Filmes & Séries, Tea time


You – A nova série mostra que obsessão não é amor

You - A nova série mostra que obsessão não é amor

Estava procurando algo novo para assistir e dei de cara com a série You no catálogo da Netflix. Vi algumas pessoas comentando sobre a história original, a série foi baseada na obra de Caroline Kepnes, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Entretanto, posso adiantar que depois de assistir You me dei conta de que não tenho a “privacidade” que faço tanta questão de ter.

Como você preserva a sua? Compartilho tantas coisas nas redes sociais, que me esqueço da facilidade e da quantidade de informações que as pessoas têm ao jogar nosso nome no Google. E na história, por conta dessa exposição, Beck acaba atraindo a atenção da pessoa errada (ou seria a certa?).

Pelo menos, Joe tentará convencê-la que é o cara certo. Ele é atencioso, dedicado e faz tudo para que Beck recupere a confiança em si mesma. E apesar do primeiro encontro deles ter sido ocasional (eles se conheceram na livraria em que Joe trabalha), o destino acaba aí. Após descobrir o nome da jovem estudante, o livreiro começa rastrear os seus passos e até descobre onde ela mora.

Joe é o cara certo?

E aos poucos Beck vai conhecendo as qualidades de Joe. Ele sempre está presente e deixa claro os seus sentimentos por ela. Apesar de ser insegura e não saber o que realmente quer da vida, Beck começa a se envolver com o livreiro. Afinal, tudo o que queremos é uma pessoa que seja capaz de despertar o nosso melhor, não é mesmo? E por ser apaixonado, dedicado, atencioso, presente fica fácil dizer que Joe é o cara dos sonhos. Mas e se isolarmos as suas ações?

You - A nova série mostra que obsessão não é amor

Joe é obcecado por Beck. Assim que a conheceu, deu um jeito de entrar em suas redes sociais. O livreiro monitora os seus passos e se interessa por sua rotina, inclusive ele não gosta das suas amizades. Na cabeça dele, Beck não sabe se relacionar com as pessoas certas, e é dever dele abrir os olhos da jovem. Joe se sente responsável pela segurança da sua amada e fará de tudo para tirar as pessoas erradas do caminho dela.

Eu realmente fiquei presa com a história. You é narrado de maneira única , pelo ponto de vista do próprio Joe. Isso faz com que o expectador ouça a forma como ele interpreta os seus sentimentos por Beck e como é incapaz de ver em si mesmo as características abusivas e violentas que ele tanto detesta em outros homens.

You: Ele é uma pessoa má?

Joe também mostra a facilidade de conseguir referências sobre qualquer pessoa através das mídias sociais. Em questão de segundos ele consegue acessar qualquer informação sobre seu alvo e usa esta ferramenta a seu favor. Contudo o que mais chamou a minha atenção é que o livreiro não é todo mau. Ele faz amizades e protege seu vizinho, um garoto cuja mãe tem um namorado violento e abusivo.

Sem falar que a própria Beck não é tão inocente assim. Apesar de ser descuidada, pois ela não se preocupa com as configurações de privacidade dos seus aparelhos (nem mesmo quando perde seu celular), ela mente. Então em algum momento da série, você sentirá empatia pelo psicopata. Também se esquecerá das coisas ruins que ele fez para chegar até Beck, porém não se engane. Isso não é amor e ele não é a vítima.

Outra coisa que eu gostei foi das referências literárias que surgiram durante os episódios. Como o Joe trabalha em uma livraria e é apaixonado pela profissão, ele recomenda várias leituras para o seu pequeno vizinho. Então você encontrará referências de vários clássicos (e até contemporâneos) como: Os três mosqueteiros, Dom quixote, Frankenstein, Ozma de oz, Alienist, O Morro dos Ventos Uivantes, O Conde de monte Cristo, Middlemarch, Um teto todo seu, O Médico e o monstro e outros.

A série será renovada e estou ansiosa por esta continuação. Então se você ainda não assistiu YOU, aproveite para maratonar os 10 episódios que estão disponíveis na Netflix.

ASSISTA O TRAILER

https://www.youtube.com/watch?v=umm6Xlv8IEc

 

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Parei de querer “chegar lá” e decidi investir no “aqui

    Tea time

    O que a vida me ensinou nesses 34 anos

    Por

  • O que ninguém te conta sobre "ser a sua melhor versão todos os dias

    Tea time

    O que Encanto me ensinou sobre burnout

    Por

  • Me lembrando de como se descansa

    Tentando curtir as minhas férias

    Tea time

    Relembrando como se descansa

    Por

comentários

  • FRANCISCO ATUALPA

    Bem que você poderia extrair todas as referências e citações geniais da série. Apenas uma sugestão. Gosto da pegada psicanalítica da série.

    responder
  • Lidiane Soares

    Sobre a série eu adorei a forma de contar a história com ele sendo o narrador, justamente por ser uma forma diferente de contar a história. Assim, por estar na “mente” dele você vê tudo pelo olhar e análise dele, assim é fácil se deixar levar por certa empatia já que a série foi feita para isso. Outra coisa que amei foi a fotografia visto que mostra o quão egocêntrico ele é e quão distorcida é a sua mente e sua visão de mundo. Post maravilhoso como sempre e com fotos sensacionais.
    @lidiane.ph

    responder
    • Clayci

      Eu gostei muito da forma que a história foi narrada.
      E tbm amei a fotografia! Não vejo a hora de sair a segunda temporada <3

      responder
Mais comentários
1 2 3 4

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Parei de querer “chegar lá” e decidi investir no “aqui

    Tea time

    O que a vida me ensinou nesses 34 anos

    Por

  • O que ninguém te conta sobre "ser a sua melhor versão todos os dias

    Tea time

    O que Encanto me ensinou sobre burnout

    Por

  • Me lembrando de como se descansa

    Tentando curtir as minhas férias

    Tea time

    Relembrando como se descansa

    Por

ir ao topo

Buscar no site

Trechos do livro A sociedade de Atlas Trechos do livro: Mansão Gallant Dark Academia O que é? Ficção Científica: 5 livros pra quem quer começar