Como anda sua imagem? Já olhou para dentro de si hoje?

por Clayci
39 comentários 2385 visualizações

Hoje a publicação será um pouquinho diferente. Convidei meu amigo e psicólogo Leonardo Lima para conversar com vocês. Se gostarem do conteúdo, não deixem de comentar, porque assim ele aparecerá mais vezes por aqui. [/penci_blockquote]

Já olhou para dentro de si hoje?

Aquilo que me é estranho, que não consigo identificar no outro, é muito mais íntimo de mim do que realmente suponho, seja para o bem, seja para o mal.

Assim o estranho se transforma por um processo de projeção, ao não se reconhecer em si aquilo que vê no outro, seja por manifestar-se em nível inconsciente, seja por um julgamento social, que passa pela defesa, pelo crivo de um forte e inescrupuloso superego.

O que é na verdade meu, se torna parte do outro, pois deposito nele, e assim o julgo e passo a vê-lo, repleto daquilo que é meu.

Quão mais fácil é tornar concreto através de um outro sujeito, aquilo que é imundo em mim, quão intimamente é prazeroso, mesmo que só inconscientemente.

Nos regozijamos pela dor, pelo fracasso e pela derrota do outro, não por sermos maus no sentido moral e perverso, não no sentido de descaso pelo outro que está ao nosso entorno, mas porque ainda temos traços do nosso primitivismo constitucional.

Em diversos textos de Freud, destaco aqui o “Mal-estar na Civilização “, “Totem e Tabu”, “O Futuro de Uma Ilusão“, “Além do Princípio do Prazer“, e em diversos textos de Nietzsche, como a “Genealogia da Moral“, “Além do Bem e do Mal“, entre diversos outros de ambos pensadores, encontramos a origem da Cultura, da Civilização, das Sociedades, e da vida humana em grupo, sustentando-se quase totalmente numa farsa, que se mantém e protege a manutenção e continuidade da vida de homens e mulheres.

Mudando do paradigma da lei do mais forte, daquele que impõe seus desejos ao outro, para a lei positivista, que torna-nos “iguais”, na verdade, colocamos apenas mais um véu naquilo que continua a ser como é, como cada dia mais percebemos, a força física mudou para a força do capital, da fé, do status e do consumo.

A história revela cada vez mais como a humanidade é cíclica, assemelhando-se a uma espiral, na qual situações muito semelhantes ocorrem mesmo transcorridos muitos e muitos anos, somos dinâmicos como as pulsões que nos acompanham, mas quase estáticos, como o tempo que tentamos tornar concreto, mas que nada é além de abstrato, mosaico e subjetivo.

[penci_blockquote style=”style-3″ align=”none” author=””]Leonardo Pereira Lima
Psicólogo Clínico Palestrante e Professor
CRP/SP: 108262
Telefone: (11) 99881-9514
Email: leolimapsico@gmail.com
Facebook / Instagram /Site[/penci_blockquote]

Você também poderá gostar

39 comentários

Fábrica dos convites 6 de novembro de 2018 - 11:18

Tento sempre fazer isso, ainda mais depois de alguma briga ou discussão, pois acho importante refletir sobre meus próprios atos.
Bjs, Rose

resposta
Karine Fernandes 29 de outubro de 2018 - 16:02

Como é difícil nós olharmos para nós mesmos né?! Achei muito interessante o texto, bastante reflexivo e quando analisado questionador. Adorei mesmo. Ótima reflexão. Parabéns e obrigada por ter trago para todos nós.

Beijão.

resposta
Clayci 29 de outubro de 2018 - 18:02

Obrigada Karine <3

resposta
Sheyla - DMulheres 23 de outubro de 2018 - 12:20

Clayci
Auto análise sempre, a vida mesmo é cíclica e tudo acontece por vezes e vezes igual!! Amei o conteúdo , parabéns ao psicólogo.

Beijos e uma excelente semana!
? Blog DMulheres ? Instagram ? Fanpage

resposta
Clayci 23 de outubro de 2018 - 17:08

Muito obrigada Sheyla <3

resposta
Vanessa 22 de outubro de 2018 - 21:54

Olá! Tudo bem? Não faz muito tempo que estive em uma sessão de terapia e uma das coisas que notei é essa dificuldade que nós como seres humanos temos de assumir nosso lado “feio”. Achei que o texto foi claro em abordar esse ponto o que deixa aí um ponto para reflexão.
Gostei bastante. Beijos!

resposta
Clayci 23 de outubro de 2018 - 17:22

Muito obrigada Vanessa <3

resposta
Beca 22 de outubro de 2018 - 18:52

Eu estou sem palavras.
“O que é na verdade meu, se torna parte do outro, pois deposito nele, e assim o julgo e passo a vê-lo, repleto daquilo que é meu.” Isso é tão real e visceral que incomoda.
Texto sensacional, por favor, traga-o mais vezes.

resposta
Clayci 23 de outubro de 2018 - 17:33

Obrigada Beca <3
Pode deixar que vou providenciar mais textos com o Leo.

resposta
Elsie 21 de outubro de 2018 - 17:54

Hi Clay! I’m dreaming of the day you start writing in English. I hate using the translator because it never looks perfect.
Your pictures are beautiful. And I liked the publication … UK kisses.

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:58

Hi! I’m glad you liked my photos.
Sorry, but I still do not feel prepared to write in English.
BR XoXo

resposta
Priih 21 de outubro de 2018 - 12:32

Oie, tudo bem?
Gostei da reflexão, e acabei lembrando de situações que colocamos expectativas no outro, esperando determinadas atitudes (o que não acho legal).
Beijos,

Priih
Infinitas Vidas

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:31

Estou bem Prih e você?
Muito bom o texto, né?
Fico feliz que tenha gostado <3 Muito obrigada

Beijos

resposta
Sofia Moniz 21 de outubro de 2018 - 11:30

Amei este texto! Por vezes andamos tão atarefados no stress do dia a dia que nos esquecemos daquilo que é verdadeiramente importante!
Beijinhos,
Blog An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
Youtube

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:32

Oi Sofia, tudo bem?
Muito obrigada pelo comentário.
Fiquei feliz em saber que gostou do texto.

Beijos <3

resposta
Kelly O. 21 de outubro de 2018 - 11:28

Eu gostei e quero mais textos assim, mas seria possível conversar em uma linguagem mais popular?

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:35

Oi Kelly, fico feliz que tenha gostado.
Pode deixar, em breve teremos mais textos.

Beijos

resposta
Thais 21 de outubro de 2018 - 11:28

Adorei a reflexão.

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:35

Obrigada Thais <3

resposta
Cássia 21 de outubro de 2018 - 10:54

Gostei! O texto é profundo e nos traz muitas verdades sobre a humanidade que as vezes nos recusamos a acreditar

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:37

Fico feliz que tenha gostado <3
Muito obrigada .

Beijos

resposta
No Conforto Dos Livros 21 de outubro de 2018 - 10:33

Olá!! 🙂

Eu gostei da publicação diferente de hoje! Sinceramente leva-nos a pensar bastante e maioritariamente a concordar com o que é escrito.

Decididamente, a Humanidade é cíclica… no interior e no exterior… Nos erros cometidos enquanto grupos.

Boas leituras!! 😉
no-conforto-dos-livros.webnode.com

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:37

Ahh que bom ter você aqui.
Muito obrigada, fiquei feliz em ler seu comentário.

Beijos

resposta
Ana Rita Nascimento 21 de outubro de 2018 - 08:17

Gostei imenso deste tipo de publicação! Podes trazê-lo mais vezes!
Beijinho, Ana Rita*
BLOG: http://www.margheritablog.com/ || INSTAGRAM: https://www.instagram.com/rititipi/ || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:38

Pode deixar, Ana.
Muito obrigada

Beijos

resposta
Joice Cardoso 21 de outubro de 2018 - 00:33

Oi Clay, na minha adolescência isso já foi uma questão para mim, mas que consegui trabalhar e hoje já me enxergo de outro jeito.
Lindo texto e principalmente, necessário. As vezes tudo que uma pessoa precisa é ler algo tão inspirador assim.

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:41

Oi Joice!
Como fico feliz em saber disso. É tão bom quando conseguimos superar algo e enxergar as coisas por outras perspectivas, né?
Muito obrigada por compartilhar isso comigo <33
Beijo

resposta
Debyh 20 de outubro de 2018 - 15:56

Olá,
Sobre a humanidade ser cíclica creio que é verdade, tanto é que muitas coisas tendem a se repetir por conta do tempo. Não entendo muito os textos filosóficos mas o texto realmente é condizente com a realidade.

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:44

Oi Debyh!!
Fico feliz que tenha gostado, muito obrigada <3

resposta
Adriana Leandro 19 de outubro de 2018 - 14:23

É incrível como o somos cheios de mistérios e como ainda existe em nós algo bem primitivo.
Bjus!

galerafashion.com

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:46

<3<3
Muito obrigada pelo comentário.

resposta
Taty 19 de outubro de 2018 - 13:28

Ai mulher, não faz isso!
Logo hoje que estou ultra sensível rs!
amei a postagem, trás mais vezes seu amigo por aqui >.<
beijos[
Taty
http://www.tatycampos.com.br/

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:46

Oi Taty.
Espero que esteja melhor <3
Se precisar conversar estou aqui.
E pode deixar que ele vai aparecer mais vezes por aqui.

resposta
Cássia 19 de outubro de 2018 - 11:02

Ahh Clayci, como eu amo os conteúdos que você traz pra cá.
Gostei da publicação do Leonardo, aliás que psicólogo bonito menina.
Um texto bem reflexivo, foi o primeiro que li hoje e já adorei.

Beijos e quero mais publicações assim.

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:47

HAHAHAHA vc gostou do texto ou do psicólogo?
Ele está perto de vc, acho justo procurá-lo hahahaha

Beijos sua linda.

resposta
Lívia Madeira 19 de outubro de 2018 - 08:31

mt bacana esse post, acho que temos sim que tirar esse tempo de auto analise constamente pra ser mais quem gostariamos de nos tornar

http://www.tofucolorido.com.br
http://www.facebook.com/blogtofucolorido

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:48

Sim sim, concordo com vc <3
Muito obrigada Livia

resposta
Tamara Mansur 18 de outubro de 2018 - 22:28

Olaa Clayci! Tudo bem?
Ahh Eu gosto muito desses assuntos de comportamento e mente humana.. e me identifiquei muito com as palavras dele.. é curioso pensar em toda essa evolucao.. e sabe que isso me fez pensar em uma coisa que uma vez me disseram que a gente sempre critica algo no outro que sabemos que também fazemos ou já fizemos errado.. sempre fico pensando sobre isso!

Beeijo

http://lecaferouge.blogspot.com/

resposta
Clayci 21 de outubro de 2018 - 17:48

Ahh que eu adorei ver seu comentário aqui.
Grande beijo.

resposta

Deixe um comentário