Um menino em um milhão – Monica Wood 6 74

Um menino em um milhão - Monica Wood

Um menino em um milhão

6 de 10
ISBN: 9788580416930
Páginas:352
Autora: Monica Wood
Editora: Arqueiro
Sinopse: Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções. Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana. Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver. Um Menino em Um Milhão é um livro sensível, poético e bem-humorado, formado por corações partidos e aparentemente sem cura, mas unidos por um elo de impressionante devoção pessoal.

Porque a história de sua vida nunca começa no começo.

SOBRE A HISTÓRIA

Quinn Porter é um guitarrista e vive da música. Ele sempre deixou claro que essa paixão ocupava o maior espaço em seu coração. Foi um pai ausente e deixava a sua família em segundo plano. E ele só se deu conta disso quando seu filho morreu inesperadamente. Quinn decidiu assumir as últimas tarefas do menino – que era escoteiro – e acabou conhecendo a senhora Ona Vitkus.

Ona é uma senhora de 104 anos que vive sozinha e sem amigos. Ela tem uma personalidade bem difícil de lidar e o filho de Quinn era a sua única companhia. Será através dessa senhora “pouco simpática” que ele irá conhecer um menino que jamais conviveu dentro de casa. Ona possui um passado triste e se apegou ao menino, pois de todos os escoteiros que passaram pela sua casa, este garoto foi o único que se importou verdadeiramente com a sua história.

Um menino paciente que a ouvia com total atenção. Ele a respeitava e se interessava por suas histórias, além de ajudá-la sempre que necessário. E a amizade entres eles acaba crescendo, porém ela se irrita porque de uma hora pra outra ele não apareceu mais em sua casa. Quinn não fala sobre a sua morte e decide se aproximar dela para saber mais sobre o filho que perdeu.

Um menino em um milhão - Monica Wood
Um Menino em um milhão – Monica Wood

O QUE ACHEI DE UM MENINO EM UM MILHÃO

Demorei muito para concluir esta leitura. Não por ela ser ruim (e não é), mas por ser intensa e reflexiva. Quinn nunca foi um bom pai e muito menos um bom esposo. O seu comportamento fez com que eu demorasse para sentir empatia por seu personagem. Ele sempre deixou claro que preferia o trabalho ao invés da família. E durante a trama, enquanto ele tenta se dar uma nova chance, notamos que sua esposa fez de tudo para ter a sua atenção enquanto o menino estava vivo.

Por ser um pai ausente, ele não sabia lidar com o seu filho. Não existia intimidade suficiente entre eles e isso fez com que se afastassem cada vez mais. Entretanto, mesmo com a sua ausência, o menino o idolatrava. E Ona é uma personagem importante, pois ela foi uma das poucas pessoas que conheceu o menino de verdade, inclusive as suas manias e obsessões por guiness e números.

Não há muito o que falar sobre a história, não há mistérios. Um menino em um milhão vai fazer você refletir sobre a vida. É uma história de amizade entre uma criança de 11 anos e uma idosa de 104. As gerações são tão diferentes, mas até nos esquecemos desse detalhe quando há diálogo entre eles. O que chama a atenção é a carga emocional que autora acrescentou na narrativa.

É uma leitura que recomendo, porém sem muitas expectativas. A premissa é linda, mas há alguns capítulos cansativos e extensos. Todavia serviu para aquecer o coração.

Um menino em um milhão - Monica Wood
Um menino em um milhão – Monica Wood

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

6 Comments

  1. Que fotos lindas!! Impossível não amar…
    Alguns livros acabam pecando por serem mais lentos do que a gente espera, e essa questão de conseguir criar empatia com os personagens é essencial pra gente se conectar a história, né? É uma leitura que já iria não esperando muito…
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE