O museu das coisas intangíveis – e uma conversa sobre bipolaridade

por Posted on 58 Comments 4 min. de leitura 600 visualizações
O museu das coisas intangíveis - e uma conversa sobre bipolaridade

O museu das coisas intangíveis é da autora Wendy Wunder (que também escreveu o A menina que não acredita em milagres ) e foi publicado pela editora Novo Conceito.

[penci_review id”21952″]

SOBRE A HISTÓRIA

Vamos conhecer as duas melhores amigas Hannah e Zoe. Elas cresceram juntas e desde então são inseparáveis. Só que apesar de compartilharem seus segredos e inseguranças, as duas são muito diferentes uma da outra. Zoe chama a atenção por onde passa, enquanto Hannah faz de tudo para passar despercebida.

O que vou dizer agora pode parecer spoiler, mas não é e você notará isso logo nas primeira páginas. Zoe tem um distúrbio bipolar (esse distúrbio está associado a alterações de humor que vão da depressão a episódios de obsessão), mas não gosta do tratamento. Ela faz de tudo para fugir do hospital e Hannah tenta sempre ajudá-la quando surge alguma crise.

O museu das coisas intangíveis - e uma conversa sobre bipolaridade

Por conta desse distúrbio, Zoe tem algumas alucinações e acredita que os “alienígenas” estão chegando para mandá-la para um exoplaneta em torno de uma estrela anã entre as constelações de Cygnus e Lyra. Entretanto, tirando os pensamentos destrutivos, Zoe é uma excelente amiga e irmã. Sem falar que é uma pessoa extremamente criativa.

Seu irmão mais novo, Noah, tem a Síndrome de Asperger e assim como Zoe, adora tudo que envolve o espaço. No entanto, ele não consegue processar qualquer coisa irracional e não faz ideia como lidar com as emoções. Foi por isso que Zoe criou o “museu de coisas intangíveis” para ajudá-lo a entender sensações como medo, inveja, audácia, orgulho, verdade, perdão, vergonha e outros sentimentos que ela tenta ilustrar e definir para ele todos os dias.

MAS AS DUAS TIVERAM UMA EXPERIÊNCIA DESAGRADÁVEL

[penci_blockquote style=”style-3″ align=”none” author=”O museu das coisas intangíveis (pág.124)”]- Zoe. Preciso de contar a história do Coronel Sanders. – Quem é esse p… de Coronel Sanders? – Percebo que ela está alterada. Sei disto quando ela começa a usar demais palavras com “p” e “f”. – O cara que criou o KFC. Ele falhou mais de mil vezes com a receita original, até que finalmente deu certo. Você só falhou uma vez. Tem que continuar tentando.[/penci_blockquote]

As coisas começaram a sair do controle, quando Zoe teve uma crise e passou dias isolada dentro de casa. Enquanto Hannah tentava manter a sua rotina, descobriu que seu pai – que tem problemas com bebidas alcoólicas – roubou todas as suas economias. Ela juntava o dinheiro para a faculdade, vendendo cachorros-quentes todos os dias. Cansada dos problemas, as duas decidem viajar e se desligarem do mundo. Mas o que era para ser uma experiência divertida, acabou se complicando.

[penci_related_posts dis_pview=”no” dis_pdate=”no” title=”Não deixe de ler:” background=”” border=”” thumbright=”no” number=”1″ style=”list” align=”none” withids=”” displayby=”cat” orderby=”random”]

O QUE EU ACHEI DO LIVRO “O MUSEU DAS COISAS INTANGÍVEIS”

O museu das coisas intangíveis - e uma conversa sobre bipolaridade

Não estava tão animada por este lançamento, mas isso porque não gostei tanto da leitura de “A menina que não acredita em milagres” Porém quis dar uma chance para essa nova história, já que a sinopse é bem atrativa. Pensei que o foco do livro seria a doença de Noah, mas não é bem assim.

Pela primeira vez, tive contato com um personagem bipolar. Admito que gostei da proposta do livro e da cumplicidade entre as duas amigas. Contudo algumas coisas me incomodaram porque achei irresponsável como uma doença tão séria foi abordada pela autora. Não estou dizendo que ela não tratou o assunto com seriedade, mas que criou uma personagem que lidou com um certo descaso o problema da amiga.

UM POUCO SOBRE A DOENÇA BIPOLAR

A bipolaridade é uma doença psiquiátrica caracterizada por variações acentuadas do humor, com crises repetidas de depressão e manias As crises podem ser graves, moderadas ou leves e possuí tratamento. Gosto de livros que abordam distúrbios psicológicos, eles são informativos e ajudam apresentar determinados problemas para o leitor. Mas acho que isso deve ser trabalhado com cuidado.

O museu das coisas intangíveis - e uma conversa sobre bipolaridade

Quando finalizei a leitura, senti que as coisas poderiam ser diferentes se Hannah tivesse sido mais responsável em suas atitudes. Sei que estou falando de duas adolescentes, mas em todo momento, Hannah, se mostrou madura suficiente em suas decisões e análises. Muitas coisas ficaram em aberto e a autora não se aprofundou em questões que mereciam mais atenção.

Hannah também tinha os seus problemas familiares e preciso admitir que as duas amigas são fortes e determinadas. Depois que as duas caíram na estrada, senti que seria a oportunidade perfeita para Hannah ajudar a sua melhor amiga. Acreditei que com essa viagem, Hannah iria convencer Zoe de que ela realmente precisava de ajuda profissional. Entretanto, de repente, vi as duas se meterem em encrencas desnecessárias. Do nada elas estavam roubando lojas, mentindo, fugindo e colocando a vida em risco.

Em vários momentos Zoe deixou claro que seu psiquiatra alertou que ela era um perigo para si mesma e que por isso precisava de ajuda. Assim como em uma de suas alucinações, ela admitiu que faria algo contra ela mesma. Enfim, finalizei a leitura com vontade de jogar o livro na parede. Mas não serei tão injusta porque ele foi bem escrito e teve momentos de descontração.

Apenas achei que a autora poderia ter aproveitado melhor o enredo e apresentado essa doença de uma outra forma.

Receba as publicações por e-mail

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

58 Comments
  • Isabelle Brum e Silva
    janeiro 31, 2019

    Olá!
    Puxa, esse parece ser um daqueles livros que não podemos julgar pela capa, né?! (Achei ela tão bonita!). E a sinopse chame mesmo a atenção, especialmente por tratar de doenças psiquiátricas, que é um assunto que eu gosto de ler/ver na ficção. Mas, como você disse, é bom quando é bem trabalhado, e é uma pena que não seja o caso deste livro :/
    Enfim, parabéns pela resenha bastante sincera. Talvez eu até leia o livro algum dia, mas é bom que já vou sabendo que não é aquilo tudo, então agradeço.

    Beijinhos e bom fim de semana.

    • Clayci
      fevereiro 6, 2019

      Eu que agradeço o seu comentário <3
      Beijos

  • VANESSA BRUNT
    janeiro 25, 2019

    Sempre que acesso as suas palavras críticas fico com vontade de pegar um caderno e anotar tópicos infindáveis, Cla. É impressionante como você mergulha nas entrelinhas e consegue emitir isso de uma maneira tão clara e importante, sem deixar de lado discussões que podem passar despercebidas por outros. Fiquei encantada pelas diversas temáticas delicadas da obra e decepcionada, desde já, pela má condução de algo que poderia ser um tesouro formulado. Mas, de qualquer forma, foi sensacional conhecer mais sobre e já ter os alertas que deixou. Lindeza pura, como sempre!

    http://www.semquases.com

    • Clayci
      janeiro 28, 2019

      Ahh como fico feliz em ler isso.
      Seu livro está na minha TBR FINALMENTE e não vejo a hora de começar a leitura =D

  • Paloma
    janeiro 23, 2019

    Bom, ainda estou lendo esse livro . Estou no começo, mas não tenho muito o que falar ainda. Vamos ver… Pena que não curtiu muito. Espero gostar!!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    • Clayci
      janeiro 28, 2019

      Espero que a sua experiência seja diferente da minha =D

  • Karem
    janeiro 21, 2019

    Adoro livros que abordam temas como bipolaridade e , não tinha visto ninguém ainda comentar sobre o livro é fiquei bem curiosa sobre ele ainda mais com essa capa linda. Anotei a dica para depois procurar o livro.

    Bjus**

    • Clayci
      janeiro 28, 2019

      Obrigada, espero que vc curta a leitura.
      Pois não rolou por aqui rs
      Beijos

  • Fernanda Rodrigues
    janeiro 19, 2019

    Clayci,
    adoro como você estrutura as suas resenhas! O meu lado virginiano entra em êxtase cada vez que venho aqui – aliás, estava com saudades!
    Não conhecia este livro, mas me interessei pelo tema e achei o título sensacional.
    Obrigada por trazer esta dica de leitura para cá!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues

  • Marijleite
    janeiro 19, 2019

    Essa vontade de jogar o livro na parede é terrível!!! Ainda não li ele, mas até que achei interessante a premissa das duas adolescentes, a amizades e os problemas dela, pena que ao que parece a autora não deu um desfecho bom para a trama e os personagens.

  • Ruby
    janeiro 19, 2019

    Olá, Clayci, tudo bem?

    Acho que usar temáticas tão delicadas como essa precisa ter um pouco de estudo. Não estou falando de faculdade nem nada, existem livros e outras formas de estudo. E é bem irresponsável criar algo que pode ser uma gatilho ou uma influência ruim sem nem ter pesquisado antes. Lembro que tinha uma onda tão forte de romantização de estupro e síndrome de estocolmo, que era um absurdo.

    As pessoas deviam ser mais atentas, críticas e empáticas quanto a isso. Não sei se a autora fez isso de forma proposital para causar impacto ou não, mas é trite pela personagem não ter dado a devida preocupação quanto a isso.

    Tenha um ótimo final de semana!

    Abraços.

    newsfallenbooks.com
    Instagram: @blogfallenbooks

    • Clayci
      janeiro 28, 2019

      Exatamente Ruby.
      Não acho que seja necessário ser um especialista se a intenção não é aprofundar no assunto em si, mas senti que ela poderia ter aproveitado melhor o espaço e explorado mais desse assunto =D

      Beijos

  • Fernanda Fusco
    janeiro 17, 2019

    Como você, também gosto muito de livros que abordam distúrbios psicológicos, transtornos ou doenças, especialmente para conhecer um pouco melhor e entender a perspectiva dos envolvidos – embora nem todos os autores possam abordar de maneira adequada.

    Sobre bipolaridade, gostei bastante da HQ Parafusos: Mania, Depressão, Michelangelo e Eu, que é autobiográfica e conta sobre os altos e baixos da vida da autora. Já sobre autismo, achei linda a história Um algum lugar das estrelas (confesso que me chamou a atenção pela capa; as publicações da Darkside são fantásticas!). Ainda sobre autismo, já assistiu à animação Mary & Max?

    • Clayci
      janeiro 18, 2019

      Em algum lugar nas estrelas é lindo demais =) E nunca assisti essa animação…
      Recomendo Passarinha <3

      Muito obrigada pelas indicações *_*

  • cila-leitora voraz
    janeiro 17, 2019

    Oi Clayci, sua linda, tudo bem?
    Acredito que assuntos dessa importância precisam ser trabalhados com responsabilidade, O livro poderia até ter mostrado esse comportamento se fosse no contexto de informar o que uma pessoa com essa doença pode fazer, mas não foi o que aconteceu aqui pelo o que entendi. Uma pena, pois esse tema não é muito trabalhado. Gostei muito da sua resenha sincera.
    beijinhos.
    cila.

  • Ana Caroline Santos
    janeiro 16, 2019

    Olá, tudo bem? Eita que também tenho problemas quando nos enredos assuntos sérios são levados de forma leviana. Ainda mais bipolaridade, que eu tenho amigos que possuem e é um distúrbio complicado, e sei o quanto é necessário acompanhamento e entendimento. Não sei se seria um livro que leria, e confesso que nem tinha ouvido falar dele. Ótima e sincera resenha!
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

  • Dai Castro
    janeiro 16, 2019

    Realmente encontramos aqui dois assuntos bastante importantes como a bipolaridade e a síndrome de asperger. Um assunto que deveria ser explorado com um pouco mais de consciência e importância, mas achei um tanto irresponsável colocar um personagem tão importante para a história como a amiga dela, a tratar da doença como algo qualquer.
    Acho que a boa relação entre as amigas deve salvar bastante essa história, né? Quando eu vi a capa jurava que era uma hq haha Um beijo!

    • Clayci
      janeiro 18, 2019

      HAHAHA Eu tbm pensei que fosse uma HQ antes do lançamento XD~~~

  • Sara Kerolen Souza Oliveira
    janeiro 15, 2019

    oi tudo bem ?
    a capa do livro e bonita mas e uma pena que o livro não foi muito bom pra você realmente quando o autor não sabe abordar direito um tema acaba estragando a historia , acho que o livro não irar funcionar comigo então deixarei passar..

    Bjss

  • Nina Spim
    janeiro 15, 2019

    Oi, Clayci! Adorei ler mais sobre sua opinião. Acho que não vou dar uma chance, não, pensando bem. Eu falo muito de saúde mental, até porque convivo com problemas psicológicos, e acho inadmissível não usarem a literatura paraa conscientização. Eu entendo que nem sempre o autor precisa focar só na doença, mas achei horrível a guria saber que precisa de ajuda e a amiga nem aí. Eu converso muito com as minhas amigas sobre terapia e doenças psicológicas, até porque elas são inevitáveis, dependendo da rotina/ambiente, e eu nunca faria isso com alguém que sei que precisa de ajuda. Adorei suas fotos, como sempre lindas demais, mas passo a dica haha.

    Love, Nina.
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oi Nina
      Eu gostei da amizade entre as duas amigas.
      Gostei da autora ter criado uma personagem bipolar e confesso que ela mostrou traços marcantes da doença.
      No entanto, por ter poucas histórias assim, ela deveria ter se aprofundado mais

  • jaque reis
    janeiro 15, 2019

    Olá!
    Nossa é uma pena quando o autor(a) não sabe trabalhar com um assunto delicado nè?! Eu acho esta capa linda e confesso que foi um livro que me chamou atenção pela capa, mas fico triste pela autora ter criado personagens assim, é meio que desnecessário né!?! Adorei o post mesmo assim vou tentar ler, mas sem expectativas

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oba!
      Espero que sua experiência seja diferente da minha.

  • Pensamento Literário
    janeiro 15, 2019

    OII!

    Pena que o livro não te cativou, como bem ressaltado pelo menos a autora acertou em escrever o mesmo muito bem. A bipolaridade é algo sério e, não estou dizendo que não leria o livro, mas nada me deu expectativa para mergulhar nesse mar. A capa é legal, mas a sinopse não é tão atrativa. Enfim, obrigada pela originalidade.

    beijos!

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oi <3

      Muito obrigada.
      Se um dia conseguir dar uma chance para essa leitura, me diz o que vc achou

      Beijos

  • Cabine de leitura
    janeiro 15, 2019

    Tinha visto algumas chamadas desse livro, mas nem de longe conhecia a premissa e gostei bastante, apesar de ter pavor de livros que abordam problemas sérios de maneira superficial ou deixando de ressaltar a importância de ajuda médica, nesse caso! Trabalhei com uma pessoa bipolar é confesso que é muito difícil manter amizade com alguém assim, só entendo muito a doença para aceitar. Quero ler e ver se vou gostar ou ficar incomodada com essa abordagem.

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Foi exatamente assim que me senti.
      Achei que a autora tratou de forma superficial, algo sério
      Algo que merece atenção.

  • Juliana Xavier
    janeiro 15, 2019

    Nossa, faz tanto tempo que eu não ouvia falar da Novo Conceito que achei até que a editora tinha acabado… Bom saber que ela ainda sobrevive nesse mercado tão complicado. Mas o livro infelizmente não chamou minha atenção, acho que eu iria me irritar bastante com essa questão do descaso com a doença da amiga, sinceramente, em um mundo em que as pessoas normalmente não entendem esse tipo de doença é um desserviço.

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      HAHAHAH eles sumiram, né?
      Fiquei surpresa quando recebi livros deles aqui em casa XD

  • Alessandra Vieira
    janeiro 14, 2019

    Me interesso por histórias que possuam um fundinho de realidade, neste caso se tratando de uma doença séria e que por muitos é vista com desprezo e preconceito. Não conhecia a obra ainda, mas sua resenha despertou uma curiosidade em mim e vou adicionar á lista de leitura do ano 😀

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oba! espero que curta a leitura, Ale.

      Beijos

  • Thainá Christine
    janeiro 14, 2019

    Poxa, Clay! Confesso que o modo que a autora falou sobre bipolaridade, através do que a sua resenha me passou, aparenta ter sido com descaso e descuidado. Assim como você, eu também adoro ter contato com livros que abordam esses tipos de assuntos, principalmente para assim eu ter uma visão mais “íntima” da doença e de como uma pessoa pode lidar com a mesma. Mas, nesse caso, parece que a autora não fez nenhum desses dois. Eu nunca li nada com personagens bipolares, mas sei que não começarei por esse. Infelizmente, né?

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      =/ também achei uma pena.
      Mesmo gostando da amizade das duas meninas, senti que ela poderia e deveria ter se aprofundado mais

  • Fábrica dos convites
    janeiro 14, 2019

    Não conhecia o livro e não lembro de ler algo onde a bipolaridade esteja em destaque. Uma pena que não foi tão bem apresentado assim.
    Bjs Rose

  • Leh Pimenta
    janeiro 14, 2019

    Um pena que a autora tratou uma doença tão grave com tal leveza e descontração, principalmente pois não é algo tão comentado e conhecido então acaba passando uma ideia errada para quem não conhece sobre.
    A capa desse livro ficou maravilhosa, mas acabei desanimando um pouco com esse fato.

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oi Leh
      Mesmo sabendo da boa intenção da autora, sinto que ela poderia ter se aprofundado melhor e apresentado essa doença de outra forma.
      Se puder dar uma chance pra leitura um dia, me diz o que achou depois

      Beijos

  • Aninha
    janeiro 13, 2019

    Eu quero muito ler esse livro. Acho a premissa dele super bacana, já está na minha lista de leituras para esse ano ??

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Espero que curta a leitura Aninha =D
      Beijos

  • Ana Paula Lima
    janeiro 12, 2019

    Oiii!

    Falar sobre doenças mentais é muito dificil e poucas pessoas conseguem fazer isso com clareza e o cuidado necessário, infelizmente. Eu não conhecia o livro, e a autora apenas de nome, mas não sei se teria vontade de ler no momento.
    Gostei das fotos e da sua sinceridade com a resenha!

    Bjs

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Muito obrigada Ana =D
      E sim, é difícil abordar tais assuntos e precisa de uma pesquisa bem feita =)

      Beijos

  • Angel Meyer
    janeiro 12, 2019

    Achei o enredo muito criativo e fiquei com vontade de ler, vou adicionar já o livro na minha listinha de desejos
    Amei
    Beijos
    http://www.opsquerida.com.br/
    http://www.instagram.com/siteopsquerida/

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Oi Angel!
      Espero que curta a história, porque aqui não consegui gostar tanto assim rs

  • Cibele
    janeiro 12, 2019

    Olá!
    Já tinha visto essa capa nas redes sociais, mas não sabia do que se tratava. Gostei de conhecer um pouco dessa obra.
    Gosto bastante de livros que abordam distúrbios psicológicos, pois sempre aprendo bastante mas claro, como você disse precisa ter um grande cuidado para não escrever besteira.
    Já li um livro que aborda a síndrome de Asperger e gostei bastante, fico feliz que esse livro abordou esse tema também.
    É uma pena que você não tenha gostado tanto, mas adorei sua resenha.
    Beijos!

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Ahhh eu tbm adoro ler livros que abordem questões psicológicas. <3

  • Morgana Brunner
    janeiro 11, 2019

    Oiii, Clayci, como vai?
    Fiquei bastante interessada em ler esse livro por mais que sua avaliação tenha sido de apenas três estrelas, a bipolaridade é assunto que sempre procuro em tdos os livros que tenho a oportunidade de ler, este por si, não o conhecia e já me cativou de certa maneira. Além disso, a edição está linda.
    Beijinhos

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Ahhh então leia, sim!
      Inclusive se você tiver outras obras que falem de bipolaridade, para me indicar, eu aceito =D

      Beijos

  • Beatriz Andrade
    janeiro 11, 2019

    Oi, Clayci.
    Quando vi a capa desse livro eu a achei tão linda!
    A proposta da obra me interessa muito e gostei da premissa, é uma pena que tenha tido tantos pontos fracos. Eu acho que posso dar uma chance ao livro, mas leria sem grandes expectativas para não acabar me decepcionando.

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Espero que você consiga dar uma chance sim.
      Pq apesar de tudo eu gosto da amizade entre as duas meninas =)

  • Thainá
    janeiro 11, 2019

    Boa tarde!

    Achei interessante a proposta do livro, trazer esses temas um tanto quanto “complexos” para a maioria de nós. Gostei bastante da sua resenha e da forma como retratou os personagens, mas confesso que estou curiosa para saber o que te deixou tão irritada no final haha.

    Abçs

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      HAHAHAHHA
      se eu falar darei um spoiler daqueles
      XD~~~

  • Karini
    janeiro 11, 2019

    Tudo bem? Eu acabei de ler esse livro. Não o conhecia até receber em minha casa. Confesso que a história não foi o que eu esperava. Costumo curtir muito histórias em que se avisa algum tipo de patologia, mas essa me deixou chateada, justamente por também não ter curtido a forma como a patologia foi abordada. Além disso, também esperei que o enredo tratasse da questão mais de perto ou como ponto principal, mas como você mesma diz, não foi bem assim. Beijos.

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Infelizmente ela não funcionou aqui tbm
      Apesar de ter me distraído e gostado da amizade entre as duas.Senti que ficou muita coisa em aberto =/

  • Mirelly
    janeiro 11, 2019

    Oii, tudo bem?

    Mesmo gostando de histórias que tratam sobre distúrbios psicológicos, acredito que O Museu das Coisas Intangíveis não funcionaria para mim. Lendo sua resenha eu já peguei várias coisas que me deixariam super irritada com a obra, como: a autora ter tratado de forma irresponsável uma doença séria; ela ter deixado algumas coisas em aberto e não ter se aprofundado em questões que mereciam mais atenção. Essas coisas realmente deixam a leitura péssima para mim.

    Beijinhos!!

    • Clayci
      janeiro 15, 2019

      Infelizmente essa leitura também não funcionou por aqui =/

      Beijos

Previous
Doctor Who: Funko Pop da Missy (Review + Fotos)
O museu das coisas intangíveis – e uma conversa sobre bipolaridade

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE