SOBRE A HISTÓRIA

Em Kindred, Dana está vivendo uma nova fase ao lado de seu marido Kevin. Eles estão se mudando para uma nova casa e colocando as coisas em ordem. Ambos compartilham a mesma paixão pela escrita; Kevin já conquistou um certo nível de sucesso e agora Dana está atrás do seu. No meio da arrumação, Dana se sente mal e desmaia, só que para desespero de Kevin ela não apenas desmaia, desaparece.

Ela desperta em um local diferente, próximo a um rio. Sem saber o que está acontecendo, nota que uma criança está se afogando e a mãe grita desesperada por ajuda. Comovida e assustada, Dana salva a criança e quando o pai do menino chega, ela só consegue notar uma arma apontada em sua direção antes de desmaiar de novo.

Dessa vez ela acorda em sua casa como se nada tivesse acontecido. De acordo com seu marido, ela ficou fora por alguns segundos e reapareceu em um local diferente da sua partida. Enquanto o casal tenta entender o que aconteceu, Dana desmaia de novo. Agora ela acorda em uma casa, com um garoto ruivo colocando fogo nas cortinas de seu quarto. Após salvar o menino ela se dá conta de que é o mesmo que estava em perigo no rio, no entanto, enquanto em sua memória passaram apenas alguns minutos, para o garoto foram anos.

VIAJANDO NO TEMPO

Enquanto está presa naquele ambiente, ela se dá conta de que voltou no tempo, mais ou menos cem anos no passado. Por mais que ela não consiga compreender o porque isto está acontecendo, Dana se dá conta de que possui uma ligação com este menino ruivo que se chama Rufus. Cada vez que ela retorna ele está em uma situação de perigo e mais velho.

Kindred: Laços de Sangue - Octavia E. Butler


“(…) Talvez você tenha razão – disse. – Espero que tenha. Talvez eu seja só uma vítima de roubo, estupro ou algo assim… Uma vítima que sobrevive, mas não se sente mais segura. – Dei de ombros. – Não sei explicar o que aconteceu comigo, mas não me sinto mais segura.”

Kindred

MINHA OPINIÃO

Eu já devo ter comentado por aqui que adoro histórias com viagens no tempo. Dificilmente leio sinopses, mas quando dei de cara com a de Kindred, tive que dar uma chance para o livro. Este foi meu primeiro contato com a autora e por mais que a ideia de viagem no tempo não seja explicado na trama, gostei da forma com que Octavia a usou para abordar e explorar assuntos tão necessários.

A experiência de viajar no tempo pode ser maravilhosa, mas nesse ambiente e nas condições de Dana, não era. Ela é mulher, negra e voltou em um período da História em que a escravidão estava presente; vivenciou humilhações, chibatadas, mortes, estupros e tudo de desumano que havia naquela época. Foi extremamente triste e incomodo ler as cenas de açoite que os escravos sofriam. Gosto quando os autores conseguem nos colocar dentro da história, porém por mais que seja necessário para reflexão, foi triste assistir essas cenas através das páginas. Causou um misto de sensações, mas a principal foi de impotência.

Kindred: Laços de Sangue - Octavia E. Butler

Ver algo tão importante, que é a liberdade, ser tirado tão facilmente, assusta. A violência está presente em todas as cenas que Dana volta ao passado. Em sua estadia, ela se aproxima de algumas escravas e cria ligações com elas. E por mais que eu tente ser racional e leve em consideração a época da História, não consegui sentir empatia nenhuma por Rufus. Ele é um homem do seu tempo e mesmo se “apaixonando” por uma escrava. não se importa com seus sentimentos e se for preciso irá forçá-la a ficar com ele.

UMA LEITURA NECESSÁRIA

Não consegui nem mesmo aceitar a relação entre Dana e Rufus. Ela salvou sua vida diversas vezes e nem assim ele mudou o seu comportamento. E vê-la tratando-o com apelidos carinhosos, me fez sentir vontade de jogar o livro na parede. Reconheço que ele foi negligenciado quando criança e que Dana tinha um pouco de esperança de que seu comportamento mudasse com o tempo. Entretanto, só piorou.

Mas não pense que não gostei da história. Octavia Butler é dona de uma linguagem excepcionalmente envolvente. Mesmo me sentindo nauseada em várias páginas, não tive vontade de abandonar a leitura. Dana é uma mulher incrível e fez de tudo para ajudar enquanto estava no passado. Kevin acabou voltando no tempo com ela e confesso que fiquei com medo dele se acostumar com aquela vida. Por ser branco e homem, tinha vários privilégios e apesar de tudo, estava gostando daquela experiência.

Eu poderia passar o dia falando de Kindred, mas quero muito que você dê uma chance para a história. Se tornou uma das minhas favoritas!

Kindred Book Cover Kindred
Octavia E. Butler
Ficção Científica
Morro Branco
432

MAIS DE MEIO MILHÃO DE CÓPIAS VENDIDAS NO MUNDO.

Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça.

Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida... até acontecer de novo. E de novo.

Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.