Fotografia


A Seca – Jane Harper

Não importa quem você seja, bebês de treze meses não dão boas testemunhas.

A Seca – pág. 66

A comunidade de Kiewarra foi atingida por uma de suas piores secas e os moradores não sabem o que é chuva há mais de dois anos. Mas não é só o clima dessa cidade que está seco, as relações dentro da comunidade estão hostis por consequência desse desastre natural. Todos estão sem paciência e desesperados, pois a falta de chuva está acabando com as terras férteis e destruindo os negócios locais.

No meio dessa catástrofe, surge uma ligação de emergência e as autoridades foram acionadas para atender a uma ocorrência na fazenda dos Hadler. Quando chegaram ao local, encontraram um banho de sangue. Tudo indica que Luke Hadler matou a sua esposa e filho, antes de virar a arma para si mesmo. Depois dessa tragédia, vários burburinhos começaram a surgir e muitos moradores atribuíram o ocorrido à extrema pressão da seca.

Quando Aaron Falk retorna à sua cidade natal para assistir ao funeral de seu melhor amigo de infância, os habitantes de Kiewarra sussurram sobre a sua chegada. Ele estava inseguro de ir para a cidade, mas depois de tantos anos ausente, acreditou que todos esqueceriam dele. Falk é forçado a se lembrar do que aconteceu duas décadas antes; quando sua amiga Ellie Deacon foi encontrada morta no rio e carregava um bilhete com o seu nome escrito.

Revisitando o passado

Na época, todos se voltaram contra ele e o seu álibi era muito frágil para sustentar a sua versão da história. Foi Luke que o ajudou e deu suporte quando tudo aconteceu, mas a pressão da comunidade foi tão forte que Falk e seu pai precisaram sair da cidade. Anos se passaram e Falk conseguiu seguir em frente, além de se destacar na Polícia Federal. Só que quando retornou para Kiewarra percebeu que continuava sendo apontado como o responsável pela morte da amiga.

Enquanto enfrenta essas lembranças e os olhares cruéis da cidade, Falk tenta entender o que poderia ter levado Luke a matar sua família e cometer suicídio. O policial não iria se meter no caso, porém os pais de Luke pediram para que ele ajudasse na investigação, pois não acreditavam que Luke era capaz de cometer tais crimes. E com a ajuda da autoridade local, o policial encontra algumas inconsistências na investigação.

Com a hostilidade da comunidade e alguns segredos revelados, Falk questiona se alguém poderia ter buscado vingança pela morte de Ellie. Então, ele começa a juntar as peças para descobrir o que teria acontecido na fazenda do seu amigo; e também tenta compreender o que realmente aconteceu com Ellie anos atrás.

Minha Opinião

A Seca me tirou da ressaca literária que estava me perseguindo já tem algumas semanas. Gostei da forma com que a autora usou as palavras para descrever o ambiente, pois ela me fez sentir o calor sufocante em meio à seca naquela comunidade rural. Uma cidade pequena que guarda rancores e faz de tudo para não atrair atenção para si. Então, ao descrever esse cenário, Harper conseguiu enriquecer ainda mais a sua narrativa.

A seca havia deixado moscas mal-acostumadas com tantas opções naquele verão. Elas saíam em busca de olhos que já não piscavam e de feridas grudentas enquanto os fazendeiros de Kiewarra apontavam seus rifles para o gado esquelético.

Contudo, senti que a seca não foi tão bem explorada e ficou em segundo plano quando as investigações iniciaram. É claro que o objetivo estava na resolução do caso, mas ao ler a sinopse – e até mesmo ver a capa – imaginei que teríamos uma ficção climática por aqui (que amo). Só que não foi bem assim! No prólogo tive esse gostinho, quando ela detalhou a situação do ambiente, e acreditei que as coisas continuariam nesse mesmo ritmo.

uma narrativa envolvente

Mas isso não fez com que eu deixasse de aproveitar a história. Me senti envolvida e não queria largar o livro até ter a solução do crime. Fiquei com receio de me confundir com as duas histórias, pois são duas investigações acontecendo ao mesmo tempo. Gosto de diálogos e sinto que a leitura flui mais rápido dessa forma, todavia por se tratar de dois crimes e envolver o passado, acreditei que seria arrastado prestar atenção em todos os detalhes. Entretanto, os flashbacks inseridos fluíram melhor do que com diálogos recontando o ocorrido.

A autora não deu muitas pistas para essa história sombria. Os investigadores focavam sempre nas mesmas pessoas, mas dificilmente surgiam informações novas para desvendar o mistério. Isso só aumentou a minha curiosidade para saber como tudo seria solucionado. Mas algo que me incomodou foi o fato de ter poucas mulheres na trama. Sem falar que as personagens femininas presentes não foram tão bem exploradas e passou aquela imagem de serem superficiais.

Apesar de já ter imaginado o motivo para um dos crimes, confesso que me surpreendi com a solução do caso da família Hadler. Nas paginas finais houve uma reviravolta e fiquei de boca aberta tentando assimilar as coisas. Gostei da experiência de ter lido e se você gosta de thrillers e mistério, vale a pena dar uma chance para essa história.

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • um cenário intrigante, perturbador e tocante

    Livros

    Como se fôssemos vilões – M.L.Rio

    Por

  • Maggie O'Farrell conseguiu me destruir

    Livros

    Hamnet – um livro que me fez chorar até soluçar

    Por

  • a princesa de Creta, desejada por homens e deuses... e irmã do temível Minotauro

    Livros

    Ariadne – Jennifer Saint

    Por

comentários

  • Beatriz Andrade

    Eu estou louca para ler esse livro, vi você falando sobre ele lá no IG e fiquei morrendo de curiosidade para ler, agora que vi a sua resenha completa aqui a curiosidade só aumentou. Gosto tanto desse gênero, acredito que será uma ótima leitura para mim também

    responder
  • Sara Kerolen Souza Oliveira

    oiii tudo bem ?
    so pela capa eu ja iria ler hahah depois que eu li sua resenha fiquei curiosa esse livro envolve misterio e investigação uma coisa que estou começando a ler mais e fiquei curiosa com essa historia vai ser mais um livro da morro branco que eu vou ter que comprar jesus vou ficar no prejuízo com essa editora KKK obrigado pela dica

    responder
  • Mara Santos

    Nos primeiros parágrafos que você escreveu já queria muito ler esse livro, não conhecia ele e confesso que estou curiosa demais!!!! Amei as fotos também, como sempre!

    responder
  • PS Amo Leitura

    Adorei sua resenha! Eu ainda não tinha lido nada sobre essa obra, mas a forma como você narrou e até mesmo que se sentiu sufocada durante a narrativa, deve ter despertado muitas sensações e te conquistado muito (e principalmente por ter te tirado de uma ressaca literária). Adoro quando o autor consegue trazer essa sensação através das páginas. Dica mais do que anotada!

    Beijos.

    responder
    • Clayci

      é maravilhoso quando o autor consegue nos envolver tanto né? <3

      Beijos

      responder
  • Viviane Almeida

    Olá Clayci, como vai? Eu ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro mas, vi a capa dele em alguns igs e fiquei muito curiosa com o enredo. Lendo sua opinião, percebi que algumas partes dessa histórias são muito tristes e até impressionantes, eu sou muito sensível quanto se fala em morte de animais, acredito que seja, porque tenho vários bichos em casa..rs!
    Saber que a história é envolvente e te tirou da ressaca me deixa mais animada para realizar a leitura dele, vou anotar na minha whistlist.

    responder
Mais comentários
1 2

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • um cenário intrigante, perturbador e tocante

    Livros

    Como se fôssemos vilões – M.L.Rio

    Por

  • Maggie O'Farrell conseguiu me destruir

    Livros

    Hamnet – um livro que me fez chorar até soluçar

    Por

  • a princesa de Creta, desejada por homens e deuses... e irmã do temível Minotauro

    Livros

    Ariadne – Jennifer Saint

    Por

ir ao topo

Buscar no site

plugins premium WordPress
Tatuagem Literária: A vida invisível de Addie LaRue Frases do livro: A casa no mar Cerúleo Trechos do livro A sociedade de Atlas Trechos do livro: Mansão Gallant