Drama

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

Geek love é o segundo livro da Darkside Books com a temática circense que chamou a minha atenção. Eu não consegui finalizar a leitura de Circo Mecânico. Vi que muitas pessoas elogiaram a obra e ainda quero dar outra chance pra ela.

No entanto, Geek Love, me conquistou de um jeito diferente. Eu não me apaixonei pela trama logo de cara, ela foi me ganhando aos poucos. É um livro incrível, destemido, comovente, trágico e perturbador.

Antes de falar sobre a história – caso você não a conheça – acho importante esclarecer que a palavra “Geek” do título não se refere ao significado que conhecemos na culttura pop. Este livro foi lançado oficialmente em 1989 e nesse caso a palavra foi empregada em seu sentido original. Ela se refere aos artistas de circo que degolavam galinhas vivas em suas apresentações. E se você acha isso perturbador saiba que esse é só o começo da história.

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

SOBRE A HISTÓRIA

E ser uma geek nunca foi problema para a Crystal Lil. Em nenhum momento ela se sentiu desconfortável ao ter que usar os seus dentes para remover as cabeças pequenas dos corpos trêmulos. Ela agradava ao público e foi assim que conquistou Aloysius Binewski.

O circo viajava oferecendo aos moradores locais uma oportunidade de conhecer o extraordinário. Aloysius Binewski e sua esposa, Lilian Hinchcliff Binewski, (a Crystal Lil) decidiram criar seus próprios espetáculos. Em cada gestação, Lil usava doses de diversas substâncias ilegais, venenos e radioisótopos para garantir que a criança nascesse com alguma anomalia. Alguns não conseguiram sobreviver, e estes eram exibidos publicamente em grandes frascos de vidros.

Dessas experiências sobreviveram: Arturo, o garoto que nasceu com nadadeiras no lugar de membros, Olly a anã albina e corcunda, Iphy e Elly as gêmeas siamesas e Chick um garoto aparentemente normal, mas com poderes telecinéticos. .

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

MAS SOBRE O QUE FALA “GEEK LOVE”?

Oly narrará a história sob a perspectiva dela. No período atual ela é mãe, mas sua filha (Miranda) não sabe da ligação entre elas. Então nós vamos visitar o passado e conhecer o presente dessa anã albina. Ela não era “estranha” suficiente para virar atração do circo. Por isso, seu papel era servir a família e atrair o público com a sua voz. O principal destaque era seu irmão Arturo ou Aqua Boy, que nasceu com nadadeiras presas ao seu torso e gostava de ser o centro das atenções.

Lembre-se sempre de que você tem muita vantagem sobre os normais só por causa da sua aparência física.
Geek Love

O relacionamento entre eles nunca fora saudável. Oly ama o seu irmão, mas ao mesmo tempo odeia a forma com que ele manipula as pessoas (principalmente ela). Arty controla toda a sua família e ao descobrir esse “dom” cria uma “religião” e atrai vários seguidores por onde passa. Ele consegue convencer as pessoas a jogar o seu jogo e faz isso de forma cruel.

Então, Oly será os nossos olhos e compartilhará a relação com a sua família. Ela relata os acontecimentos que, até então, parecem normais para ela, mas que podem ser diferentes para quem lê. Cada membro da família Binewski possui sua peculiaridade e é esta a discussão principal da história: o que é ser normal?

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

MINHA OPINIÃO

Como eu disse no início da publicação, essa história me conquistou aos poucos. Ainda estou com dificuldades para dizer o que eu realmente achei dela. É um livro complexo, criativo e incompreensível. Foi difícil entrar na trama, pois Geek Love possui personagens que gostam de ser como são.

Geralmente quando a ” anormalidade” é explorada, sempre vem acompanhada com o discurso de aceitação ou até mesmo mudança. No entanto, eles não querem ser diferentes do que são. Tanto que em várias situações, o filho mais velho (que é manipulador e consegue o que quer) faz questionamentos interessantes sobre felicidade e padrão.

Porque as pessoas te amariam, se fosse bonita? E se fosse amada pelas pessoas, você seria feliz? É o amor das pessoas que faz você feliz?
Geek Love

A autora conseguiu, com essa obra, desafiar opiniões sobre a sociedade. Como julgamos e nos classificamos em relação aos outros? A perfeição existe? Se sim, o que consideramos deformidade? Chick era o personagem mais forte da família, pois com o seu poder de telecinese era possível controlar o que quisesse. Tanto que quando nasceu, ao notar que não tinha alterações no seu corpo, Lil decidiu abandoná-lo. E ao descobrir o seu dom especial – que se manifesta no momento certo – ele foi usado para lucrar. E de todos, ele era o mais ingênuo.

Geek Love: O fabuloso circo de Binewski

Resumindo:

Gostei da maneira com que a autora descreveu as características da família, mas confesso que houveram algumas cenas com as quais me senti incomodada. Não é uma leitura leve e pode ser que você se sinta atormentado em algumas situações também. Mesmo assim, se você tiver a mente aberta, há muito o que aprender com esse livro. Não se trata de um livro com reviravoltas e finais felizes, porém tem muito a ensinar.

Leia também

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff

Clayci

Mentiras como o amor – Louisa Reid

Clayci

Dumplin’ – Julie Murphy

Clayci

16 comentários

Luana Souza 14 de fevereiro de 2019 at 18:04

Esse é aquele tipo de livro que me deu um medo psicológico. Não AMEI o livro a princípio e nem logo em seguida após terminar a leitura. Fi só depois que eu refleti sobre o que realmente ele é que consegui gostar tanto das histórias. As críticas sobre “o que é ser normal?”, conceito de família e tudo mais são incríveis!
Ah, e sua resenha está fantástica, como sempre, moça <3

Responda
Clayci 15 de fevereiro de 2019 at 15:06

Muito obrigada!!
Quando finalizei o livro não sabia nem o que pensar a respeito ahiuahuihaiuhauihau

Responda
Thainá Christine 13 de fevereiro de 2019 at 19:42

Olá, Clay!
Quando li o livro no ano passado lembro de ter ficado dividida sem saber se tinha amado ou não, hahahaha. Mas no final achei um livro sensacional! É estranho e creepy do jeitinho que eu gosto. Fui fisgada pela duas tramas – a do passado e a do presente – e me senti instigada para saber mais sobre o paradeiro da família. Adorei o desenvolvimento da Oly e como a história finalizou. Confesso que nem cheguei a cogitar que gostaria do livro, mas acabei tendo uma reação totalmente oposta, hahaha. Nossa, deu até vontade de relê-lo e sentir tudo de novo.

Responda
Clayci 14 de fevereiro de 2019 at 09:26

Eu fiquei com esse mesmo sentimento.
Tanto que esperei para fazer a resenha hahaha,
<3

Responda
Marijleite 13 de fevereiro de 2019 at 16:48

Oi Clayci, o negócio das galinhas já me chocou, e ainda tem isso de o casal causar deformidades de propósito nos filhos, muito doido. Gostei de saber sobre o que é o livro, interessante trazer essa reflexão sobre a normalidade.

Responda
Clayci 14 de fevereiro de 2019 at 09:28

Tem muitas cenas chocantes rs
Mas reflexivas. Tive que ler em pausas

Responda
Morgana Brunner 13 de fevereiro de 2019 at 10:25

Oiii =)
Primeiro preciso dizer que a edição está impecável, como todos os outros livros da Darkside, gostei muito de saber a sua opinião e não sei se o enredo me cativaria, creio que teria as mesmas reações que você, não é o tipo de livro que pego para ler frequentemente. Parabéns pela sinceridade e suas fotos são lindas.
Bjs

Responda
Clayci 14 de fevereiro de 2019 at 09:28

Muito obrigada <3

Responda
Joanice oliveira 12 de fevereiro de 2019 at 22:54

Olá

No filme que Hugh Jackman – O Grande Show – tem essa vertente das deformidades sendo vistas como normais e as pessoas com essas “anormalidades” não desejando serem “normais” e mostrando isso com força e posicionamento direto e que faz que o personagem principal veja que os trata como objetos e não como seres humanos que é a mesma ideia trabalhada aqui, porém sem essas cenas de horror que acabam sendo usadas para chocar o leitor sem “amortecimento” linguístico.

Uma obra que sem dúvidas lerei.
Beijos

Responda
Clayci 13 de fevereiro de 2019 at 09:02

Sim, eles se inspiraram nesse clássico para criar a história =)
Fico feliz que tenha se interessado pela leitura e estou torcendo para que vc curta <3

Beijos

Responda
Fábrica dos Convites 12 de fevereiro de 2019 at 15:53

Achei muito pertinente sua opinião sobre o livro, principalmente por alertar ao futuro leitor sobre cenas ou mesmo situações que podem não agradar a todos.
Bjs, Rose

Responda
Clayci 13 de fevereiro de 2019 at 09:04

Muito obrigada Rose =)

Responda
Grazy B. 12 de fevereiro de 2019 at 10:44

Fiquei interessada pois inspirou a temporada Freak Show de American Horror Story, que pra mim foi a melhor temporada EVER! Além disso sou apaixonada na capa desse livro e não imaginaria nunca que o teor da história fosse esse,hahahaha.

Responda
Clayci 13 de fevereiro de 2019 at 09:14

Eu também pensei que o livro falasse de outra coisa Grazy.
Quando li a primeira página já fiquei chocada hauhauihauihuiaha

Responda
Larissa Oliveira 12 de fevereiro de 2019 at 10:35

Oi Clayci, tudo bem?
Já vi esse livro por aí e sou encantada com a capa dele, que é linda demais, mas não sabia até então qual era o conteúdo e admito que fiquei com um misto de choque, agonia e curiosidade. Não sei se seria um livro que eu leria, no entanto, ao menos não por agora pois as partes perturbadoras que vice citou ao longo da sua resenha (e nem tão das galinhas que perdem suas cabeças) realmente me deixaram um pouquinho perturbada haha. Mas não descarto por completo a possibilidade de vir a lê- lo futuramente, afinal é o tipo de livro que destoa completamente de minhas leituras habituais e sair da zona de conforto geralmente faz bem.
Beijos!

Responda
Clayci 13 de fevereiro de 2019 at 09:17

Eu também adoro sair da zona de conforto com esse tipo de leitura Lari =)

Beijos

Responda

Deixe um comentário

* Seu comentário será enviado para aprovação.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE