Filmes & Séries


Coringa: um filme profundo, sombrio e perturbador

Arthur Fleck, um homem severamente medicado, trabalha como palhaço em uma versão caótica da cidade de Gotham. Ele mora com a mãe doente, Penny, e tenta ganhar a vida animando até mesmo em hospitais infantis. Seu sonho é se tornar um comediante famoso e aparecer no programa do Murray Franklin , mas infelizmente sua vida não poderia ser mais infeliz. Arthur é rejeitado e humilhado diariamente. Quando as coisas parecem melhorar, ele perde o controle ao ganhar um arma de um colega de trabalho; e involuntariamente provoca um movimento niilista com muitas repercussões na sociedade.

[pullquote align=”left” style=”style2″ width=”381″ size=”14″ line_height=”18″ bg_color=”#ffffff” txt_color=”#222222″][blockquote custom_class=”” txt_color=”#222222″ size=”25″ line_height=”32″]Você não me ouve, não é?
Você faz as mesmas perguntas toda semana.
“Como vai seu trabalho? Está tendo pensamentos negativos?
Só o que tenho são pensamentos negativos.
[/blockquote][/pullquote]

Eu saí da sala do cinema sem saber o que falar ou pensar a respeito do filme e para ser sincera, enquanto escrevo, ainda sinto dificuldades para me expressar. Coringa é um excelente filme e foi muito bem escrito, mas é o tipo de drama que temos medo de recomendar. Antes de ser lançado, houve discussões e questionamentos sobre o quanto a trama poderia influenciar o público de forma negativa.

Entendo essa hesitação, pois o filme realmente pode fazer com que algumas pessoas – que se sintam excluídas de alguma maneira – se agarrem à violência como uma válvula de escape para se sentirem mais vistas e poderosas. Não só este filme, como outros! No entanto, estamos falando de um dos vilões mais emblemáticos dos quadrinhos e o filme se destaca justamente pela história complexa e a forma como foi contada.

Coringa: um filme profundo, sombrio e perturbador
JKR_DAY056_120418_1251888.dng

Um estudo do personagem

Joaquim Phoenix pesquisou diversas doenças e transtornos mentais para estudar o personagem. Sua risada descontrolada, sem dúvidas, é um dos pontos mais marcantes. Ele consegue nos emocionar com a sua atuação e o seu personagem, e claro, nos deixar angustiados também. E por mais que eu tenha me sentido incomodada com várias cenas, enxergo Coringa como um estudo de personagem bem feito. O filme explora a construção psicológica de um dos vilões mais difíceis de se compreender e mostra a sua decadência enquanto Arthur Fleck e ascensão como Coringa.

Vemos um homem cansado de tentar se encaixar nos padrões que a sociedade exige e sem encontrar alternativas, acaba recorrendo à violência para se sentir notado. De início, pareceu instintivo, mas depois se mostra algo viável e um meio de escape. Ele não é mocinho e muito menos vítima; por mais que surja algum tipo de empatia durante a história, não há nenhum prazer em tentar compreendê-lo. Entretanto, de forma indireta, é possível enxergar um pedido de ajuda. Falar sobre transtornos mentais é algo delicado, ainda mais para uma sociedade que não está preparada para dar suporte a tais distúrbios.

Não é um filme recomendado para crianças. Pode parecer besteira dizer algo tão óbvio, já que a classificação é de 16 anos, mas tinha crianças na sessão em que eu fui. Há vários gatilhos, afinal estamos falando de transtornos mentais e cenas sangrentas, mas apesar de tudo isso não sinto que o filme enalteceu a violência. Pelo contrário, Coringa mostra que há consequências para a crueldade e que a brutalidade não leva a nada. Não é uma romantização, muito menos mostra como alguém de torna herói ou vilão. Mas sim um estudo psicológico e físico de alguém que segue um caminho sombrio e decide não voltar.

É um drama pesado e angustiante e fica na nossa cabeça por um bom tempo.

TRAILER CORINGA

PLAYLIST DE CORINGA

I said that’s life (that’s life), and as funny as it may seem
Some people get their kicks stompin’ on a dream
But I don’t let it, let it get me down
‘Cause this fine old world, it keeps spinnin’ around.

Thats Life – Frank Sinatra

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Filmes & Séries

    Dash & Lily: 3 motivos para maratonar a série

    Por

  • Filmes & Séries

    A Maldição da Mansão Bly é perfeitamente esplêndido

    Por

  • Enola Holmes: 4 motivos para assistir ao filme na Netflix

    Filmes & Séries

    Enola Holmes: 4 motivos para assistir ao filme na Netflix

    Por

comentários

  • Luana Souza

    Eu nem tinha a pretensão de ir ver Coringa, mas ainda bem que consegui assistir. QUE FILME! um dos melhores do ano. Na faculdade praticamente todos os professores o indicaram, e teve discussão, com pessoas achando que o Coringa era psicótico, e outros que ele era um psicopata.
    Acho que é um filme muito profundo, cheio de nuances, onde a gente aprende a ver o lado da outra pessoa. O que ele fez não foi certo, mas o que fizeram com ele também não foi.

    responder
  • Kelly Alves P.D.I

    Oi Clayci,
    Ainda não assisti O Coringa, mas achei que eles iam usar o mesmo ator de Esquadrão Suicida depois de ele ter sido tão exaltado pela sua performance. Vi muitas criticas ao filme, e a maioria positiva, o que me deixa bem empolgada para assistir, já que apesar da sua maldade eu gosto da loucura dele.

    Beijokas

    responder
    • Clayci

      Nossa eu só vi criticas sobre o Leto rs
      Mas gostei dessa mudança. Ia ficar estranho usarem o personagem dele, com aquela pegada do Esquadrão, para essa nova versão.
      Vale a pena assistir

      responder
  • Thami Sgalbiero

    Ontem reassisti ao filme, só que dessa vez dublado. A produção está mesmo impecável! Até a tradução dos papéis escritos está traduzido e realmente o filme é uma arte, mas também não é bom para recomendar. Porque ele serve também como um gatilho. Gostei muito da construção do personagem dentro do filme. Joaquim fez um excelente trabalho, aplaudo de pé! E ficou tão diferente no personagem que eu só fui me ligar que ele tinha feito o filme Her quando fui pesquisar pelo nome dele no Google, porque até então não achava o rosto estranho e nem o nome, mas não lembrava de jeito maneira os outros papéis que ele já tinha feito. E Her é um filme marcante também né? Nas duas sessões que fui tinham crianças e eu fiquei meio chocada em como elas veriam as cenas e o que pensariam a respeito. Também não acho que o filme enalteceu a violência, apenas nos mostra que violência não leva a lugar nenhum. Em momentos do filme eu senti empatia com o Coringa, mas não apoio as decisões e ações que ele tomou, a atitude dele não foi boa, mesmo com um bom argumento sobre a sociedade e mídia em geral. Vi que tinha escrito um post sobre o filme e vim correr pra ler, haha!

    responder
    • Clayci

      Eu quero ver dublado também!!!!
      Eu imagino que deve ter ficado muito bem feito, adoro quando tem todo esse cuidado

      Eu achei muito irresponsável levar crianças para a sessão, mesmo com todos os avisos.

      responder
  • Michelle

    Olá tudo bem? Ultimamente ando vendo tantos lançamentos bom que fica difícil acompanhar todos eles, eu particularmente não sou muito ligada nas histórias do coringa mais senti um profundo interesse no filmes lendo suas considerações, infelizmente não tive e nçao terei a chance de ver nos cinemas o jeito é esperar ele vir para o canal fechado, beijos!

    responder
Mais comentários
1 2

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Filmes & Séries

    Dash & Lily: 3 motivos para maratonar a série

    Por

  • Filmes & Séries

    A Maldição da Mansão Bly é perfeitamente esplêndido

    Por

  • Enola Holmes: 4 motivos para assistir ao filme na Netflix

    Filmes & Séries

    Enola Holmes: 4 motivos para assistir ao filme na Netflix

    Por

ir ao topo

Buscar no site