Fotografia


Sombria e solitária maldição – Brigid Kemmerer (Apaixone-se, e quebre a maldição)

Sombria e Solitária Maldição é uma releitura contemporânea de A Bela e a Fera. É da autora Brigid Kemmerer e foi publicado aqui no Brasil pelo selo Plataforma21.

A Bela e a Fera é um do meus clássicos favoritos e já perdi a conta de quantas vezes já assisti à animação da Disney. Sempre gostei de ver a paixão de Bela pelos livros – apesar de odiar com todas as minhas forças as investidas de Gastón. Contudo, nunca consegui compreender o meu sentimento pela Fera, pois apesar de querer que o feitiço fosse quebrado, no fundo, sentia que ele merecia aquela maldição por ser alguém tão egoísta e arrogante.

Quando soube que a Plataforma 21 iria trazer uma releitura desse clássico para o catálogo deles, fiquei bem animada. Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da Brigid Kemmerer e agora entendo porque essa autora tem tantos fãs. Fiquei feliz em ler este livro antes do seu lançamento oficial aqui o Brasil.

Sombria e solitária maldição - Brigid Kemmerer (Apaixone-se, e quebre a maldição)

Sombria e Solitária Maldição: Apaixone-se

Sombria e Solitária Maldição é uma releitura contemporânea de a Bela e a Fera. A história começa quando a Harper vê um homem sequestrando uma jovem inconsciente. Mesmo sabendo da sua limitação, ela sente que precisa ser ágil para salvá-la; mas ao confrontá-lo acabou sendo capturada no lugar da moça. De repente, como em um passe de mágica, Harper se vê em outra terra totalmente diferente do seu bairro em Washington.

O homem que a sequestrou se chama Gray e diz ser o guarda real do príncipe Rhen. Harper está confusa e não faz ideia de como foi parar nesse local; e por mais que ele tente convencê-la sobre o porquê dela ter sido capturada, a jovem só consegue pensar em sua família e em como conseguirá voltar parra casa. Sua mãe está doente e em fase terminal, já o seu irmão, se meteu em encrenca e ela quer estar por perto para ajudá-lo.

Entretanto, a jovem nem imagina como será difícil fugir dessa situação. Aos pouquinhos, Harper vai assimilando e juntando as peças do porquê ela foi parar naquele castelo. Ela descobre que está no reino Emberfall e que os moradores estão sob ameaça. O príncipe Rhen foi amaldiçoado por uma poderosa feiticeira chamada Lilith e foi condenado a repetir seu aniversário de dezoito anos por consecutivos outonos. Pensando assim, até seria uma boa ser jovem para sempre, não é mesmo? Mas com a chegada desta estação, ele se transforma em um mostro capaz de destruir tudo e todos que cruzarem o seu caminho. Esta maldição só será quebrada se uma garota se apaixonar e aceitá-lo por completo.

Sombria e solitária maldição - Brigid Kemmerer (Apaixone-se, e quebre a maldição)

Essa maldição existe mesmo?

É claro que, de início, Harper não compra essa ideia. Fica difícil acreditar nessa maldição, amor verdadeiro e até mesmo na existência de um monstro. Sua vida sempre foi árdua e ela só quer voltar para a sua casa. A garota nasceu com uma limitação de movimento em decorrência a uma paralisia cerebral. Seu pai abandonou a família há muito tempo e por consequência disso, seu irmão assumiu as dívidas dele e está envolvido com as pessoas erradas. E o que dizer da sua mãe? Ela está morrendo por causa de uma doença e Harper só quer estar ao seu lado. Então, estar em um reino encantado, por melhor que possa parecer, é na verdade um pesadelo para a jovem.

Não consigo imaginar o que você enfrenta, milady. Não sei nada sobre sua terra nem seus costumes. Mas sei que sua coragem e gentileza parecem não ter limites.

Sombria e Solitária Maldição (pág.262)

Rhen está convencido de que esta será a sua última estação e que não sobreviverá para salvar o seu reino. Depois de tantos anos sofrendo por conta da maldição, ao encontrar Harper surge uma fagulha de esperança. O príncipe percebe que ela não é mais uma garota e sim sua única esperança. Mas será que Harper irá se apaixonar por ele? Afinal, ela foi sequestrada, independentemente do motivo e está longe da sua família. Seja o que for, ela sabe que está presa e que precisará sobreviver a esta maldição para conseguir voltar pra casa.

O que achei de “Sombria e solitária maldição”

Sinto que preciso começar falando da protagonista dessa história. Harper é uma garota determinada e extremamente inteligente. Ela tem uma restrição no movimento causado por uma paralisia cerebral, mas isso não é uma fraqueza para a jovem. Com uma personalidade forte, Harper não tem medo de enfrentar o desconhecido. Por conta das circunstâncias, ela inicia a história desconfiada e atacando tudo o que teme. Mas aos pouquinhos, ela mostra todo o seu potencial e coragem. Harper não concorda com a forma de governar do príncipe Rhen. Ele é estratégico e dificilmente deixa o sentimento falar mais alto. Porém, ao ver de perto os problemas causados por causa da maldição, ela vai entendendo as motivações e escolhas dele.

Há um momento durante a transformação de que estou ciente de quem sou e de onde estou. É um momento em que estou ciente do que sou.

Sombria e solitária maldição

E o que dizer de Rhen? Ele é um personagem complexo, que carrega vários traumas e mesmo assim sabe que precisa seguir em frente. Mas não consegui me apaixonar por ele – se o príncipe dependesse de mim para quebrar a maldição, Emberfall morreria na próxima estação. Ele sempre foi respeitoso e tenta proteger as pessoas que confiam nele. Contudo é tão arrogante e teimoso! Ele não sabe agradecer, não aceita outras perspectivas e quer que tudo seja do jeito dele. Parece até que estou me descrevendo e deve ser por isso que não curti tanto esse personagem, pois sei que estas qualidades afastam as pessoas.

Gray foi o meu personagem favorito da história

Mas se tem um personagem que me conquistou por completo, foi Gray. Definitivamente seria por ele que eu me apaixonaria. Ele é forte, durão, mas com um coração de manteiga. O guerreiro fez um juramento de lealdade para Rhen, por isso ele vive esta maldição com o príncipe. Gray foi o primeiro a confiar nos instintos de Harper. Seu lado protetor a ajudou compreender como as coisas naquele reino funcionavam. Sem falar que ele ensinou Harper a se proteger e foi um verdadeiro cavalheiro. Eu espero um livro só sobre o Gray, obrigada!

Confesso que fiquei com medo desse romance parecer a síndrome de Estocolmo. Por mais que seja uma releitura, fiquei feliz em ver que a autora criou um casal jovem. Mesmo imaginando para onde a história caminharia, gostei do desenvolvimento do romance entre eles. Harper estava desconfiada e o comportamento de Rhen não ajudava a melhorar esse sentimento. Ele podia ser teimoso e orgulhoso, mas em nenhum momento foi agressivo ou dominador.

Infelizmente, não sei como foi o seu comportamento com as garotas anteriores; já que não consigo aceitar o fato de que várias mulheres ficaram naquele castelo e só Harper foi capaz de despertar esse sentimento no príncipe. Entretanto, por ser a sua última chance e por estar deprimido, Rhen se sente esperançoso com a sua chegada. Ele não aguentava mais as transformações e a tortura da bruxa que causou tudo isso. Rhen estava cansado e queria se entregar.

O que Harper tem de tão diferente?

Harper é uma mulher de ação e liderança. Seu comportamento e desejo de salvar Emberfall, ir atrás dos criminosos e ajudar as pessoas do reino desperta otimismo em todos que cruzam o seu caminho. Eu só conseguia imaginar a personagem como uma coach. Brincadeira à parte, mesmo me envolvendo com a história e gostando da leitura, uma coisa me incomodou. De todas as mulheres que Rhen conheceu – e olha que foram muitas – só Harper tinha essas qualidades descritas no livro?

No entanto, gostei de conhecer Emberfall e Gray! Durante a história, nós veremos Harper em conflito, tentando decidir se salva o reino ou sua família. Inclusive achei que a autora trouxe uma excelente discussão a respeito: sobre se sentir responsável por situações que não temos controle. E Harper é um excelente exemplo, pois tenta assumir todos os problemas para si. Ela se sente culpada pela deterioração da saúde de sua mãe, por não conseguir ajudar a todos do reino e também por não conseguir se apaixonar por Rhen.

Temos que ter em mente que nem tudo está ao nosso alcance. Sob o nosso controle estão nossas opiniões, sonhos e desejos. Podemos escolher o que queremos para nossas vidas e como devemos nos comportar diante das situações. No entanto, não podemos controlar os fatores externos e gostei de como isso foi trabalhado no livro. Recomendo a leitura de Sombria e Solitária Maldição para todos que se apaixonaram pela Bela e a Fera.

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • alguns livros conseguem tocar sua alma de uma forma inusitada.

    Livros

    O Circo da noite – Erin Morgenstern

    Por

  • "Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória."

    Livros

    Mansão Gallant – V.E. Schwab

    Por

  • Melhor te amado, e deopis perdido, do que jamais saber o que é amo?

    Livros

    As musas – Alex Michaelides

    Por

comentários

  • Lucas Buchinger

    Oiii, Clay!

    A bela e a fera é um dos meus clássicos da Disney favoritos! Eu amo tanto toda a magia dessa história! Com certeza essa será uma leitura que iria amar! Já adicionei na minha lista! Já tinha lido um pedaço do post la no seu insta, lendo aqui agora fiquei mais curioso! Fotos espetaculares *-*

    responder
  • Pollyanna Campos

    Olá, tudo bom?
    Sou apaixonada por releituras de A bela e a fera. Não posso saber que saiu mais uma que já me dá vontade de ler. Adorei a premissa desse livro e também gostei muito de saber dessa protagonista feminina tão diferente, forte e íntegra. Já me deu vontade de ler só para conhecê-la e conhecer também este guerreiro que chamou tanto sua atenção. Uma pena que Rhen não tenha te cativado.
    Anotei a dica e espero poder ler em breve!
    Beijos!

    responder
  • Camila

    Olá tudo bem?

    Sou apaixonada por releituras de contos de fadas, em como os autores conseguem pegar uma história tão conhecida e transforma em algo novo e tão belo. Além disso, meu conto de fadas preferido é A bela e A Fera, então claro que eu gostei de saber da existência desse livro. Fiquei encantada com a premissa e, principalmente, pelas características da personagem principal, algo que não vemos sendo destacados por aí. Geralmente não nos deparamos com personagens com deficiência, ainda mais como personagem principal, então eu fiquei muito feliz e curiosa. Adorei sua resenha e, como sempre, suas fotos são lindas.

    responder
  • Michelle

    Olá, que resenha linda, confesso que nunca li A Bela e a Fera, assisti o filme e tenho pouca experiência com releituras, porém seu post me trouxe uma nova perspectiva, adorei suas fotos ficarão lindas e saber mais a respeito de um dos personagens também me chamou bastante atenção, enfim dica anotada por aqui, espero ler em breve!

    responder
  • Aline Coelho

    Adoro ‘A Bela e A Fera’ e já li algumas releituras e gostei de todas. Amei a dica e espero ler em breve.
    Parabéns pela leitura e pelos pontos detalhados na sua resenha, foi quase um estudo de caso.

    responder
  • Hanna Carolina Lins de Paiva

    Oi Clayci, eu não conhecia essa versão do livro, mas curti, principalmente porque a protagonista é tudo que você menos espera. Ela tem uma personalidade muito forte e determinada, que já me conquistou logo que cara. Está ai um livro que quero ler, vou até colocar na minha lista de espera. S2
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    responder
  • Gleydson

    Opa, tudo bem por aí?

    Que capa linda! Curti bastante, viu, assim como as fotos que você tirou para a postagem. Eu não conhecia a obra, mas, lendo a sua resenha, acredito que o meu personagem favorito também seria Gray. Uma das qualidades que mais admiro em personagens desse tipo de história é lealdade e que segue o coração. Adorei a dica.

    Abraços! ?
    http://www.acampamentodaleitura.com

    responder
  • Gleydson

    Opa, tudo bem por aí?

    Que capa linda! Curti bastante, viu, assim como as fotos que você tirou para a postagem. Eu não conhecia a obra, mas, lendo a sua resenha, acredito que o meu personagem favorito também seria Gray. Uma das qualidades que mais admiro em personagens desse tipo de história é lealdade e que segue o coração. Adorei a dica.

    Abraços! ?
    http://www.acampamentodaleitura.com

    responder
  • Kênia Cândido

    Oi Clayci.

    Achei sua resenha bastante interessante porque apresentou um livro interesse que eu não conhecia e adorei saber que é uma releitura contemporânea de a Bela e a Fera. Com certeza vou dar uma chance para ele o mais rápido possível. Ainda mais depois de ler algumas informações que aumentou minha curiosa. Obrigada pela dica.

    Bjos

    responder
  • Alisson Gomes

    Oi Clayci!!
    Menia eu conheci esse livro mexendo no Goodreads, achei a capa linda e quis ler, logo eu vi que ele seria lançado aqui no Brasil e fiquei ainda mais animado com a possibilidade de leitura, mas, não cheguei a ler a sinopse do mesmo, então, não sabia que era uma releitura, devo dizer que descobrir isso me deixou ainda mais animado porque eu adoro releituras!! Espero conseguir ler esse livro em breve, ele já está em minha lista de desejados!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    responder
Mais comentários
1 2

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • alguns livros conseguem tocar sua alma de uma forma inusitada.

    Livros

    O Circo da noite – Erin Morgenstern

    Por

  • "Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória."

    Livros

    Mansão Gallant – V.E. Schwab

    Por

  • Melhor te amado, e deopis perdido, do que jamais saber o que é amo?

    Livros

    As musas – Alex Michaelides

    Por

ir ao topo

Buscar no site

Frases do livro: A casa no mar Cerúleo Trechos do livro A sociedade de Atlas Trechos do livro: Mansão Gallant Dark Academia O que é?