Regras da Criatividade – aproveitando as oportunidades para agir

por Clayci

Em Regras da Criatividade iremos encontrar Tina Seelig, a autora que compilou diversos estudos de caso e um estudo completo sobre processo criativo. Mas não somente isso, ela também aproveitou o livro para nos apresentar pessoas que passaram por problemas complicados, ausência de perspectivas e tinham tudo para desistir. Porém, perseveraram e conseguiram obter novas oportunidades através de sua criatividade.

Entretanto, criatividade é complexa. O que é ser criativo? Do que isso depende e em que isso acarreta? Fora outras questões maiores ou ainda de cunho mais individual que surgem para cada pessoa em específico. Mas basicamente, ser criativo é encontrar soluções, inovadoras ou inventivas, para dificuldades ou problemas com os quais nos deparamos na vida. Ou ainda, ser criativo é encontrar ou desenvolver caminhos para nossa própria vida, principalmente se estivermos sem rumo, ou sem definição de para onde queremos ir e chegar.

Tudo isso é tratado em Regras da Criatividade por Seelig. Mas é uma forma tão informal e descontraída, que eu devorei o livro, por assim dizer, em poucas horas. Não conseguia parar de ler. Exceto para realizar os exercícios propostos.

Regras da Criatividade e seu processo

Em Regras da Criatividade, além do texto, temos um processo integrativo com exercícios propostos pela autora. Muito similar ao que ela costuma realizar com seus alunos no curso do Programa de Empreendimentos Tecnológicos de Stanford. Sendo diversas atividades propostas ao longo dos capítulos, de modo a trabalhar o que foi exposto no mesmo. Eles se complementam, portando o ideal é realizar todos e em sua devida ordem.

Ao final, você estruturará uma base para um processo criativo, mas ao mesmo tempo em que o está elaborando, já está sendo criativo em diversos aspectos. É muito interessante. Ao mesmo tempo, pode ser um tapa na cara, depende muito das circunstâncias em que você se encontra.

Todavia, o que muito me agradou são os esquemas ilustrativos. O do Ciclo da Invenção foi o principal, seguido do quadro de ações que envolvem paixão e autoconfiança.

Que caminhos seguir para ser criativo

Uma das melhores lições que compreendi com o livro de Seelig é que as motivações influenciam tudo que fazemos, mas também somos influenciados na forma de pensar. Podemos ficar num caminho delimitado e impositivo via outras pessoas, o que é muito comum. Ou podemos agir de forma mais libertadora e criativa, com base naquilo que objetivamos e imaginamos. E que por em praticar o que imaginamos pode nos levar muito longe, apesar de não acontecer da maneira que plenjamos.

Isso tudo depende das oportunidades, experiências, pessoas e caminhos que tomarmos. Desde que tenhamos foco e ponderação para equilibrar nossas responsabilidades e não permitir que ninguém nos direcione para baixo de maneira negativa.

E são tantos exemplos bons citados pela autora, que dá vontade de expor todos aqui. Mas prefiro mostrar a ideia central do livro. Nela a imaginação gera a criatividade, a qual leva para a inovação e consequentemente gera empreendedorismo. Entretanto, não leve esta última palavra ao pé da letra, pois podemos empreender nossa própria vida por exemplo, empreender uma nova organização num cômodo da casa, empreender uma horta caseira e assim por diante. Eu diria, com tudo que li, que empreendedorismo, no sentido do livro, gera ação que nos dá satisfação, realização e conquista. Nos leva alcançar algo e nos dá um sentido promissor da vida.

Não deixem de aproveitar a oportunidade de ler esse livro. 

Regras da Criatividade Book Cover Regras da Criatividade
Tina Seelig
Belas Letras
256

Neste livro, uma adaptação do curso que leciona na Universidade de Stanford, a professora Tina Seelig mostra de forma simples o passo a passo rumo à criatividade e à inovação. Para tal, ela apresenta o Ciclo da Invenção, um método autoral usado para esclarecer conceitos muitas vezes subjetivos que impedem a compreensão do que é criatividade e por consequência o uso de suas infinitas possibilidades. O Ciclo da Invenção traz um processo lógico para passar da inspiração à execução, e é complementado com cases e exercícios práticos. Tina faz com a criatividade o mesmo que já ocorre na física e na música – apresenta termos que nos ajudam a explicar a criatividade sem precisar recorrer a definições mirabolantes. Uma linguagem imprecisa para definir o processo criativo só dificulta as coisas, fazendo com que muitos pensem que a criatividade é um dom ou privilégio restrito a alguns gênios, quando, na verdade, ela está ao alcance de qualquer pessoa. Todos podem ser empreendedores e inventar o mundo no qual querem viver.

Você também poderá gostar:

2 comentários

Liv 1 de julho de 2020 - 09:20

Gostei da ideia do livro. Estou passando por um momento muito complicado profissionalmente, e acho que preciso abrir um pouco a mente para poder encontrar novos caminhos e superar alguns medos que eu tenho em relação a minha carreira. Gosto de leituras assim, que podem ajudar a impulsionar alguns aspectos da vida e adoro que tenham exercícios no meio também!
Abraço,
Liv | Resenhas Caóticas | A Odisseia | Instagram

responder
Flávia Queiroz 30 de junho de 2020 - 14:56

Tô adorando seus conteúdos, são os melhores!

Obrigada por compartilhar!

responder

Deixe um comentário