No inicio do ano fiz a seguinte promessa: assistir e trazer mais dicas de filmes aqui para o blog. Consegui cumprir? É claro que não, pois já estamos em setembro e esta categoria está desatualizada há meses. Só que eu gostei tanto do filme Felicidade por um fio que decidi falar sobre ele. Pensei que seria apenas uma comédia romântica, daquelas bem clichês, mas me surpreendi com a trama e acabei relembrando de alguns momentos da minha adolescência.

Violet não pode reclamar: emprego, namorado, cabelo… tudo é perfeito! Mas e quando a perfeição já não é mais suficiente?

Felicidade por um fio é um filme que fala sobre aceitação, o tal padrão social, transição capilar e empoderamento negro. É claro que não vou focar no empoderamento negro porque não é o meu lugar de fala. Mas me identifiquei tanto com a personagem Violet em alguns momentos que fiquei com vontade de abraçá-la.

Reprodução: Netflix

Violet é a definição do sucesso, ou melhor, da perfeição. Ela trabalha com algo que acredita (e gosta), mora em um apartamento incrível e em breve será pedida em casamento. Ao menos é o que ela acha, todavia as coisas começaram a dar errado e de repente ela viu seu mundo desmoronar. Desde pequena, Violet, foi obrigada a viver em um padrão. Lembra quando eu disse lá em cima que me identifiquei com a personagem em algumas cenas? Pois é, o segundo trabalho da protagonista era o seu cabelo. Para vocês terem uma ideia, ela acordava mais cedo só para poder alisá-lo. Gastava dinheiro com produtos, salão e não deixava ninguém colocar a mão em suas madeixas. Tudo para mantê-lo alinhado e perfeito como deveria ser.

Na trama conseguimos acompanhar a sua briga com o cabelo em todas as fases da sua vida. Quando criança, Violet via os outros coleguinhas pularem na piscina, mas sabia que não podia entrar na água depois do trabalho que sua mãe teve em alisar o seu cabelo. Isso me fez lembrar das festas que recusava, quando lembrava do trabalho que eu teria para arrumar o meu. Nunca aceitei meus fios ondulados e, assim como a mãe de Violet, acreditava que eu só seria aceita se tivesse o cabelo liso, sem frizz, igual as meninas populares do meu antigo colégio.

Reprodução: Netflix

Voltando ao filme, depois de em um surto emocional, Violet raspou a sua cabeça. Como eu disse, desde cedo, ela aprendeu com a sua mãe a ter essa obsessão pela perfeição, por isso sempre viveu em busca de aceitação. Contudo, depois de raspar a cabeça, Violet teve que repensar sobre a sua relação com os outros e consigo mesma. No início eu não conseguia aceitar o comportamento da sua mãe, mas no decorrer da história, nos damos conta de que ela é tão vítima quanto sua filha e que provavelmente reproduziu um comportamento que acompanhou outras gerações.

Ver a cena em que atriz Sanaah Lathan raspa o cabelo é emocionante. Por alguns minutos, antes dela se arrepender, ela se sentiu livre e ver sua reação foi algo indescritível. E antes de se livrar do cabelo, a personagem era vista e admirada por todos que passavam por ela. Entretanto, depois de tudo isso, começou a passar despercebida pelos colegas de trabalho. Mas isso muda quando ela se empodera e mostra autoconfiança com a sua imagem.

Reprodução: Netflix
Reprodução: Netflix

 

Ver como a vida da personagem se transformou depois de tudo isso foi algo incrível. Não foi só raspar a cabeça, mas repensar sobre tudo que estava em sua volta. O filme mostra como é importante o apoio da família e amigos para a construção da auto-estima (desde cedo). Se por um lado a mãe de Violet a ensinou a viver nesse padrão, do outro temos uma outra personagem que é incentivada todos os dias a se amar naturalmente. Zoe é filha de um cabeleireiro e apesar dele estar acostumado a alisar o cabelo das suas clientes, faz de tudo para mostrar à sua filha que ela é linda e não precisa de nenhuma química.

Se eu parar para calcular as despesas que tive com meu cabelo na época da adolescência, vou me surpreender. Usei progressiva durante anos e ainda lembro da sensação quando precisava retocá-la. Perdia horas no salão, passava mal com o cheiro dos produtos e nem sempre ficava satisfeita com o resultado. Pode ser que o drama de Violet seja besteira para você que tem o cabelo liso e também pode ser que você use produtos para alisar o seu. Está tudo bem! Ninguém quer que você pare de usar. A proposta do filme é mostrar que você não precisa agradar ninguém, só você mesma.

Que você é linda com cabelo natural ou não. E você não precisa se encaixar em nenhum padrão para ser aceita. Você só precisa se aceitar.

Já assistiu o filme? Vou deixar o trailer aqui no blog. Ele está disponível na Netflix. ASSISTA, vale a pena!