Imperfeitos – Cecelia Ahern

por Posted on 20 Comments 3 min leitura 272 visualizações

Imagine viver em um mundo onde a perfeição é necessária. Em um primeiro momento isto pode até soar como algo positivo, não é verdade? Mas imagine que a perfeição seja uma regra e que se você não segui-la à risca será julgado e diferenciado dos demais.  Na nova distopia da autora Cecelia Ahern não pode ter imperfeições e se você fugir do padrão poderá ser marcado e carregar a cicatriz o resto da sua vida.

[penci_review id=”12017″]

Para quem toma decisões ruins,  fica marcado com o I na têmpora.
Para quem mente, na língua.
Para quem trapaceia, na palma da mão direita.

A história é narrada por Celestine, uma adolescente perfeita! Exemplo de filha, irmã e namorada. E quem ela namorava? O filho do poderoso juiz. Com uma família respeitável, Celestine dava sempre o seu melhor para ser o exemplo para a sociedade. Ela nunca sentiu necessidade de questionar as leis e a forma que os “imperfeitos” eram punidos, porém um belo dia – pela primeira vez na vida – ela presenciou uma injustiça com um imperfeito e tentou ajudá-lo. E quando um imperfeito é ajudado, você é julgado e punido.

De uma hora para a outra a vida de Celestine muda de rumo. Ela passa a ser alvo de discriminação e acaba vivendo um verdadeiro pesadelo. Ela acaba tendo como inimigo o seu sogro – o juiz – e acaba sendo punida de uma forma terrível. É a partir daí que Celestine passa a correr atrás de provas para comprovar que o sistema criado é imperfeito.

[penci_blockquote style=”style-2″ align=”left” author=””]]Sou uma menina de definições, de lógica, de preto no branco. Lembre-se disso[/penci_blockquote] Embora seja uma distopia, Imperfeitos acaba sendo um grande questionamento sobre o que é moral e imoral em nossa sociedade. A perfeição julgada na história não é física,  o que é levado em conta é o caráter. Um dos casos citados na história – e o que fez a Celestine pensar melhor sobre o sistema  – é uma mulher que saiu da cidade com sua mãe doente e que praticou a eutanásia em um país que era permitido. Mesmo sendo algo legal no local em que ela foi, foi punida como Imperfeita porque o sistema a julgou como sem caráter.

[penci_blockquote style=”style-2″ align=”right” author=””]Foi o momento mais perfeito da minha vida.[/penci_blockquote] No meio dessa crise podemos no identificar com problemas reais. A família de Celestine permaneceu ao seu lado e a defendeu mesmo sabendo que não podia fazer nada para evitar o julgamento e as marcações. E como conhecemos bem, há corrupção no governo e é sempre ele que sai ganhando. Quando ela presenciou e defendeu o Imperfeito de uma injustiça, vivi um sentimento que é super comum na nossa sociedade: não poder fazer nada a respeito quando presenciamos algo injusto seja por medo, vergonha ou qualquer outro sentimento que impeça de agir diante de todos.

Estou ansiosa pela continuação da história!

Super recomendo a leitura.

Receba as publicações por e-mail

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 Comments
  • Thais Silva
    janeiro 27, 2017

    Não sei porque ainda não li nenhum livro da Cecelia Ahern, toda resenha que vejo é positiva e essa, eu gostei bastante. Amo distopia, já coloquei esse na minha “listinha” pra ler.

    Beijinhos ?

  • Dai Castro
    janeiro 24, 2017

    Gosto bastante de distopias é aquele tipo de história que nos faz pensar e muitas vezes conseguimos traçar um paralelo com a nossa própria realidade, né?
    A história me pareceu bem envolvente. Acho que essa mudança de rumo na vida da personagem foi essencial para ela começar a questionar esse tal sistema. Adorei a dica! Um beijo
    Colorindo Nuvens

    • Clayci
      fevereiro 1, 2017

      O que mais gostei da história é que a gente para refletir ações do nosso dia a dia, sabe?
      Achei bem interessante a ideia da autora ^^

  • Ane Reis
    janeiro 23, 2017

    Oie Clayci =)

    Eu tenho o pé atrás com a Cecelia Ahern. Li dois livros dela que gostei bastante, mas ainda tenho aquele medo de me decepcionar por causa de P.S Eu te amo, que amo o filme mas não gostei do livro.

    Porém achei super corajoso da parte da autora investir em um gênero diferente depois de se consagrar escrevendo romances/dramas. A premissa de Imperfeitos é bem interessante, mas se tratando de uma certa editora acho melhor esperar todos os livros da série serem lançados para ai decidir de leio ou não rs…

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    • Clayci
      janeiro 27, 2017

      hahahahah recomendo esperar mesmo, Ane!
      A Novo conceito decepciona nessa parte =/

      E eu nunca li PS Eu te amo =S
      Deixei o livro de lado pq li várias críticas negativas mesmo

  • AMANDA ALMEIDA
    janeiro 23, 2017

    Oi Clay, tudo bem?
    A história parece ser bem intrigante e forte, algo que nos faz refletir até mesmo nas injustiças da nossa sociedade. Dica mais do que anotada.
    bjus
    Amanda

  • Alba
    janeiro 23, 2017

    Oi, tudo bom?
    Já vi falar muito bem desse livro, e estou encantada pela sua resenha. Como sempre você me convencendo a colocar mais livros na minha lista.
    rs
    Beijos, ótima semana!
    http://dreamsam.wordpress.com

  • Danielle S.
    janeiro 23, 2017

    Ei, Clayci! Não conhecia esse livro ainda, fiquei bem surpresa por ser da Cecelia Ahern, quando falam sobre ela só consigo pensar em “P.S.: Eu te amo” e livros derivados pra te fazer chorar até os olhos caírem, hahaha.
    Gostei muito da história, é uma distopia mas foge dos clichês atuais, como essa de definir alguém pelo caráter. Sabe dizer quantos livros são no total? Já quero ler!

    Beijo!

    • Clayci
      janeiro 27, 2017

      Dani eu conheci a autora com o livro “O ano que te conheci” que é um romance, porém mais sério..
      Não li os demais livros, mas essa é a sua entrada pro YA e olha .. eu adorei.

  • Grazy Bernardino
    janeiro 23, 2017

    Muito interessante esse ponto de vista sobre a perfeição de uma sociedade. Até que ponto é bom que tudo seja perfeito e transparente? Como a Cá falou no comentário anterior, isso é muito Black Mirror! Me interessei! ?

    • Clayci
      janeiro 27, 2017

      Leia assim que tiver oportunidade, Grazy!
      Sinto que vc vai gostar..

      Beijos

  • letras e costuras
    janeiro 23, 2017

    wow! já vi outras pessoas elogiando esse livro, fiquei curiosa por isso de sair da “zona de conforto da vida perfeita”.
    :***

  • Sheyla - DMulheres
    janeiro 23, 2017

    Clayci
    Uma boa história e tão atual, amei a resenha. E claro, as fotos hahah

    Beijos e uma semana maravilhosa!
    ?DMulheres?@_sheylaxavier?Fanpage?

    • Clayci
      janeiro 27, 2017

      Certeza que vc ia gostar dessa história *_*

  • Victória Villaça Felet
    janeiro 23, 2017

    Super diferente essa história, me interessou bastante! :O Sua resenha ficou sensacional – como sempre -, já adicionei à minha lista de livros. Quem sabe sobra um tempinho, né? hahaha

    Beijos ;*
    Attraversiamo

    • Clayci
      janeiro 27, 2017

      Leia sim, assim que tiver oportunidade!!

      Beijos

  • Sarah Fernandes
    janeiro 23, 2017

    Olá, tudo bom? Tem bastante gente falando sobre esse livro ultimamente, ele já está na minha lista espero conseguir lê-lo logo. Ami sua resenha <3

    Beijos
    https://resenhaatual.blogspot.com.br/

  • Camila Faria
    janeiro 23, 2017

    Oi Clay, a história do livro me lembrou um episódio do Black Mirror (você assistiu essa última temporada?). Gostei da dica! Beijo, beijo :*

    • Clayci
      janeiro 23, 2017

      Cá estou bem atrasada em BM, viu?
      Mas faz sentido sim hahahahahah
      A distopia é bem diferente <3

Previous
Sherlock: Crítica (4ª Temporada)
Imperfeitos – Cecelia Ahern

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE