Você já parou para pensar há quanto tempo a música está presente em sua vida? Você lembra qual foi o primeiro contato com ela? Eu sou aquele tipo de pessoa que só consegue fazer as coisas com uma playlist de fundo. E em “As Cordas Mágicas” conseguimos refletir sobre a importância da música em nossos dias.

A história é toda narrada em terceira pessoa, na verdade quem conversa com a gente é a música. Iniciamos a história em um ambiente triste: o velório do personagem principal. Não sabemos como Francisco Presto morreu logo de cara, mas conhecemos a sua história e entendemos o motivo no decorrer dos capítulos.

Francisco Presto é um cantor e violonista de sucesso! Todos o conhecem, admiram e se inspiram em seu trabalho. Mas nem sempre foi assim. A música nos conta como eles se encontraram e os desafios que ele precisou enfrentar enquanto estava vivo. Presto não teve uma infância comum e já percebemos isso em seu nascimento. Ele nasceu na Espanha, no meio de uma guerra e perdeu a sua mãe. Meses depois ele foi abandonado e jogado no rio à própria sorte. E que sorte! Quem o encontrou foi um cachorro e a partir de então sua nova família era o Cão pelado e o Baffa (dono de uma fábrica de sardinhas que resolveu adotá-lo).

Baffa deu tudo aquilo que Presto não teve quando nasceu: amor! E foi Baffa que reconheceu o seu dom com a música. Ele queria que o pequeno Francisco vivesse de música, pois acreditava que ele perderia a visão (pois a mesma foi afetada quando foi jogado no rio) e tinha medo Presto não conseguir sobreviver caso ele morresse. Correu atrás de escolas de música, mas nenhuma queria aceitá-lo por causa da idade. E foi então que Francisco conheceu o homem que iria mudar a sua vida: El Maestro.

Frankie Presto aprendeu a tocar violão e quando pensava que finalmente as coisas iriam melhorar, a vida aparece com mais um arrastão. Ele cresceu no meio da guerra e naquela época ser artista era algo perigoso e quando se deu conta perdeu Baffa e El Maestro.  E foi longe da Espanha que Presto conseguiu sucesso, reconhecimento e um violão mágico – herdado de El Maestro.

O livro é dividido em 6 partes e vamos conhecer várias fases da vida dele: Sua infância, adolescência, pessoas que entraram em sua vida , outras que saíram e o grande amor da vida dele. Aurora era a única que conseguia competir com a paixão de Frankie pela música.

Uma das músicas favoritas de Frankie Presto se chama “Lágrima” e é de autoria de Francisco Tárrega. Tárrega  foi um violonista espanhol tão idolatrado que tem até uma estátua em sua homenagem. Você pode não conhecê-lo, mas tenho certeza que você conhece uma de suas músicas. Sabe aquele toque do celular Nokia? O som é de Tárrega e se chama “Gran Vals“.

Em Cordas Mágicas conseguimos nos sentir conectados com o personagem através das músicas. É uma fábula maravilhosa que tocou o meu coração.

E você consegue encontrar a playlist do livro no Spotify.