Drama

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara – Meg Medina

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara é da autora Meg Medina e foi publicado pela editora Intrínseca. É um livro que fala sobre bullying e as consequência que ele traz.

SOBRE A HISTÓRIA

Piddy Sanchez é uma adolescente, de quase 16 anos, que está vivendo uma nova fase. Ela precisou mudar de bairro na cidade em que mora com a sua mãe e por conta disso teve que mudar de colégio também. Piddy sempre foi uma garota estudiosa e se destacava com as notas da sua antiga escola, porém ela nunca se interessou em ser o centro das atenções. Ela nunca conheceu o seu pai e nem teve oportunidade para falar a respeito com a sua mãe ou até mesmo com Lila – que é uma grande amiga de ambas.

Se não bastasse a dificuldade de se enturmar no novo colégio Daniel Jones High School, Piddy descobre que Yaqui Delgado (umas das veteranas problemáticas) quer quebrar sua cara. O problema é que ela não sabia quem era Yaqui e muito menos o motivo de ter despertado esse sentimento nela. E mesmo Piddy andando atenta e fazendo de tudo para não chamar a atenção, ela não consegue evitar o pior.

Yaqui cumpre com a sua promessa e começa a persegui-la dentro e fora do colégio. E aos poucos o bullying vai mostrando a sua pior versão. No inicio, Piddy tenta lidar com esse problema sozinha, mas perde o controle ao se dar conta de que seu rendimento escolar cai. E que precisava faltar para não ter que enfrentar a tal da Yaqui. O colégio começa a procurá-la para saber o porquê de sua ausência e a sua mãe fica desconfiada com o seu comportamento.

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara - Meg Medina

Ao invés de abrir o jogo com a sua mãe, Piddy começa a ficar agressiva e a descontar as suas frustrações nela. E a falta de comunicação entre elas cresce e acaba afastando-as cada vez mais. Sua mãe pensa em outros motivos para o comportamento dela e nem imagina o que sua filha anda sofrendo na escola.

Se ter um corpo bonito é tão legal, por que fez da minha vida um inferno?

MINHA OPINIÃO

Comprei Yaqui Delgado quer quebrar sua cara em uma promoção no estande da Intrínseca na bienal que rolou esse ano. Ele custou R$5,00 e apesar de não ser um lançamento, a capa e a sinopse chamaram a minha atenção. Na época que ele foi lançado aqui no Brasil, vi algumas resenhas criticando a obra e a forma com que a autora abordou o bullying, por isso iniciei a leitura sem muitas expectativas.

No entanto, devo admitir que fui surpreendida positivamente. Piddy é uma adolescente que foi criada sem a presença do pai. Sua mãe é conservadora, mas faz de tudo para dar o melhor para sua filha, em razão disso, vive pegando no pé da adolescente para que ela se dedique aos estudos e não dê atenção para as amizades problemáticas. Falta comunicação entre as duas! Piddy não sabe sobre o seu passado e nem o que aconteceu com o seu pai, da mesma forma que sua mãe não faz ideia dos problemas que ela tem enfrentado no colégio.

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara - Meg Medina

Yaqui Delgado quer quebrar sua cara, é uma visão realista do que é o bullying e de quais são as consequências na vida de quem pratica e de quem sofre. E a violência apresentada não é apenas verbal, Yaqui realmente cumpre a sua promessa e começa a persegui-la dentro e fora do colégio. Piddy não fazia ideia do que ela fez para despertar esse sentimento de ódio, já que ela nem sabia quem era essa tal de Yaqui.

Então acompanhamos o pânico que essa menina causa em Piddy, a ponto de cair o seu rendimento escolar e a ter que mentir para a sua mãe sobre as suas faltas no colégio novo. Sem falar que a jovem também sofre por não conhecer a verdadeira história do seu pai e sentir que sua mãe está cada vez mais exigente sobre seu futuro.

Vi que algumas pessoas se incomodaram com a falta de atitude da protagonista, já que o ideal seria comunicar um superior sobre as ameaças e as agressões. Admito que senti raiva quando vi Yaqui fazer o que queria e Piddy não tomar uma iniciativa para revidar ou procurar ajuda. Mas ao concluir a leitura consegui entender os seus motivos e o seu medo da verdade vir à tona.

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara - Meg Medina

O que mais gostei desse livro, foi o fato de não ter um “final feliz”. Estou acostumada a ler YA (adoro) e a encontrar a resolução de todos os problemas nas páginas finais. Mas em Yaqui Delgado quer quebrar sua cara, a autora mostrou que sempre temos alternativas. Meg desenvolveu um enredo sério, entretanto, de uma forma descontraída e com uma pitada de humor.

 

 

Leia também

O Fundo é Apenas o Começo – Neal Shusterman

Clayci

Dumplin’ – Julie Murphy

Clayci

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff

Clayci

19 comentários

Marilda Cardoso dos Santos Pires 21 de setembro de 2018 at 10:57

Ola <3
Que resenha maravilhosa, quase comprei esse livro esses dias, mas não tinha visto muitos comentários sobre ele, não sabia se era bom ou não. Super adorei essa premissa, gosto muito de livros que abordam Bullying, quando a autora sabe conduzir bem o enredo e amarrar tudo.
Abraços, Mary
http://leiturasdamary.blogspot.com/

Responda
Clayci 21 de setembro de 2018 at 19:14

Ahh fico feliz que tenha gostado da resenha <3
Quando surgir outra oportunidade, super recomendo

Responda
Marilda Cardoso dos Santos Pires 21 de setembro de 2018 at 10:56

Ola <3
Que resenha maravilhosa, quase comprei esse livro esses dias, mas não tinha visto muitos comentários sobre ele, não sabia se era bom ou não. Super adorei essa premissa, gosto muito de livros que abordam Bulling, quando a autora sabe conduzir bem o enredo e amarrar tudo.
Abraços, Mary
http://leiturasdamary.blogspot.com/

Responda
Isabelle Brum 23 de agosto de 2018 at 09:23

Olá!
Já tinha visto esse livro por aí, mas pela capa ele não me interessou muito (julguei pela capa, confesso :S).
Achei interessante a história e agora vou adicionar à lista de futuras leituras graças à sua resenha (a propósito, parabéns pela resenha super bem escrita!)
Beijinhos ^-^

Responda
Clayci 4 de setembro de 2018 at 13:20

Eu te entendo pq sou assim hahaha
Tenho a mania de julgar um livro pela capa sempre =/

Espero que curta a leitura.
Muito obrigada <3

Beijos

Responda
Lilian de Souza Farias 20 de agosto de 2018 at 10:15

‘O que mais gostei desse livro, foi o fato de não ter um “final feliz”.’ isso para mim é um bom sinal, não curto livros que apenas com o intuito de agradar leitores fogem de sua essência, algo tão trágico não tem como ter finais felizes romantizados, etc…

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:46

Eu amo fantasia, por isso estou acostumada com finais assim.
Mas por tratar de algo tão grave, precisa de uma dose de realidade sim… <3

Beijos

Responda
Maria Luíza Lelis 19 de agosto de 2018 at 22:34

Oi, tudo bem?
Eu já tinha ouvido falar sobre esse livro, mas lembro que as resenhas eram meio negativas mesmo. Fico feliz que você tenha se surpreendido positivamente e gostado da leitura. É um tema muito difícil, mas que parece ter sido bem trabalhado pela autora. Eu confesso que não é o tipo de leitura que estou procurando no momento, especialmente por trazer um assunto tão difícil. Mas adorei sua resenha e que você tenha gostado do livro.
Beijos!

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:36

Eu vi várias negativas e isso me desanimou para iniciar a leitura.
Mas acho que fui com as expectativas tão baixas que foi por isso que me surpreendi haiuhaiuahuihaiuhaihauiha

Responda
vivi 18 de agosto de 2018 at 23:18

Olá Clayci, eu tenho este livro há muito tempo, mas nunca li. Sempre achei que Yaqui era um menino, haha. Esse fato de a (o) personagem nunca falar das agressões que vem sofrendo, me irritam muito, eu imagino que não deva ser fácil mesmo se abrir, mas a gente que está lendo, sempre vê solução para tudo. Gostei muito das tuas colocações sobre a história e o final me deixou bem curiosa, ainda mais que sempre espero o final feliz, mas sei bem, que nem sempre é possível.
As fotos estão lindas, como sempre.
Bjos
Vivi
http://duaslivreiras.blogspot.com/

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:26

Confesso que quando comprei o livro tbm acreditei de ser um menino hahahahah.

Obrigada Vivi <3

Responda
Aline M. Oliveira 17 de agosto de 2018 at 11:13

Não conhecia o livro, mas quando vi a capa logo me chamou a atenção. Não poderia imaginar que se tratava de tal assunto, envolvendo bullying na escola e tudo mais.Acho que tem que ter mesmo histórias voltadas pra esse tema, porque hoje em dia tá muito complicado orientar sobre esse quesito de não machucar os outros dessa maneira. Gostei bastante do enredo e a resenha está muito bem escrita. Achei diferente e super válida essa maneira mais divertida de tratar do assunto, já que há muita gente que ama fazer uma boa leitura. Obrigada pela dica!

Bjoxx

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:21

Oi Aline!
Sim.. também acho que quantos mais livros sobre esse assunto melhor (claro, desde que o autor/autora passe a mensagem que apenas culpabilize). Na trama, a pessoa que pratica o Bullying, também sofre muito (o que não justifica), mas faz com que a gente consiga enxergar os dois lados – mesmo ela não sendo o foco.

Responda
Stephanie Vasques 17 de agosto de 2018 at 01:48

Nossa, que livro interessante! De primeira, me chamou a atenção pelo título e capa, mas pela sua resenha vi que vale a pena dar uma chance pra ele, porque a história parece ser ótima. Já vou incluir na minha booklist! <3

Com amor,
Steph • Não é Berlim

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:18

Oi Steph.
Vale sim! Se um dia conseguir dar uma oportunidade para essa leitura, acredito que não vai se arrepender.
Beijos

Responda
Bárbara Daisy 16 de agosto de 2018 at 11:03

Interessante Clayci…muito atual o tema e, o melhor, a leitura despretensiosa que te levou a curtir bastante a história e a narrativa.

:*
In.Material
@in_material

Responda
Clayci 21 de agosto de 2018 at 08:06

<3 Obrigada

Responda
Aléxia Macêdo 16 de agosto de 2018 at 09:42

Ooii! Eu acho que já vi essa capa em algum lugar, mas pelo que me lembro essa é a primeira resenha que vejo. Acho muito interessante histórias que tratam de temáticas assim e fiquei interessada na leitura. Eu também curto quando tem um final mais vida real (por mais que às vezes ele me dê raiva hahah).

Responda
Clayci 20 de agosto de 2018 at 21:02

Gostei muito do desfecho pq foi bem “vida que segue, os problemas não param”, mas ao mesmo tempo a autora mostrou que é possível seguir outro caminho.
Beijos, Lex.

Responda

Deixe um comentário

* Seu comentário será enviado para aprovação.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE