitura te proporcionou tantos sentimentos bons, e emoções. Amo ler livros emocionantes, e já estou anotando sua dica.
      Beijos!

  • Ana Catarina
    maio 3, 2019

    Olá,
    Não conhecia o livro, contudo livros de ficção cientifica não é de todo o meu género de livro ou que poderia-me encantar. Contudo, acredito que, apesar da experiência o Charlie Gordon hoje seja um homem diferente e consegue entender melhor o seu passado e entender o seu caminho de “hoje em diante”.
    Parece-me a ser um livro que deixa-nos a pensar e refletir por algum tempo. Como disse… não consegue exprimir ainda o sentimento em relação ao livro. No futuro, com certeza que, irá compreender melhor!
    Beijinhos

    http://tudosoblinhas.blogspot.com

  • Bianca Ribeiro
    maio 3, 2019

    Oi Clayci!
    Cê lembra daquele teste que a Aleph colocou no instagram pra saber qual livro deles era mais a nossa cara e tal? Então, o meu deu esse e desde então eu sou louca pra ler esse livro porque todo mundo que leu ama esse livro e as resenhas que eu vejo desse livro são sempre tão carregadas de sentimento,…!
    Aff, preciso!

    Amei suas fotos!!!

    • Clayci
      maio 7, 2019

      Ahhh eu acho que vc vai gostar desse livro *_*

  • PS Amo Leitura
    maio 3, 2019

    Que resenha linda! É a primeira que leio deste livro e já me encantei totalmente. É sempre difícil mesmo colocar todas as palavras que gostaríamos, ainda mais quando um livro mexe tanto com a gente, né? De qualquer forma, o jeito que você relatou foi maravilhoso e adorei saber que o livro traz grandes reflexões.

    Beijos,

Previous
Sylvanian Families: Hamster Family
Flores para Algernon – Daniel Keyes

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE