Tea time


Como você reage às frustrações da vida?

Hoje é um daqueles dias em que quero conversar com alguém, mas não tem ninguém pra isso. Acordei ansiosa; para ser sincera eu nem consegui dormir direito. Estou há dias esperando uma resposta por e-mail e perdi a conta de quantas vezes apertei o F5 para atualizar a caixa de entrada. Fico imaginando como eu sobreviveria na época das cartas, mas enfim, a resposta do e-mail chegou hoje, logo pela manhã, e junto veio a frustração.

Como você lida com o NÃO? Receber um “não” é sem dúvidas algo frustante. E não sei se foi por causa da resposta (ou pela noite mal dormida) que fez com que eu refletisse sobre as frustrações que já tive que enfrentar. E olha que não foram poucas. É impossível passar pela vida sem uma porção de decepções. Ainda mais na infância, quando não compreendemos bem as regras sociais e somos movidos pelo desejo repentino.

Ou vai me dizer que você nunca ouviu um “na volta a gente compra“? Tenho um estoque de respostas da minha mãe, das vezes que pedia algo (que nem precisava) e recebia um não. Eu chorava, batia o pé, me jogava no chão, brigava, tudo em prol de satisfazer a minha vontade. Afinal, eu tinha que ser atendida e tinha que ganhar o combate. Nunca ganhei.

E a espera desse e-mail fez com que eu me lembrasse de um desenho que chamava “Arrume Tudo e Pare Com Isso“. Vocês já assistiram? Eles viviam na terra “Faça o que eu disse” e o nome do desenho e dos personagens eram as broncas que as mães davam nas crianças. Os personagens eram: Pare com Isso e Arrume Tudo; Penteie seu cabelo; Lave seu Rosto; Brinque Lá Fora e seu brinquedo favorito; O pequenino Fique Calmo, e o chato Agora Não!; As duas abelhas Sossega e Silêncio; o dorminhoco Vá Para a Cama e Não Faça Isso; Tome Cuidado; Coma as Verduras; Escove os Dentes e o Grande e briguento EU DISSE NÃO. Achei a abertura desse desenho no Youtube!

 

 

Como pode um desenho infantil ensinar tanto? Vocês conseguem ter ideia da raiva que eu sentia do “Eu disse não”? Mas enfim, desde cedo aprendi que as coisas não são como eu quero. E hoje eu consigo compreender que as minhas frustrações vinham acompanhadas de sentimentos horríveis. Agressividade e baixo auto estima eram as principais emoções que eu sentia quando as minhas expectativas não eram atendidas. Na verdade, analisando melhor, acredito que as reações foram mudando de acordo com a fase que fui vivendo.

Quando eu era criança e não conseguia o que eu queria, sentia raiva. Mas segundo a minha mãe, eu não saia descontando essa raiva em algo ou alguém. Fazia isso comigo mesma, eu me machucava. Conforme eu fui crescendo (e aprendendo que descontar minha raiva nas coisas era a melhor opção) aprendi a sentir remorso e comecei a me sentir indiferente.

Percebi que “explodir” não ajudava em nada e então perdi a vontade de reagir. E vocês acham que isso me ajudou a superar as frustrações? Só piorou. Porque na adolescência eu comecei a me isolar. Acreditava que ficar no meu canto, sozinha, seria mais fácil levar a vida. E é claro que isso não ajudou em nada, pois não conseguia me relacionar com outras pessoas.

Mas aí eu cresci. Consegui meu primeiro emprego (depois de levar vários nãos) e descobri que sempre que eu me sentia frustrada, era só comprar algo para compensar aquele sentimento. Doce ilusão. No entanto, eu não me culpo (não mais). Nem todos sabem lidar com as frustrações, nem mesmo admitir esse sentimento.  Então aprendi do jeito mais difícil, que quando me sinto frustrada, me isolar e lamentar só piora a situação.

Olha como a vida é engraçada. Precisei reviver tudo isso para saber como analisar e reagir a este não que recebi por e-mail. Doeu? Lógico que doeu, mas ninguém precisava saber. Respondi com um “obrigada pela atenção”, aceitei a realidade e segui em frente.

 

Como você lida com a frustração?

Beijos

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • e lidando aos poucos com a agorafobia

    Tea time

    Aprendendo a curtir minha própria companhia

    Por

  • Parei de querer “chegar lá” e decidi investir no “aqui

    Tea time

    O que a vida me ensinou nesses 34 anos

    Por

  • O que ninguém te conta sobre "ser a sua melhor versão todos os dias

    Tea time

    O que Encanto me ensinou sobre burnout

    Por

comentários

  • Ana Caroline dos Santos

    Olá, tudo bem? Lidar com a frustração realmente é uma coisa muito complicada. Já tive também minhas fases de não aceitação, ficar depressiva, para baixo, me perguntando o que faltou, mas hoje apesar da baixa aprendi a ter que levantar a cabeça. A vida adulta nos faz fazer isso, nos faz enxergar esse outro lado, e a frustração não pode ter lugar. Limpar a poeira, levantar o astral e seguir em frente. É o que temos de melhor para fazer. Adorei o texto!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    responder
  • Beatriz Andrade

    Oi, Clayci. É horrível receber um não, às vezes fico na expectativa de uma resposta positiva por meses , às vezes nem chega a resposta, mas às vezes chega um belo e sonoro não… é frustante. Achei muito interessante a sua postagem e gostei de você ter trazido esse assunto aqui no blog.

    responder
    • Clayci

      No começo não quis trazer esse assunto para o blog.
      Mas é bom trazer um pouquinho da realidade tbm né rs?

      Beijos e obrigada pelo comentário.

      responder
  • Andressa Ledesma

    Acredito que até a pessoa mais serena se sinta frustrada com um não. É difícil ter um sonho interrompido. Acho que nessas horas a melhor coisa é pensar que não era para ser naquele momento, e não desistir, dependendo do que for. Quando eu não consigo algo que estava tentando fico muito ansiosa, mas não chego a me culpar, só fico remoendo por algum tempo aquilo. Realmente vai de cada um. Adorei seu texto. <3
    beijos

    responder
    • Clayci

      Oi Andressa! Muito obrigada pelo seu comentário.
      Sim! Tentar se apegar que não era para acontecer naquele exato momento e agudar uma outra oportunidade. Tento me apegar a isso =D

      Beijos

      responder
  • Camila de Moraes

    Olá!
    Que legal essa postagem.
    Nem sempre sabemos como lidar com o não mas faz parte do nosso crescimento pessoal tentar lidar da mrlhor forma e aprender. Nem sempre o não realmente significa algo ruim.
    Beijos!

    responder
    • Clayci

      . Nem sempre o não realmente significa algo ruim.”

      Exatamente, Ca!
      Muito obrigada pelo comentário.
      Beijos

      responder
  • Dayhara Ribeiro Martins

    Eu estava pensando sobre isso essa semana, como um nao é capaz de afetas quem somos? No meu caso são respostas negativas de parcerias, tenho grandes parcerias mas parece que um não é sempre capaz de me derrubar, como se ele definisse quem sou, anulando todas as outras vitórias. A gente precisa aprender que não tem controle de tudo e que as vezes o melhor é só respirar fundo.

    responder
    • Clayci

      Quem trabalha com parcerias é um pouco complicado, né?
      Mas temos que nos controlar e sim respirar fundo é o que me ajuda muito nessas situações rs

      Beijos

      responder
  • Juliana

    Excelente momento pra refletir lendo seu texto, porque nos últimos meses eu passei por muitas frustrações… Hoje olhando pra trás ainda sindo muita raiva, sei que só vou buscar o esquecimento dessas mágoas com um psicólogo. Foram muitas frustrações pra superar sozinha. É verdade que aprendemos passando pelas situações, e infelizmente temos que agir como adultos. Eu lembro desse desenho, mas não lembrava que eles tinham esses nomes! RI muito com a abertura uhauhauha

    Bjos, Clay! Parabéns pela atitude 🙂

    responder
    • Clayci

      Vc lembra desse desenho? hahahah SOCORRO
      Eu amava hauhauhauhuahuahuah

      Obrigada, Ju! Pelo comentário e pelo apoio sempre.
      Beijão.

      responder
  • morgânia

    Querida Clay, tenho essa mensagem para você :

    Sonhar é o sopro da vida. Sonhar é o mundo que vemos e tocamos – um sonhador sabe que tudo é um sonho e que tudo está contido em sua própria visão.

    O mundo físico – o que você chama de realidade e o universo inteiro com seu aparente infinito – nunca existiu antes ou depois do que nesse Instante sem tempo, e você é o próprio Autor, Ator e Audiência deste magnífico e colorido musical que você chama de Vida.

    Sonhar significa ‘fazer.’ Sonhar significa aproveitar essa energia criadora e governá-la da maneira que bem entender – você não precisa fazer nada além de sonhar… então o mundo, um mundo especial, virá a ser.

    O mundo externo é raso, uma tecnologia bi-dimensional; uma tela branca na qual projeta-se imagens de si mesmo. O homem comum vive sua vida não tendo a mínima ideia de que essa tela existe e que ele entrara numa vida ilusória de relações. Para o homem comum, entrar no filme e tornar-se o filme é seu cotidiano diário – ele entra e sai desse mundo inconscientemente e, ao fazer isso, torna-se nada além do que vítima de suas próprias projeções.

    Perceba que você é o Dreamer, o único criador e governador do
    universo inteiro e que toda a matéria que te rodeia – nada mais é
    que pó de suas próprias projeções.

    Tudo depende de você. Você está sonhando e criando a realidade, seja positiva ou negativa, nesse exato instante. Tudo está nas suas mãos. Tudo depende de você. Tudo tem o significado que você dá.

    Você é a semente do Universo

    Se não der a devida atenção à semente, o universo degrada-se e desaparece. Se quiser saber sua verdadeira natureza, bastar recordar-se de si mesmo – fique presente a todo momento, até que o segredo escondido dentro de você seja relevado e espalhe-se em todas as direções.

    Você é tudo o que é belo, grandioso e poderoso e, ao mesmo tempo, você não é nada, não tem nada e não pode fazer nada. Porém, tudo vem de você – a fonte é você, a raiz, a real causa de tudo é você.

    A realização interna de que tudo acontece dentro e que necessita de seu consentimento para manifestar-se faz com que todos os eventos e circunstâncias aconteçam apenas para sua vantagem e crescimento.

    No contrário, se você acredita que o mundo é uma entidade viva que acontece fora de você, você, como bilhões de pessoas, em éons de tempo, precisará passar por todos os problemas e dificuldades, envelhecimento e doença, para que um dia possa entender que é você o próprio criador desse mundo em que acredita ser externo.

    Então volte para si, olhe pra si mesmo, pesquise dentro, foque toda sua atenção e dedique todos os seus esforços para elevar o seu sonho – atreva-se a mergulhar no inacessível, ouse tocar o invisível e saiba que a realidade seguirá assim como uma sombra segue um objeto.

    O Sonho é um plano que acontece na ausência de tempo – na eternidade, em um tempo vertical: nesse exato instante.

    Ao dar atenção para o sonho, para a vida, pro sentir e pro pensar, você liberta-se e vai além – e sua falsa persona com seus vícios e obsessões, memórias e hábitos, mentiras e contradições irão se dissolver.

    Não pergunte como acontece, pois não pode ser explicado. O que realmente importa é sinceridade e paixão. Tudo o que você precisa é estar consciente do seu ser no eterno agora. Se você perseverar, não existirão fracassos na sua vida.

    Através da auto-consciência, toda beleza e poder fluem.

    Enquanto mantiver a ilusão que se conhece, nada irá mudar pra você. Você passará pelos mesmos problemas, a mesma infelicidade e tragédia, mesmo se for aos confins da Terra. Para alterar as condições externas da Vida, você precisa mudar seu ser interno. Uma vez que se livrar de toda violência, conflito e miséria interior, todos os crimes, revoluções e guerras milagrosamente desaparecerão da Terra.

    A jornada interior é a única saída! A única revolução real é a sua mudança. Você não pode mudar o mundo se não mudar a si mesmo primeiro. E quando você conseguir fazer isso, você perceberá que não é nem possível e nem necessário mudar os outros.

    A menor mudança em seu Ser
    move montanhas no mundo dos eventos.

    Lembre-se! O universo inteiro é somente uma sombra pálida do seu ser interno, e quanto mais você perceber que tudo o que te cerca está acontecendo em nenhum outro lugar além de dentro de si, mais poder você terá para mudar.

    Dreamer

    responder
    • Clayci

      Eu tenho até medo de comentar algo e estragar a sua mensagem.
      A única coisa que posso fazer (e de coração) é de agradecer pelo seu comentário.
      Melhorou meu dia.

      Beijos

      responder
  • Jess

    olha, na medida do possível. hehe

    é realmente muito difícil e eu entendo plenamente o que você pontuou. Ouvir um não é algo que abala a nossa confiança interna e é bem longo o caminho de desapegar desse ego ferido. mas prosseguimos né? pq o louco da vida é que temos que viver, as vezes a trancos e barrancos, mas cada dia um novo desafio. E é como você disse, se isolar só agrava o problema. Porque é encarando de frente que dominamos nossos monstros internos.

    Espero que você se sinta melhor e obrigada por compartilhar algo tão intimo, é sempre bom compartilhar nossas cargas. a vida fica mais leve né?

    responder
    • Clayci

      Eu que agradeço pelo seu comentário lindo e pelo apoio =D
      Muito obrigada pelas palavras.

      Beijos

      responder
  • clara rocha

    A forma que eu lidava antigamente com a frustração é diferente da forma que eu lido hoje em dia. Antigamente eu também tinha o ato de me isolar do mundo, na realidade com alguns sentimentos eu ainda sou assim (tristeza, por exemplo). Hoje em dia eu entendo o sentimento e não me agarro a ele, tento me imaginar de fora daquela realidade, por exemplo “foi um não para X coisa e não para tudo” e quando me coloco na posição de observadora e não de uma pessoa frustrada consigo tirar mais ensinamentos da situação e seguir em frente. Como um rio que flui, deixo a água passar e não me agarro a ela.

    responder
    • Clayci

      Tenho muito que aprender ainda, amiga.
      Sou o pessimismo em pessoa, por isso não consigo ter esse pensamento de “foi um não para X coisa e não para tudo”.. mas vou aprendendo, né? rs

      Muito obrigada pelo seu comentário <3 e apoio.
      Beijos

      responder
  • Fernanda Santos Barroso

    Oi, Clayci!

    Como você disse, acho que ninguém gosta de levar um não, né? Acho que se sentir frustrado e até ter um momento de tristeza (se for algo que gostaria muito que acontecesse) é normal. Desde pequena ouvir não faz parte da minha e da vida de qualquer criança, né? Minha mãe diz que eu não fazia birra nem nada, que aceitava muito bem, agora, quando levo um não ou sou frustrada de alguma outra forma com algo, acabo ficando triste mesmo. Mas é aquilo, me manter inerte por isso não vi fazer o não se tornar um sim, então eu tento me recuperar o mais rápido possível e seguir em frente. Às vezes demora (não dá pra negar), às vezes não. Mas essa é a vida e vamos aprendendo com ela a cada dia mesmo.
    Adorei o post e adorei refletir sobre mim enquanto conhecia um pouco mais sobre você.

    Abraços

    responder
    • Clayci

      Fe, fico boba de ver como minha sobrinha mais velha reage ao não.
      Com tanta naturalidade, ao menos é o que parece né? Não sei o que se passa dentro daquela cabecinha.
      Mas sim, o NÃO faz pate da nossa vida, no entanto, não são todos que sabem lidar com esse sentimento.
      Já sofri muito com isso, mas vamos aprendendo né? rs

      Beijos e obrigada pelo comentário.

      responder
Mais comentários
1 2 3

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • e lidando aos poucos com a agorafobia

    Tea time

    Aprendendo a curtir minha própria companhia

    Por

  • Parei de querer “chegar lá” e decidi investir no “aqui

    Tea time

    O que a vida me ensinou nesses 34 anos

    Por

  • O que ninguém te conta sobre "ser a sua melhor versão todos os dias

    Tea time

    O que Encanto me ensinou sobre burnout

    Por

ir ao topo

Buscar no site

plugins premium WordPress
Tatuagem Literária: A vida invisível de Addie LaRue Frases do livro: A casa no mar Cerúleo Trechos do livro A sociedade de Atlas Trechos do livro: Mansão Gallant