Policial

Na Boca do Leão – Anne Holt

Na Boca do Leão - Anne Holt

Desde que li o primeiro livro da Anne Holt -publicado aqui no Brasil – criei uma relação com a autora. Sinto vontade de ler todos os seus livros e sou eternamente grata a editora Fundamento por trazer essa série pra cá. Mesmo não sendo publicada na ordem correta, acho a personagem Hanne Wilhelmsen maravilhosa e amo a forma com que a autora desenvolve as suas histórias.

Anne Holt já trabalhou no Departamento de Polícia de Oslo e isso faz com que suas tramas fiquem ainda mais interessantes. Hanne Wilhelmsen é a protagonista dessa série investigativa que se passa em Oslo. No entanto, apesar dela ser a estrela da saga, em Na boca do Leão o personagem principal será o seu colega de trabalho Billy T.

Billy T é um policial norueguês “levemente” incomum. Ele tem uma vida pessoal (e amorosa) complicada, mas é apaixonado pelo seus filhos. Hanne tem um grande respeito e carinho por ele; também confesso que gosto de ver os dois trabalhando juntos. Entretanto, me irritei diversas vezes com o seu modo de pensar e olha que levei em consideração a época em que essa história foi escrita. Outra coisa que levo em conta é a amizade e lealdade entre eles. Até porque Billy T. é um dos poucos policiais que compartilham respeito e afeição com a Hanne.

A CENA DO CRIME

Na Boca do Leão - Anne Holt

Enquanto Hanne está de licença, Billy T terá que investigar o assassinato da primeira ministra da Noruega. A polícia terá que apurar e descobrir as motivações do crime, dado que se trata de uma figura pública é preciso entender as circunstâncias e se há alguma ligação política no caso.

A primeira ministra tinha uma boa relação com os seus colegas de trabalho, mas era uma pessoa fechada. Ela tinha problemas familiares, porém poucas pessoas a conheciam de verdade. Durante a investigação veremos brigas internas e intrigas que ocorrem dentro do ambiente político.

A primeira ministra foi assassinada em sua sala e há poucas pistas para chegar até o culpado. A última pessoa que esteve em seu gabinete foi o juiz da Suprema Corte, Benjamin Grinde, que também fora seu amigo de infância. Ele será investigado, pois sua posição é comprometedora, tendo em vista que é presidente de uma Comissão que estuda o aumento de mortes de bebês por volta de 1965.

MINHA OPINIÃO

O que eu gosto da Holt é que ela não tem medo de criar personagens fortes, problemáticos e desagradáveis. São personagens que incomodam, trocam ferroadas e gostam de ser como são. Na boca do Leão explora os erros e acertos da sociedade. Além das implicações de poder, corrupção e nepotismo.

Mesmo com termos políticos a leitura é bem envolvente. Me interessei pela vida pessoal de cada personagem e deu para sentir o quanto é tóxico o ambiente na política. Eu gosto da agilidade e de como o Billy T. apura os fatos, contudo não gosto da forma que ele trata as mulheres.

Outra coisa interessante nessa história é a forma com que a imprensa trabalha com a política. Tem uma jornalista na história que me deixou extremamente irritada, ela não respeita e nem se preocupa em ser ética. Mas como eu disse, Anne Holt cria personagens para desagradar mesmo.

Gostei do desfecho e da resolução do crime. A leitura fluiu muito bem por aqui; e mesmo Hanne não tendo tanto destaque nessa história, ela foi importante e ajudou muito com o seu raciocínio. Quero ler mais dessa autora maravilhosa!

Leia também

Meia-Noite em Pequim – Paul French

Clayci

Números de azar – Anne Holt

Clayci

A Garota do Lago – Charlie Donlea

Clayci

Deixe um comentário

* Seu comentário será enviado para aprovação.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE