Comportamento


3 obras para compreender melhor a crise dos refugiados

De acordo com a ONU estamos vivendo a pior crise humanitária do século. Mais de 68,5 milhões de pessoas foram forçadas a deixar suas casas. E para tornar esses dados ainda mais tristes, metade dos refugiados são crianças. Crianças com menos de 18 anos de idade representam 52% da população refugiada no mundo. Muitas testemunharam e experimentaram violências, além de viverem em risco de abuso, negligência, exploração, tráfico e até mesmo recrutamento militar.

Estas pessoas foram obrigadas a abandonar seus lares para fugir de guerras, perseguições políticas e violações de direitos humanos. É um assunto extremamente delicado e é preciso empatia na hora de discutir sobre a política de acolhimento de refugiados. Tenho me interessado cada vez mais pelo assunto e ido atrás de artigos, documentários e ficções com o tema. Hoje vim indicar um filme, um documentário e uma graphic novel sobre o assunto.

Filme: Missão no Mar Vermelho

Esse filme entrou no catálogo da Netflix dia 31 de julho e tem o Chris Evans no elenco. A história é baseada em fatos reais ocorridos em 1977. Ari (Chris Evans) é um agente do Mossad – serviço secreto israelense – e sua missão é salvar refugiados judeus da Etiópia. Apesar das circunstâncias- para a existência da população judaica na África não serem bem explicadas – Missão no Mar vermelho tem um bom aspecto histórico, político e social. 

Ari planejou uma missão arriscada: ele e sua equipe irão se instalar em um hotel abandonado e vão transformá-lo numa fachada para desviar para fora do Sudão, refugiados etíopes que seriam mortos pela cruel perseguição religiosa. Ninguém imaginava que O Red Sea Diving Resort funcionaria como um empreendimento normal, enquanto Ari e sua equipe se arriscariam diariamente para salvar quantas vidas pudessem.

Essa missão que foi batizada de “Operação Irmandade” durou cerca de cinco anos. Apesar de ter me incomodado com o roteiro – que era para ser mais ágil e menos focado nas ações pessoais dos personagens – gostei do filme e da discussão. Achei que foi uma excelente forma de entreter o espectador e fazê-lo pensar fora da caixinha.

Documentário: A vida em mim e a Síndrome da Resignação

A Vida em Mim está disponível no catálogo da Netflix e este documentário relata a triste realidade de centenas de crianças refugiadas na Suécia. A Síndrome de Resignação é uma doença misteriosa que atinge crianças que assistiram e viveram traumas. Essa doença faz com que estas crianças entrem em um estado semelhante ao do coma. Já foram registrados mais de 200 casos no país e ainda não encontram uma explicação científica para essa doença.

Nos primeiros minutos do documentário temos uma breve explicação – para um dos pais – sobre a síndrome: “Sua filha está deitada aqui como Branca de Neve porque as coisas são terríveis demais ao seu redor. Esta é uma maneira de proteção. Ela está apenas esperando que a situação melhore.”

A vida em mim tem 40 minutos de duração; e nesse período vamos conhecer 3 famílias que passaram por situações humilhantes e que precisaram fugir para a Suécia. São 3 casos de crianças que estão há meses inconscientes. É como se elas se desligassem desse mundo. No início vão perdendo o interesse das suas atividades e preferem ficar dormindo. E com o avanço e agravamento da doença, ficam inconscientes e não conseguem fazer mais nada sozinhas.

Uma das famílias teve o pai preso e torturado. Outra assistiu a um amigo sendo morto. E a outra teve a mãe estuprada e assassinada. Imaginem o psicológico dessas crianças que presenciaram essas cenas. Chorei com os relatos e com o dia-a-dia de cada família. Quando esta síndrome surgiu pela primeira vez em 2002, políticos disseram que era invenção das crianças ou que eram os pais que estavam envenenando-as, isso só fez com que o preconceito recaísse sobre essas famílias. Assistam!

Livro: Refugiados – Kate Evans (Graphic Novel)

Calais é uma cidade do norte da França. Ela sempre foi uma cidade tranquila e pacata. Sua principal fonte de economia girava ao redor da fabricação de rendas. No entanto as coisas mudaram a partir de 1999. Milhares de migrantes – atraídos pela possível travessia pelo Canal da Mancha para chegar ao UK -se fixaram em acampamentos de refugiados improvisados.

Selva como é conhecido, é o mais famoso deles e se estabeleceu entre 2015 a 2016. Se tornou uma verdadeira cidade dentro da outra e retrata a maior crise humanitária do século. Sem saneamento ou condições razoáveis de sobrevivência para seus habitantes, Kate decidiu por meio de “Refugiados” mostrar uma história de dor e desespero. Pessoas que só queriam vida com melhores condições e que lutam diariamente contra o ódio e ignorância de muitas pessoas. Mas apesar desse quadro, Kate mostrou que ainda há esperança e existem pessoas dispostas a ajudar.

A Selva “acabou” em 2016. Sofreram vários ataques organizados por um grupo de encapuzados que queriam colocar pânico nos imigrantes. Sem falar que a própria policia acabou se excedendo e espancou várias pessoas sem qualquer motivo. Essa Graphic Novel foi publicada aqui no Brasil pela Darkside Books e mostra que a maldade humana sempre perseguiu o acampamento. Evans usou suas ilustrações para compartilhar esses acontecimentos de uma forma chocante.

Já leu ou assistiu algumas dessas indicações?
Tem algum conteúdo sobre o tema para me indicar?

Beijos

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Um livro que me fez refletir sobre o real significado de estar vivo.

    Literatura Criativa

    Frankenstein: Um clássico que merece uma segunda chance

    Por

  • E fora do story, ALGUÉM está bem?

    Comportamento

    FoMO e a trend do “Era pra ser só 15 dias”

    Por

  • e me identificando com uma personagem da série Solos

    Comportamento

    Vivendo o tal complexo de incômodo

    Por

comentários

  • Aline Amorim

    É muito triste essa situação dos refugiados né!? Nem consigo imaginar o que passam…
    Eu já tinha colocado Missão no Mar Vermelho na minha lista e já acrescentei A vida em mim e a Síndrome da Resignação para assistir depois!

    responder
  • Beatriz Andrade

    Que post mais completo e interessante! Eu não conhecia nenhuma das obras ainda e fiquei curiosa com as 3

    responder
  • Betty Gaeta

    Oi Clayci,
    Lendo o seu post me dei conta que seu muito pouco sobre os refugiados. Vou favoritar o post e vou assitir ao domumnetário e ao filme, quem sabe eu também leia o livro (tenho uma pilha de livros para dar conta por aqui).
    Beijos

    responder
  • Debyh

    Olá,
    Acho que nunca vi nenhum filme com a temática, mas nem vejo muitos então não é parâmetro. mas já li alguns livros não-ficção e são realmente de partir o coração. O tema me interessa muito, acho que sempre me despertou a curiosidade de o que acontece quando você perde sua pátria. Ótimas indicações.

    responder
Mais comentários
1 2

newsletter receba novidades

Receba atualizações do blog por email

veja também

  • Um livro que me fez refletir sobre o real significado de estar vivo.

    Literatura Criativa

    Frankenstein: Um clássico que merece uma segunda chance

    Por

  • E fora do story, ALGUÉM está bem?

    Comportamento

    FoMO e a trend do “Era pra ser só 15 dias”

    Por

  • e me identificando com uma personagem da série Solos

    Comportamento

    Vivendo o tal complexo de incômodo

    Por

ir ao topo

Buscar no site