Não Ficção

O Diário de Myriam – Um relato sensível e necessário sobre a guerra da Síria

O Diário de Myriam - Um relato sensível e necessário sobre a guerra da Síria

Meu nome é Myriam, tenho treze anos. Cresci em Jabal Sayid, bairro de Alepo, onde também nasci. Um bairro que não existe mais.

Eu sempre sinto dificuldades na hora de resenhar Histórias de Guerra porque nunca sei como abordar essa minha paixão pelo assunto. Não gosto do período (muito menos das consequências causadas por ela), no entanto, gosto dos aprendizados e de conhecer outras realidades. E quando a história é narrada na perspectiva de uma criança, faz com que o conteúdo fique ainda mais delicado.

Não faz muito tempo que eu li O Diário de Anne Frank, ele foi escrito por uma garota que vivenciou um dos períodos mais turbulentos da História. Durante dois anos, Anne viveu escondida junto com a sua família em um conjunto de cômodos nos fundos da empresa onde seu pai trabalhava. E conseguimos perceber como ela amadureceu em tão pouco tempo. Foi uma leitura dolorosa, pois deu pra sentir como a guerra mexeu com ela e todas as pessoas com as quais ela convivia.

O Diário de Myriam - Um relato sensível e necessário sobre a guerra da Síria

Os cheiros, os gostos, a felicidade agora estavam aqui, sob as ruínas, abafados sob os tetos desabados.

MYRIAM RAWICK

E ler O Diário de Myriam não foi muito diferente, ainda mais sabendo que se trata de uma guerra que ainda encontra-se em curso. Myriam tinha apenas 7 anos quando tudo começou; Ela morava em um bairro de classe média, com seus pais e sua irmã caçula. Ela relata os seus dias e conta como ficou o seu bairro, que já nem existe mais. Logo nas primeiras páginas, podemos sentir a leveza e a inocência dessa garotinha. Ela compartilha as lembranças da sua infância e ainda se recorda das brincadeiras, aulas, amizades, dos cheiros e gostos.

O Diário de Myriam - Um relato sensível e necessário sobre a guerra da Síria

Foi ali, pela primeira vez, que entendi o que significava a guerra.  A guerra era minha infância destruída sob essas ruínas e fechada em uma caixinha.

O Diário de Myriam

Foi em 2011, com o início da guerra, que a sua infância e inocência chegaram ao fim. Myriam passa a compartilhar os seus dias carregados de pânico, medo e dúvidas. Seus relatos são curtos, mas cheios de emoção. A sua forma de escrever faz com que a gente tenha uma pequena noção do que ela vive diariamente.

Tive que pausar a leitura diversas vezes, pois é muito angustiante ver uma criança narrando a guerra e vivendo diante do caos. Por mais que o objetivo seja mostrar o cotidiano e relatar coisas pessoais, é possível enxergar com muita clareza o cenário político e econômico da Síria. Sem falar da oportunidade de conhecer melhor as questões históricas que são omitidas.

O Diário de Myriam - Um relato sensível e necessário sobre a guerra da SíriaÉ uma leitura que recomendo para todos. O Diário de Myriam traz um relato emotivo e inocente de uma criança que foi obrigada a compreender, desde cedo, assuntos que nem deveria. Ela vivenciou uma chacina, teve que aprender como se esconder de uma bomba e viu pessoas que amava sofrerem e partirem. Aqui temos uma descrição cruel dos dias de guerra, onde é capaz de sentir os medos, as privações e algumas vezes a esperança.

São poucas páginas e até pensei que realizaria esta leitura em um único dia. No entanto, precisei ler de forma mais lenta para absorver as palavras e entender melhor os conflitos da Síria. Assim que finalizei a leitura, fui atrás de mais informações e esta guerra está longe de chegar ao fim. O que me deixa mais esperançosa é saber que a história de Myriam não existe só em sua memória, seus relatos estão alcançando o mundo.

O Diário de Myriam - Um relato sensível e necessário sobre a guerra da Síria

Não tem bombardeios hoje. Está quase calmo. Mas, ainda assim, não fomos para a escola. […] Papai diz que o presidente americano e o presidente francês querem nos bombardear e guerrear com a gente. Não entendo por que eles querem nos bombardear ainda mais.

O Diário de Myriam

 

 

 

Leia também

Pokémon GO: Guia Extraoficial

Clayci

Propósito – A coragem de ser quem somos (Sri Prem Baba)

Diego Lorenzo

Eu + Você = Nós

Clayci

48 comentários

Ana Caroline Santos 6 de dezembro de 2018 at 22:31

Olá, tudo bem? Sempre li muitos diários de relatos como esse, porém ainda não tive oportunidade de ler este exemplar. Espero mudar em breve pois como você disse é algo bem atual. Sou como você, onde preciso digerir as informações de forma gradativa, por isso nem querendo iria terminar a história em um dia. Sentimentalista como sou, absorvo de forma fácil situações tristes e com certeza me angustiaria fácil. Ótima dica e resenha!
Beijos,
http://diariasleituras.blogspot.com.br

Responda
Clayci 7 de dezembro de 2018 at 10:41

=/

Responda
Marcia Pimente 4 de dezembro de 2018 at 13:54

Oi,
Gostei muito da sua resenha sobre O Diário de Myriam. Vi a reportagem sobre esse livro e já fiquei super emocionada. É algo que, infelizmente, ela ainda está vivendo. Gostaria muito de ler o livro. Dica anotada.
Abrç

Responda
Clayci 7 de dezembro de 2018 at 10:16

Espero que consiga ler em breve.
Beijos

Responda
Aline Coelho Cury 2 de dezembro de 2018 at 22:22

Antes de mais nada, que diagramação linda no seu texto, senti como se tivesse visitando uma site profissional de notícias, seu blog está de parabéns … Super convidativo e confortável. O texto está maravilhoso, informativo e consegue despertar a curiosidade de futuros leitores.
Eu não conhecia o livro e apesar de não ler muito sobre o período, concordei com suas explicações de pq ler. É muito interessante ver o outro lado dessa realidade e penso que leituras assim nos fazem perceber o quanto somos abençoados no país em que vivemos, apesar de tudo de errado que tem aqui não sofremos com bombardeios etc.
Enfim amei conhecer suas impressões e valeu pela dica.

Responda
Clayci 3 de dezembro de 2018 at 10:56

Ahhh muito obrigada!
Fico feliz em saber que curtiu a minha resenha <3

E SIM vc disse tudo.
Quando mencionei que a leitura faz com que a gente tenha uma pequena noção do que ela vive, foi por conta disso.
Pq não conseguimos imaginar o que ela sofre, aliás toda a população de lá. Temos que agradecer por não vivermos situação parecida =/

Beijos

Responda
Marijleite 1 de dezembro de 2018 at 12:05

Olá, que bom que a garota pôde contar sua história para que mais pessoas possam entender esse conflito, essa guerra que infelizmente ainda continua, mas que triste ela ter vivido coisas que nenhuma criança deveria viver. É uma leitura que quero fazer, justamente para entender melhor o que acontece no país da narradora.

Responda
Clayci 3 de dezembro de 2018 at 12:32

<3 Espero que consiga fazer essa leitura futuramente

Responda
Maria Luíza Lelis 30 de novembro de 2018 at 22:23

Oi, Clayci! Tudo bem?
Eu fico super dividida entre ler ou não esse livro. Eu li poucos livros de guerra (todos ambientados na II Guerra) e foram leituras difíceis, embora bastante reflexivas. Acho muito doloroso, especialmente esses que relatam com mais detalhes o caos e o sofrimento causados por guerras. É muito triste ver o que o ser humano é capaz de fazer com outras pessoas. E quando são livros envolvendo crianças, acho mais triste ainda.
Por esse motivo, não sei se é uma leitura que eu faria, pelo menos agora. Mas acredito que seja um livro muito interessante sim, e que deve mexer com o leitor e trazer reflexões. Adorei sua resenha e vou considerar ler futuramente, em um momento que eu me prepare melhor para a leitura.
Beijos!

Responda
Clayci 3 de dezembro de 2018 at 12:33

Malu, confesso que fiquei destruida.
Não foi uma leitura fácil.
Por mais que os relatos sejam curtos, deu pra sentir sabe?
Mas ao mesmo tempo, pela visão da Myriam, deu pra sentir esperança.

Responda
Fernanda Santos Barroso 29 de novembro de 2018 at 21:12

Oi! Como vai?
Eu sempre tive muita curiosidade de ler histórias que são narradas durante a guerra, mas o máximo que consegui até hoje foi a ficção A Menina Que Roubava Livros. Depois de ter chorado muito, percebi que eu talvez não consiga ler relatos verdadeiros, pois meu coração dói ao imaginar o que essas pessoas passaram e passam. Sinceramente, não é falta de empatia, mas por não aguentar mesmo. Eu gostei muito da indicação e se algum dia eu conseguir, pretendo ler sim.
Abraços

Responda
Clayci 30 de novembro de 2018 at 09:41

Oi Fe! Realmente, é triste demais quando nos damos conta de que tudo que está escrito ali é real =/

Responda
cris 29 de novembro de 2018 at 15:00

Oi Clayci!
Estou ensaiando para ler o diário de Anne Frank eu tenho comprei não faz muito tempo, mas meu último livro que li sobre a guerra fiquei em choque ” Colecionador de Lágrimas, foi chocante e me marcou muito, mas com certeza irei ler esse também pois adoro livros que falam fatos reais ou sobre guerras que mudam a história. Parabéns pela resenha me deu muito a pensar e já anotei a dica, bjs!

Responda
Clayci 30 de novembro de 2018 at 09:41

Muito obrigada Cris.
espero que consiga dar uma chance para a leitura. Ela não é prazerosa, mas é necessária =D
Beijos

Responda
Bianca Ribeiro 29 de novembro de 2018 at 08:42

Realmente, esse livro é comovente. eu chorei muito lendo ele. Parece que ela tá falando com a gente né?!
Eu ainda não tive oportunidade de viajar pra Síria (até porque, né…) mas eu posso comparar a leitura desse livro com a viajem que fiz pra Alemanha e vi os campos de concentração Nazistas. É realmente uma sensação horrivel, eu chorei muito, mas apesar disso, a leitura é enriquecedora e muito boa pra gente repensar INUMEROS aspectos da nossa vida.

Responda
Clayci 30 de novembro de 2018 at 09:43

Oi Bianca, tudo bem?
SIM esse livro é forte demais, como todos os outros com relatos a respeito.
E realmente, sem condições de viajar para lá. Nem mesmo para ajudar, pois eles estão barrando todas as entradas e dificultando ao máximo =/

Responda
Beatriz Andrade 28 de novembro de 2018 at 22:54

Oi, Clayci. Eu também gosto muito de livros sobre guerra e acho estranho também abordar o assunto porque quase ninguém consegue me entender, quando falo que gosto de ler sobre guerras as pessoas me olham torto! inclusive estou lendo um livro sobre a Primeira Guerra Mundial que relata como foi difícil para os negros terem de lutar por um país (EUA) que não os via como pessoas, o inimigo estava dentro do próprio exército.
Voltando ao assunto, eu estou muito curiosa para ler esse livro, sei que vou chorar até desidratar, mas não vejo a hora de ler.

Responda
Clayci 30 de novembro de 2018 at 09:44

Sim , quase ninguém entende esse interesse pelo assunto, né?
Espero que consiga dar uma chance para essa leitura em breve..

Responda
Vivi 28 de novembro de 2018 at 15:00

Oi Clayci, estas histórias de guerra e reais também mexem bastante comigo. Quero muito ler o diário de Anne Frank, que já tenho e comprar este e ler também. Tua resenha ficou muito boa e as fotos estão incríveis.
Bjos
Vivi

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:07

Oi Vivi, muito obrigada <3
Super recomendo a leitura dos dois livros <3
Anne Frank é um diário com registros mais extensos e bem detalhados. Sofri bastante com essa leitura, mas gostei de ter lido.

Beijos

Responda
ana 28 de novembro de 2018 at 10:00

Olá 🙂

Eu quero muito ler esse livro, sabe? Mas até agora não consegui reunir coragem pra isso, assim como você disse lá em cima, eu não sei como me expressar quando se trata desse assunto. Histórias de guerra sempre partem meu coração >/3

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:09

Oi Ana <3

Eu pensei que conseguiria finalizar essa leitura no mesmo dia, por causa da quantidade de páginas. Mas é claro que não consegui.
Realmente exige bastante atenção, mas ao mesmo tempo aprendemos muito com a Myriam.
Beijos

Responda
Lívia Madeira 27 de novembro de 2018 at 20:09

nossa que livro importante e necessário! acho que mesmo angustiante é mt importante que a gente esteja ciente que esse tipo de horror ainda esteja acontecendo

http://www.tofucolorido.com.br
http://www.facebook.com/blogtofucolorido

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:14

SIMMMM
É um livro bem necessário =D

Responda
Cristina Barbas 27 de novembro de 2018 at 17:29

Oi, Clayci!

Primeiro, tenho que elogiar suas fotos… Que lindas! De encher os olhos…
Segundo, fiquei com muita vontade de ler este livro e saber mais sobre esta história…

Abraços, Cris

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:15

Ahh muito obrigada Cris <3

Super recomendo essa leitura =)

Responda
jaque reis 27 de novembro de 2018 at 17:02

Eu estou louca para ler este livro e também gosto de ler histórias que se passam na guerra, mas imagino que este deve ser uma leitura mais tensa ainda mais por ser uma história contada sobre a perspectiva por uma criança. Adorei a resenha, fiquei ainda mais curiosa para ler, espero fazer a leitura em breve.

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:18

Jaque, assim que surgir oportunidade, leia.
Super recomendo <3

Responda
Michelle Louise Paranhos 27 de novembro de 2018 at 16:57

Estou impactada com essa história. Li por diversas vezes o Diário de Anne Frank e sempre me emocionei muito, e esse, por ser uma história real, é ainda mais doloroso, eu queria saber como está a menina,,,Gostei do tema social, parabéns pela resenha! E que capa linda demais! Parabéns!!!

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:21

Esses livros são emocionantes, né? =/

Responda
Cabine de Leitura 27 de novembro de 2018 at 15:13

Já sei que vou chorar com o livro ao saber que quem narra é uma guria, sou uma manteiga pra essas coisas e assim como você eu tenho verdadeira paixão pelo assunto. Ainda não li nada sobre essas recentes guerras e imagino o quão angustiante foi a leitura. Recomendação anotada, quero ler.

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:22

Eu acredito que vc ira chorar sim, rs
É inevitável não se emocionar. O livro deu uma pequena amostra do conflito, mas só podemos imaginar, né?
Mesmo assim, recomendo muito a leitura =D

Responda
Dayhara 27 de novembro de 2018 at 14:44

Oi Clay, eu fujo um pouquinho desse tipo de narrativa porque acabo me envolvendo de fato e fico mal por dias, nao consigo imaginar como um ser tão inocente, pode sofrer consequencias de uma sociedade doentia. Em todo caso, adorei a sua resenha e vou reconsiderar a possibilidade de leitura.

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:23

Muito obrigada <3
Espero que consiga dar uma chance futuramente.

Responda
Larissa Xavier 27 de novembro de 2018 at 10:05

Olá,
Não sabia que esse livro se tratava de um assunto tão serio como a guerra e suas consequências e ainda narrado por uma criança estou com vontade de ler a esse livro e saber mais da historia dessa menina. Dica anotada

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:23

Ahhh espero que consiga dar uma chance pra essa leitura *_*

Responda
Nayla 27 de novembro de 2018 at 02:12

Sempre que eu vejo esse livro me lembro de a guerra que salvou a minha vida por ter uma temática semelhante.
Livros assim por menores que sejam exigem muito do nosso emocional pois realmente é triste ver uma criança presenciando tudo isso. Um dia lerei esse livro

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:32

Oi Nayla.
Recomendo a leitura, justamente pra tentar tirar essa semelhança entre esses títulos.
Pois nesse temos uma verdade nua e crua, por não ser ficção.
Por mais que eu ame a Ada, aquele livro já u ma versão romantizada da história =)

Beijos

Responda
Thami Sgalbiero 27 de novembro de 2018 at 00:56

Quando li a sinopse, ia mencionar exatamente isso, a similiariade com O Diário de Anne Frank, porém em um contexto diferente. Eu também pararia diversas vezes lendo, mas me parece que esse é um daqueles livros pesados mas necessários, sabe? Não conhecia e agora já vou colocar na minha lista.

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:32

Ahhh espero que consiga ler <3
Super recomendo

Responda
Camila Faria 26 de novembro de 2018 at 16:51

Oi Clay! Essa é a segunda resenha que leio desse livro e fiquei ainda mais interessada na leitura. Imagino que seja um texto super forte, mas acho TÃO importante ficar ciente do que se passa nesses países em guerra. Uma excelente indicação, sem dúvida! Um beijo :*

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:37

Oi Ca <3
Apesar de ser um relato triste, é uma leitura necessário.
recomendo

Beijos

Responda
Giorse Silva 26 de novembro de 2018 at 11:31

Nossa, Clayci… com certeza vou ler esse livro… O Diário de Anne Frank é um dos livros que mais marcou a minha adolescência… quando li… e até hoje é um dos livros mais marcantes que já li… particularmente gosto de leitura no gênero diário! É tão intimista e envolvente…
Beijos…

>>Blog da Gio<<

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:38

Fiquei feliz em saber que se interessou pela leitura <3
Mesmo sendo um relato doloroso, ele é bem necessário =/

Beijos

Responda
Betty Gaeta 26 de novembro de 2018 at 10:37

Não deve ser fácil crescer e viver no meio de uma guerra. Eu não sabia deste livro e adorei a resenha.
Beijos

Responda
Clayci 28 de novembro de 2018 at 15:39

Não mesmo =/
Muito obrigada Betty =)

Responda
Lilian 26 de novembro de 2018 at 08:07

Livros sobre guerra, me deixam com um sentimento estranho.
Estou lendo aos poucos o Diário de Anne Frank. Tinha ouvido falar tanto, mas nunca tinha lido.
Sobre guerras na Síria, nunca cheguei a ler nada. Imagino que deve ser bem impactante.

Beijos
http://orangelily.com.br/

Responda
Clayci 26 de novembro de 2018 at 08:49

É uma sensação que não dá para explicar, né?
Angustiante, mas ao mesmo tempo sabemos que a leitura é importante =/

Beijos

Responda

Deixe um comentário

* Seu comentário será enviado para aprovação.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE