Setembro Amarelo: Criando coragem para enfrentar os meus medos

por Posted on 21 Comments 3 min. de leitura 439 visualizações

Meses antes de procurar por ajuda psicológica, me encontrei com uma amiga de infância. Depois de passarmos a tarde atualizando as noticias e tentando lembrar o nome de várias pessoas que fizeram parte da nossa época, decidi compartilhar a notícia com a mesma. Não consigo descrever a sua expressão, mas ela confessou que não fazia terapia por medo. Ela tinha medo de ser descoberta e enxergar algo desagradável sobre si mesma. Ela admitiu que não gostava de pensar muito sobre o seu passado e a terapia faria com que seu mundo mudasse drasticamente; uma vez que ela criou um jeito de bloquear e fantasiar tudo aquilo que ela fez questão de esquecer.

Minha amiga me parabenizou e disse que eu era muito corajosa, pois eu iria entrar em uma salinha fechada e expor tudo aquilo que evitei falar por todos esses anos. Não foi a melhor reação do mundo, entretanto, senti que foi sincero e que ela realmente estava feliz por mim.

Eu não tinha segredos, por isso consegui lidar muito bem com a primeira sessão. Na época os meus conflitos eram pequenos e afáveis, ou seja, aquela sala era enorme e capaz de guardar/absorver todos os meus problemas. Para ser sincera, eu me sentia privilegiada por ter uma hora para falar sobre mim. Ia uma vez por semana e enxergava isso como um presentão para o meu ego.

HORA DE ENFRENTAR OS MEUS MEDOS

Mas as coisas mudam, não é mesmo? Depois de algumas sessões, quando eu pensava que não tinha mais nada para falar sobre mim, descubro que os meus conflitos cresceram. Não sei dizer ao certo como consegui chegar nessa fase; Se foi maturidade (ou falta dela), reflexão, sensatez, responsabilidade ou qualquer outro sentimento capaz de despertar preocupação e pânico. No entanto, fui sentindo que a sala foi encolhendo junto com o meu corpo em total resistência.

Comecei a faltar, procurar desculpas para não ir, cancelar consultas até ter coragem de romper e soltar a seguinte frase “Olha, psicólogo, eu estou muito bem. Eu mesma estou me dando alta, porque sinto que não preciso mais de ajuda”.(tá, não foi bem isso que eu disse). Fiquei com medo de romper esse laço e ouvir um sermão, contudo não foi isso o que aconteceu. Não sei dizer se é uma reação comum (deve ser), se foi bom ele não ter me questionado, porém consegui mentir para mim mesma que fiz o que era certo.

Hoje, depois de várias crises de ansiedade, noites sem dormir, separações, discussões, soluços, apertos acompanhados de “eu já passei por isso e sei que vou sair dessa“; consigo enxergar que a minha amiga tinha razão. Realmente, é preciso ser corajoso para se descobrir. É preciso ter coragem para se abrir e confiar a sua vida para um estranho. Eu já fui corajosa, hoje já não sei mais. Só que eu continuo tentando e não quero desistir.

Minha Playlist para aqueles dias pesados em que só precisamos chorar =´)

Receba as publicações por e-mail

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 Comments
  • Carol Caetano
    outubro 9, 2018

    Gostei da sua postagem, sempre estou visitando seu blog e lendo suas postagens.. Seu blog está salvo em meus favoritos..

    Parabéns!

    Amo seu blog ??..

  • Jéssica Melo
    outubro 1, 2018

    Olá Clayci, adorei seu texto, é bem difícil mesmo se abrir para alguém desconhecido mesmo que você não tenha grandes segredos escondidos, mas enfrentar esse medo e conseguir se abrir ajuda a trazer uma nova visão de tudo *-* Por isso toda vez que alguém fala que esta fazendo algum acompanhamento com psicologo fico feliz pela pessoa por esta enfrentando seus medos e a pressão da sociedade que tem uma visão distorcida sobre esse tipo de tratamento.

  • Anny
    setembro 26, 2018

    Eu fiz um tratamento a muitos anos atrás , e confesso que eu tenho vontade de voltar. No entanto as vezes bate a insegurança de ter q encarar de frente algumas questões, que as vezes podem ser culpa minha mesmo, e não conseguir lidar com isso.
    Ja me falaram que é assim mesmo, vc precisa encarar. Mas as vezes eu me pego falando comigo mesmo.. Conhecimento é poder, mas as vezes a ignorancia é uma benção rs.

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Anny fico muito feliz por ter compartilhado isso comigo, muito obrigada.
      Mas volta SIM! Consegui outro profissional e vamos ver se isso ajudar rs

  • Marijleite
    setembro 25, 2018

    Oi Clayci, obrigada por compartilhar um pouco da sua experiência com a gente. Realmente, o medo muitas vezes nos impede de falar, tentamos manter escondido aquilo que é difícil de encarar, e é preciso coragem, em alguns dias a gente consegue, nos outros, continuamos tentando.

    Amei ver Photograph na sua playlist, amo essa música.

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Essa música é linda demais *_* Não me canso de ouvir

  • Maria Luíza Lelis
    setembro 24, 2018

    Oi, tudo bem?
    Eu sei como é difícil se abrir para uma pessoa desconhecida e relevar os sentimentos mais profundos que a gente vai guardando, realmente existe coragem. No entanto, acho que esse relato tão sincero que você escreveu, já é uma grande demonstração de coragem.
    Eu fiz terapia um tempo, inicialmente, por estar um pouco perdida em relação à minha vida profissional. No entanto, à medida que as sessões foram evoluindo, comecei a perceber que haviam outras partes da minha vida que tinham conflitos importantes e foi se tornando mais difícil falar sobre os meus sentimentos. Eu também comecei a procurar desculpas para não ir, porém, por várias circunstâncias, eu não parei e chegou um momento em que começou a ficar mais fácil colocar para fora. Pela experiência que eu tive, acredito que a terapia seja um processo longo e, muitas vezes, doloroso, mas o resultado acaba valendo a pena. Hoje em dia, eu defendo que todo mundo deveria fazer, pois todos guardamos conflitos que muitas vezes nem percebemos.
    Gostei muito do seu texto e espero que você decida voltar para a terapia. Mas nunca pense que você não é corajosa. Esse desabafo que você fez já é uma prova de sua coragem e tenho certeza que você será forte para superar seus conflitos.
    Beijos!

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Seu comentário alegrou meu dia <3
      Obrigada por compartilhar isso comigo.
      Não desisti, por enquanto vou passar com outro profissional =)
      Mas ainda pretendo voltar no antigo, quando me sentir melhor.

  • Alice Lacerda Montiel
    setembro 23, 2018

    Oiii Clayci

    Quando eu era pequena passei algum tempo por um psicólogo, minha mãe é depressiva e isso afetou muito minha infância, a ida ao psicólogo foi uma sugestão do meu pai, que tb foi afetado e tb precisou passar por um mesmo depois do divórcio.
    Eu tinha tipo uns 7 anos e lembro que eu chegava e brincava, tinha vários brinquedos lá, e apsicólogo (super profissional, talentosa e maravilhosa) assistia as brincadeiras e à partir daí conseguia me analisar. Eu lembro que quando ela me analisava, era tão certeiro, que me irritava. Eu queria gritar quando ela começava a falar, queria pedir para ela parar, porque doía alguém conseguir me “ler” daquela maneira, eu me sentia exposta e não queria, não tinha coragem nem pra querer ouvir o que ela dizia e lembro que uma vez cheguei a tapa ros ouvidos enquanto ela falava, numa crise de rebeldia infantil mesmo. Hoje sinto falta daqueles momentos, mas ao mesmo tempo sou covarde pra ser analisada de novo, embora sei e sinto que há muito o que contar e muito o que “resolver” dentro de mim.
    Post ótimo, tu escreve com o coração e a gente sente essa sinceridade latente em cada palavra, Clayci, vc já é corajosa demais simplesmente por expor tanto de ti aqui.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Alice, muito obrigada por compartilhar isso comigo <3
      Eu imagino como deve ter sido dificil conviver com todos esses problemas, carregá-los desde cedo.
      Mas por favor, não desista não. Procure um profissional =) vc merece o melhor =D

  • Beatriz Andrade
    setembro 22, 2018

    Oi, Clayci!
    Por algum tempo, eu pensei como a sua amiga, eu tinha medo de ir a um psicólogo por medo não do que iria descobrir lá dentro, mas medo do que as pessoas ao meu redor falariam. Na adolescência tive transtornos alimentares e depressão, consegui vencer a anorexia e lutei ainda mais para vencer a bulimia. Mas tudo sozinha, minha mãe me obrigava a comer e me batia quando eu recusava, se me pegasse vomitando era ainda pior. A depressão eu não tive apoio médico algum, hoje sinto a necessidade de ter ajuda de um profissional. Mas a saúde pública é um verdadeiro caos e o particular é um pouco puxado para mim, sabe o que os médicos da clínica da família falam quando solicito encaminhamento? Que eles só encaminham para psicólogo em último caso. Desculpe o desabafo!

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Nossa Bea, que horrível isso =/
      Muito obrigada por compartilhar comigo.
      Torcendo aqui para conseguir encontrar um profissional logo =) Vc merece o melhor

  • Sheyla - DMulheres
    setembro 22, 2018

    Clayci
    Crescer dói demais! Se descobrir e se aceitar com todos os defeitos, incomoda muito! Nunca é tarde para voltar e recomeçar. Seja forte, pois tudo passa, sei que a ansiedade, depressão e tudo mais envolvendo estas doenças da alma… chegam quando menos esperamos e pensamos que nunca mais vamos sair delas. E somente com muita paciência, muito amor por nós mesmos e vontade de aceitar-se pode fazer enxergar a luz no final do túnel.
    Coragem e pode contar comigo sempre!! Amei o desabafo e muito bom estes tipos de posts, para vermos que a dor do outro é muito parecida com a nossa e podemos ajudá-los de alguma forme.
    Beijos e um bom final de semana!
    ? Blog DMulheres ? Instagram ? Fanpage

    • Clayci
      setembro 27, 2018

      Muito obrigada amiga querida <3
      Um super beijo aqui do Brasil

  • Vivi
    setembro 21, 2018

    Oi Clayci, realmente não é fácil falar de nossos sentimentos para ninguém, até que para um profissional, talvez se consiga, mas para qualquer outra pessoa, fora de cogitação, ninguém nos entende, acham que é frescura, que queremos aparecer ou inventando desculpa. Mas enfim, lendo teu relato, tenho certeza que não estou sozinha, hoje meus problemas estão mais relacionados a ansiedade, mas já tive até ataques de pânico.
    Bjão
    Vivi

    • Clayci
      setembro 21, 2018

      A ansiedade quando não é tratada pode virar outros transtornos mais complicados =/
      Ainda bem que vc buscou ajuda <3

  • Lorena
    setembro 20, 2018

    Oi, tudo bem?

    Eu compreendo muito (ou um pouco) sobre o que está passando, não sofro de ansiedade mas receio que tenho começo de depressão (ou a própria mesmo) e o estranho é que tem muitos momentos que estou na pior mas depois passa e do nada ela aparece e ainda pior do que a anterior, eu admiro muito sua coragem tanto de desabafar como postar algo assim e isso é importante pois pessoas como eu acabamos nos sentindo menos esquisitos ao imaginarmos que não estamos sozinhos, parabéns pela sua luta, ela não será em vão.

    • Clayci
      setembro 21, 2018

      Muito obrigada Lorena.
      Amei o seu comentário e saber que gostou do que compartilhei.
      <3

  • Patrícia Ferreira de Morais
    setembro 20, 2018

    Realmente, enfrentar os medos é bem mais difícil do que parece. As vezes temos receio de ir, sentar e falar sobre nós mesmos, e descobrirmos que as coisas estão pior do que imaginamos. Eu mesmo sofro com ansiedade, precisei ir em dois médicos achando que era uma coisa, fiz vários exames que não deram nada, para o médico virar pra mim e falar que poderia ser sintomas de ansiedade. Mesmo sabendo que tinha, acho que eu tentava me enganar sabe, precisei ir em dois médicos para cair na real, agora estou procurando um psicólogo. Adorei o post Clayci. Vamos sim enfrentar nossos medos por mais difíceis que parecem. Fique bem. <3

    • Clayci
      setembro 20, 2018

      Oi Paty!
      Procura um psicólogo sim <3
      Ansiedade se não tratada pode virar outros tipos de transtornos, por isso é importante o acompanhamento.
      Fiz essa publicação como desabafo, mas não quero de jeito nenhum desmotivar a busca de um profissional, sabe? Tanto que voltarei para as minhas sessões e to tentando ser forte rs

      Beijos

Previous
Dicas valiosas para fotografar sem flash
Setembro Amarelo: Criando coragem para enfrentar os meus medos

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE