A Paciente Silenciosa – Um thriller psicológico envolvente

por Clayci

Assim que A Paciente Silenciosa foi publicado no Brasil, vi várias resenhas sobre o livro no instagram. Muitas pessoas elogiaram o thriller e ele se tornou um dos livros mais vendidos. Apesar de ter me interessado pela premissa, decidi esperar a hype passar. E agora que finalmente li esta história, quero compartilhar a minha experiência com vocês.

É estranho como a gente se adapta rapidamente ao pavoroso mundo de um hospital psiquiátrico. Ficamos cada vez mais à vontade com a loucura, e não apenas a loucura dos outros, mas a nossa própria.

A Paciente Silenciosa

Sobre a paciente silenciosa

A trama gira em torno de Theo, um psicoterapeuta que se atrai pela história de Alicia Berenson. Porém, antes de falar sobre esse fascínio e o porquê de Theo querer ajudá-la, preciso apresentar o caso da nossa paciente.

Alicia e Gabriel Berenson viviam um relacionamento aparentemente feliz. Gabriel era um fotógrafo conhecido e renomado; Alicia estava começando a criar a sua identidade no mercado da arte como pintora. Ainda que tivessem um relacionamento saudável, Alicia decide registrar a sua rotina em um diário, a pedido do seu companheiro.

Tudo estava indo bem, até que ela o mata. Alicia disparou cinco tiros em Gabriel e depois tentou cometer suicídio. Ela foi socorrida a tempo, mas após o trágico episódio, parou de falar. A artista foi julgada como incapaz de responder pelos seus atos e desde então vive em um hospital psiquiátrico. Na época, muitos consideraram o seu silêncio como uma estratégia para fugir da prisão. No entanto, seis anos se passaram e Alicia continua muda.

O uso da psicoterapia na história

Alguns profissionais tentaram fazer com que a artista falasse nesse período. Todavia, por ter uma personalidade borderline (transtorno caracterizado por um padrão de instabilidade contínua no humor e comportamento) ela vivia medicada.

Theo Faber é um psicoterapeuta forense e fez de tudo para se aproximar dessa paciente. Ele conseguiu uma vaga no hospital em que ela estava internada e deixou claro o seu desejo de trabalhar nesse caso. Desde que viu Alceste, um quadro pintado por Alicia, ele desconfia do seu silêncio e acha que existem mais coisas por trás do crime. Theo acredita que a psicoterapia ajudará Alicia a resolver suas questões emocionais e a desvendar esse mistério.

Como toda a equipe médica previa, não houve evolução. Theo pediu para que reduzissem o uso de seu medicamento para – quem sabe – a paciente conseguir se expressar de alguma forma. E aos pouquinhos, o psicólogo foi conquistando a sua confiança e interesse. Embora não falando, Alicia reagia às consultas através de expressões faciais.

Envolvimento emocional

Só que o psicoterapeuta ficou tão envolvido com o caso, que começou a agir de forma impulsiva para conseguir informações precisas. Theo deixou a ética de lado para procurar pessoas próximas de Alicia e buscar mais informações sobre o seu estado psicológico. E foi por isso que as suas sessões foram canceladas: por se envolver emocionalmente com o processo.

O problema é que Theo não sabia explicar o porquê dessa atração. De alguma forma, ele se identificava com a sua história de vida. Ele cresceu em um ambiente hostil – assim como a Alicia, e também enfrentava problemas no seu relacionamento atual. Ele não tinha dúvidas de que Alicia era culpada pelo assassinato de Gabriel, mas criou uma empatia pela sua história.

O que achei de A Paciente Silenciosa

Eu amo thrillers psicológicos, mas não sei se é porque já li tantos livros desse gênero, que não consegui me surpreender com a trama. Eu consegui deduzir o mistério na metade do livro, mas ainda sim fiquei envolvida com os personagens.

Preciso reconhecer e parabenizar Alex Michaelides, pela forma com que usou a psicologia nessa história. O autor utilizou citações e teses de renomados psicanalistas e conseguiu construir uma excelente narrativa. Fiquei envolvida, e senti que participei das sessões com a Alicia; da mesma forma que consegui entrar em sua mente através do seu diário.

Mesmo não me surpreendendo com o desfecho, é um livro que recomendo. E se você ainda não leu, vou citar 3 motivos para se jogar em a paciente silenciosa:

1 – A Paciente Silenciosa vai virar adaptação futuramente

O livro é um roteiro pronto. Conseguia imaginar todas as cenas enquanto lia. A Annapurna Pictures e Plan B compraram os direitos cinematográficos como parte de um acordo de produção de três anos. Apesar de não ter datas confirmadas, já estou na expectativa.

2 – O narrador é um psicoterapeuta

Quando falamos de Thriller psicológico, estamos acostumados a lidar com investigações policiais. Mas em a Paciente Silenciosa, nosso “detetive” é o seu terapeuta. E isso faz com que a leitura fique ainda mais fluída, pois ele apresenta de maneira simples alguns conceitos da área. Mesmo sendo uma ficção, o livro aborda assuntos sérios como: abusos psicológicos, físicos, traumas e estrutura familiar. Alex Michaelides, tem vivência na área. Ele realizou uma pós-graduação em psicoterapia e trabalhou meio expediente em uma clínica psiquiátrica por dois anos.

3 – Se você não tem costume de ler o gênero: ele tem um plot twist de respeito.

Cheguei a mencionar que o livro não me surpreendeu tanto assim, mas porque achei alguns personagens superficiais. Mesmo desvendando o mistério na metade da leitura, não significa que não gostei. O autor preparou o ambiente para que o leitor criasse teorias e se atentasse às pistas. E o final? Ele soube fechar todos os pontos.

A Paciente Silenciosa Book Cover A Paciente Silenciosa
Alex Michaelides
Record
350

Um assassinato, uma verdade oculta. As raízes do silêncio são muito mais profundas do que se pode imaginar.

Alicia Berenson escreve um diário para colocar suas ideias em ordem. Ele é tanto uma válvula de escape quanto uma forma de provar ao seu adorado marido que está bem. Ela não consegue suportar conviver com a ideia de que está deixando Gabriel preocupado, de que está lhe causando algum mal.

Alicia Berenson tinha 33 anos quando matou seu marido com cinco tiros. E nunca mais disse uma palavra. O psicoterapeuta forense Theo Faber está convencido de que é capaz de tratar Alicia, depois de tantos outros falharem. E, se ela falar, ele será capaz de ouvir a verdade?

Você também poderá gostar:

1 comentário

Betty Gaeta 19 de outubro de 2020 - 14:25

Oi Clayci,
Li este livro e achei o final surpreendente! Não quero falar muito por causa do spoiler.
Beijos

responder

Deixe um comentário