Fantasia

Brotherband #3: Os caçadores – John Flanagan

Os Caçadores é o terceiro livro da série Brotherband do autor John Flanagan. Ele foi publicado pela editora Fundamento e já fiz a resenha dos livros anteriores aqui no blog. É uma série recomendada para os fãs de Rangers Ordem dos Arqueiros e também para quem curte aventura e ação

SOBRE A HISTÓRIA

Se você não conhece a série, irei fazer um pequeno resumo da história: Brotherband é o nome dado a um treinamento na Escandia. Todos os garotos de 16 anos precisam aprender o básico sobre combate e navegação. No primeiro livro ficamos por dentro dessa competição e também conhecemos o grupo que conseguiu se destacar na última formação. Hal é o nosso protagonista! Ele sempre sofreu preconceito por ser filho de uma ex-escrava e ter sangue de Araluen nas veias. No entanto, ele acaba conquistando a admiração de todos por conta da sua inteligência e habilidade de liderar o seu grupo.

Só que ele acaba perdendo esse respeito por ter cometido um erro. Ele e os tripulantes do Garça Real terão que recuperar a consideração dos habitantes de Escandia e ir atrás de um item valioso que eles deixaram ser roubado (Andomal). No segundo livro eles chegaram perto desse item, mas aconteceram uma série de coisas que dificultaram reavê-lo. Contudo, eles se prepararam nesse volume e finalmente enfrentarão Zavac.

Comandar um barco produzia esse tipo de efeito – ou o sujeito se coloca à altura das responsabilidades ou as responsabilidades o esmagam.

Broherband

Hal e seus companheiros irão viver uma aventura alucinante até a boca do rio Dan. Em suas margens há uma fortaleza onde piratas e ladrões buscam refúgio. Mais uma vez, Hal terá que usar suas habilidades e pensar em um plano para conseguir chegar na cidade sem ser atacado.

MINHA OPINIÃO

Por se tratar de uma série, não consigo dar tantos detalhes da história sem spoilers. Se você me acompanha já deve ter reparado que eu sou fã do autor, não é mesmo? John Flanagan me conquistou com a sua escrita e a forma de desenvolver o enredo. Li todos os livros de Rangers Ordem dos Arqueiros (e não vejo a hora de sair o novo) e Brotherband foi uma surpresa maravilhosa.

Nessa série, grande parte da história se passa no mar. Há um glossário de termos náuticos no início do livro, mas já me acostumei tanto com o ambiente (e a linguagem) que nem preciso mais consultá-lo. John Flanagan gosta de detalhes, por isso é comum finalizarmos um volume com aquela sensação de que fomos enrolados. Mas não é essa a intenção do autor! Ele quer mostrar que há vários obstáculos antes de alcançar qualquer objetivo. Nem sempre os personagens principais ficam em vantagem e quase sempre há desentendimento no grupo.

Entretanto, eles sempre aprendem com os erros e não sentem vergonha de pedir desculpas ao reconhecer a falha. E a forma com que o autor descreve as cenas, fez com que eu me sentisse dentro da trama com a tripulação. Eu sou muito fã de Rangers, mas tenho que reconhecer que há mais ação nessa série. Mesmo o objetivo sendo o mesmo: mostrar a importância da amizade, lealdade e cumplicidade; em Rangers temos mais momentos reflexivos e poucos combates.

Também gostei da personagem feminina que surgiu nessa série. Apesar de ter me sentido incomodada com o triângulo amoroso (não sei pra que isso), Lydia é uma personagem forte e determinada. Ela não aceita ser interrompida e deixa claro que é capaz de lidar com qualquer situação. Suas habilidades são bem descritas e finalmente temos uma mulher que não depende da aprovação de alguém para tomar uma atitude.

E o que dizer do vilão da história? Zavac é muito cruel! O autor conseguiu me fazer sentir mais raiva desse personagem do que do próprio Morgarath (de Rangers: Ordem dos Arqueiros). Mesmo tendo personalidades parecidas, não consegui aceitar as motivações e as crueldades de Zavac.

Leia também

Caraval #1 – Stephanie Garber

Clayci

Alice no País das Armadilhas – Mainak Dhar

Clayci

Bem-vindo à Casa dos Espíritos – Christopher Buehlman

Clayci

21 comentários

Amor pelos Livros 20 de novembro de 2018 at 21:09

Oiee,
Sou muito curiosa em relação a outra série desse autor: Rangers.
Mas essa também, me chamou muita atenção. Já vai pra minha lista.
Seu blog é lindo, assim como suas fotos. AMEI!!!

Responda
Clayci 21 de novembro de 2018 at 13:48

AHHH muito obrigada *_*

Responda
Ana Paula Medeiros 14 de setembro de 2018 at 15:41

Primeiramente gostaria de parabenizar pelas fotos. Como sempre estão maravilhosas!
Eu já vi algo sobre a saga Ranger, mas nunca tive a oportunidade de conhecer (é muito livro pra pouco tempo rsrs).
E quanto o livro e a outra saga em questão, simplesmente amei a premissa! É do tipo que faz muito a minha cabeça, e há tempos não leio nada parecido, ainda mais por se desenvolver no mar. Essas aventuras com toda uma história elaborada e bem detalhada deixa a obra muito rica.
Também não gosto de triângulos amorosos, mas dependendo do enredo não atrapalha tanto. Vou anotar a dica!

Responda
Clayci 14 de setembro de 2018 at 20:12

Oi Ana, tudo bem?
Muito obrigada!!!!!

Então, Rangers é extenso mesmo. Levei um ano para concluir a série, mas isso porque fiz uma meta de ler um livro por mês.
A leitura é rápida e dava pra concluir em menos tempo fácil.
E eu estou adorando Brotherband <3

Beijos

Responda
Larissa Xavier 13 de setembro de 2018 at 19:15

Olá
Eu não leio muita fantasia e não tenho conhecimento sobre esse livro e por ser o terceiro livro da serie e com o seu resumo dos dois primeiros me deixou um pouco curiosa em relação a historia que para mim é bem diferente pois se passa no mar vou anotar a dica

Responda
Clayci 14 de setembro de 2018 at 20:22

Super recomendo
É uma leitura gostosa, divertida e reflexiva <3

Responda
Beatriz Andrade da Silva 10 de setembro de 2018 at 23:29

Adorei a sua resenha sobre esse volume, a série está na minha listinha de livros que preciso ler logo e ver a sua resenha tão animada sobre o terceiro volume me deixa empolgada!

Responda
Clayci 12 de setembro de 2018 at 18:48

E eu acho que vc iria gostar dessa história, viu?

Responda
Valéria 10 de setembro de 2018 at 12:41

bacana vc curtir tanto assim o autor… eu já tinha visto um dos livros da série ms nao tive oportunidade de ler…
aaah, amo vilões bem construídos… a trama parece empolgante e a protagonista sendo tão cheia de personalidade iria me encantar ao fazer a leitura…
bjs ^^

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 19:05

Gosto bastante do ator <3
E eu tbm adoro vilões com motivações convincentes =D

Responda
Alice Lacerda Montiel 10 de setembro de 2018 at 10:46

Oiii Clayci

Aiii esses triângulos amorosos que aparecem na história do nada…haha, complicado né, tb me custa entender porque os autores insistem nisso, tem tramas maravilhosas que não precisam de jeito nenhum. Ainda bem que não foi motivo pra prejudicar tua leitura.
Tenho acompanhado algumas resenhas dos livros da série, parece ser bem legal mesmo, com muita aventura em uma trama intleigente, gosto disso. Só me desanima ser uma série aparentemente meio longa, vou esperar um pouco pra ler.
Adorei esse vilão, bem cosntruido, aí vale a pena, vilão tem que ser assim mesmo, bem pavoroso, pra gente ficar com bronca dele…rsrs

Beijos

http://www.derepentenoultimolivro.com

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 19:06

Se eu não me engano, essa está no 6 livro..
Rangers é bem extensa, são 12 até agora.
Mas a leitura é bem rápida, sabe? Então a gente nem sente a quantidade de páginas e volumes rs

Beijos

Responda
Caverna Literária 9 de setembro de 2018 at 19:21

Oi, Clayci!

Nossa, nunca tinha ouvido falar dessa série, mas já achei demais! Adorei a capa, a ilustração nas páginas e a premissa da história, tem tudo para ser ótima!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 19:04

Ahhh eu estou gostando bastante *_*

Responda
Alícia Alves 8 de setembro de 2018 at 15:18

Gostei da sua postagem, sempre estou visitando seu blog e lendo suas postagens.. Seu blog está salvo em meus favoritos..

Parabéns!

Amo seu blog ??..

Responda
Lari 7 de setembro de 2018 at 16:32

Ahh, que foda isso de navegação e combates! Me lembrou aquelas histórias de RPG, que você joga no Playstation, sabe? Nossa, eu amo demais isso e sou viciada 🙂 logo, já gostei do enredo, hahaha.
Pra ficar mais interessante, acho que só faltou a protagonista ser mulher 🙂 sinto falta de histórias com guerreiras mulheres.
Ai, essa frase das responsabilidades eu senti o impacto na minha vidinha, viu? hahaha, não tá fácil, mana.
Vou ver se na biblioteca da ufes tem <3

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 19:08

Ahhh sempre me lembro dos RPG, Lari hahahah
INCLUSIVE AMO.
Foi a Nintendo que me ensinou a ser assim com aquelas histórias compridas antes do jogo hauhauhauhauha

E sim =/
Tbm sinto falta de guerreiras nessas histórias.
Mas só pelo fato do autor ter inserido uma independente já ajudou bastante.. Na série anterior, as mulheres me davam raiva

Responda
Dayhara Ribeiro Martins 7 de setembro de 2018 at 01:56

Essa mania que i pessoal tem de meter triangulo amoro em tudo me deixa irritada também hahaha. Eu acho que você é a primeira pessoa que me vem na mente quando penso na editora fundamento, você ama demais os livros publicados por eles e acho isso muito bacana. Apesar de não ser um gênero que tenho por hábito ler, vou repassar a dica ao meu irmão, ele vai adorar!

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 18:58

HAHAHAHAH
Penso a mesma coisa, PRA QUE TRIANGULO AMOROSO GENTE

Responda
Karini 6 de setembro de 2018 at 14:24

Tudo bem Clayci, achei muito interessante a premissa da história. Eu leio alguns livros da Editora Fundamento e curto muito, apesar de muitos serem para um público mais jovem.
Não conhecia esse livro e fiquei muito curiosa, essa parte onde fala do treinamento e diz que todos os garotos de 16 anos tem que aprender o básico em combate e navegação.. já me prendeu e me ganhou.

Hal sofrer esses preconceitos, acho que ditou muito de quem ele se tornaria, como disse tendo conquistado o respeito através de sua inteligência e forma de lidar com o grupo, mas engraçado que um erro pode acabar com toda sua conquista.. Engraçado que muitas pessoas tem que se provar mais que outras, justamente por preconceitos, isso segue na vida real e na literatura.

Interessante essa parte sobre eles sempre aprenderem com os erros e não sentirem vergonha de pedir desculpas ao reconhecer a falha.

Achei a trama cheia de reviravoltas e amei sua resenha. Já quero!
Assim que eu puder, vou comprar. Beijos.

http://www.alepaginas.com

Responda
Clayci 10 de setembro de 2018 at 18:58

Torcendo para vc gostar da história, Ka <3

Responda

Deixe um comentário

* Seu comentário será enviado para aprovação.

Leave a review

  • Minha Nota

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE