Image default
Home - Todas as vezes que o “SE” atrapalhou meus planos
Pessoal

Todas as vezes que o “SE” atrapalhou meus planos

Eu não sou uma pessoa perfeccionista! Gosto de ver as coisas bem feitas, mas não faço questão se não estiverem. O meu problema sempre foi começar algo e desistir no meio do caminho e depois ficar me perguntando como seria se eu tivesse concluído,sabe?

Hoje eu não tenho medo de investir no que eu acredito, mas nem sempre foi assim. Passei minha adolescência inteira com o pensamento de que só valia a pensa investir em algo se eu percebesse que aquilo daria certo. E foi assim que eu perdi várias oportunidades como as festinhas do colégio, viagens com os amigos, encontros, cursos, uma graduação e tudo aquilo que hoje fico me perguntando como seria se eu tivesse feito uma escolha diferente.

É fácil imaginar como seria nossa vida se não tivéssemos medo de investir em nossas ideias. Como seria mais fácil se estivéssemos prontos para agarrar as oportunidades antes mesmo de encontrá-las. Sabe aquele emprego que você tanto desejou, porém não pode assumir a vaga por não ter os requisitos exigidos para ela?  Ou então aquela chance de viajar para um lugar que você sempre quis, mas teve que deixar de lado por não ter o visto ou passaporte?

As coisas começaram a funcionar quando comecei a investir em minhas ideias antes mesmo de coloca-las em prática. Comecei a deixar o “se” de lado e a usar o “por que não?”. Eu sei que não é algo fácil de se fazer, mas é possível! Quando comecei a investir no que eu acredito, passei a evitar algumas decepções. Isso tudo porque comecei a trabalhar com ferramentas que eu já possuo e com os pés no chão.

Claro que isso não significa que eu não vou mais dar de cara com a porta, mas trabalhar com os pés no chão faz com eu consiga planejar e evitar que o pior aconteça. E o melhor faz com que o “se” não seja mais um problema na minha vida.

Quis fazer esse desabafo depois de ver uma matéria que passou no Fantástico no final no mês passado. Nessa matéria conhecemos algumas influenciadoras digitais e o trajeto que elas percorreram para conseguir destaque. Só que o intuito desse desabafo não é dar (mais) destaque para essas meninas que deram certo, mas refletir sobre os sonhos que não foram pra frente, sabe? Uma dessas meninas que foram entrevistadas desistiu da profissão porque não teve retorno do investimento dela. Não sei o quanto ela investiu – e muito menos por quanto tempo – ou o que enfrentou, mas sei que muitos passaram/passam e vão passar por isso.

Investir no que você acredita não é perda de tempo. Não deixe que as pessoas influenciem suas escolhas. Se você realmente acredita que pode dar certo, faça! E se não der certo ache outra motivação, e tente de novo, de novo, de novo e quantas vezes foram necessário.  Não seja conduzido, conduza!

Ahhh e mais uma coisa! Ainda que seja difícil e trabalhoso, não se lamente e não se martirize pelas ações e decisões do passado, carregue como aprendizado, afinal é isso que vai constituindo nossas vidas. Faça o melhor com o que você tem hoje no presente e receba o futuro de braços abertos. Acredite em si mesmo/a e seja feliz.

Beijos

Leia também:

Lembranças da Infância

Diego Lorenzo

Dezembro em fotos

Clayci

27 lições em 27 anos.

Clayci

18 comentários

AMANDA ALMEIDA 31 de março de 2017 at 10:28

Oi Clayci,
Eu já me arrependi de muitas coisas, e acho que esse SE é o maior vilão na vida de uma pessoa. Mas sabe, hoje tento não olhar pra trás e ficar chorando por algo que poderia ter sido mas não aconteceu, tento olhar pra frente e ao mesmo tempo tento focalizar naquilo que quero realizar. Posso ter perdido tempo, posso, mas não consigo interferir mais em algo que passou, só tenho o hoje e é com ele que estou tentando trabalhar.
Abraços,
Amanda Almeida

Resposta
Clayci 3 de abril de 2017 at 19:00

<3 Amei seu comentário

Resposta
Bruna 18 de março de 2017 at 23:22

Clayci, amei o seu textinho.
E concordo muito com você. Acho que a expressão mais desoladora do mundo é o tal do “se”. E se não der certo? Mas e se der?
A gente tem mesmo é que tentar. Precisamos investir nas nossas ideias e perseguir nossos sonhos – afinal, é para isso que existe a vida, não é mesmo? Precisamos fazer a nossa jornada aqui valer à pena. E, de fato, isso só vai acontecer se trocarmos o “se” pelo “por que não?”

Por isso, mais uma vez, amei o seu textinho e a sua reflexão. <3

Resposta
Clayci 21 de março de 2017 at 12:28

Muito obrigada Bruna :´)

Resposta
Nicolle Por Deus 13 de março de 2017 at 15:17

O meu grande problema nem é o “se”, mas a preguiça de investir no que acredito. Sempre procrastino, deixo pra depois e a real é que só estou perdendo tempo e prejudicando a minha própria pessoa. Difícil. Mas concordo com cada palavrinha que você apontou no texto. Deixar o “se” de lado não é nenhuma garantia de que vai dar certo, porém é uma maneira de fazer com que dê! Parabéns pelo post e a foto também tá linda 😀

Resposta
Clayci 15 de março de 2017 at 10:30

Então temos que mudar isso né amiga?
Tu é a criatividade em pessoa, bora

Resposta
Luly 11 de março de 2017 at 21:02

Clay, a gente já manda aqui o famigerado “que textão da porra”, viu, porque você colocou pra fora tudo o que penso sobre experiências de vida! Eu desobri há uns tempos que não me arrependo de nada do que fiz (sério mesmo), mas a lista de arrependimentos pelo que não fez, pelo que teria acontecido SE tivesse feito… Essa me atormenta todos os dias!
Maravilhoso isso de trocar o “se” pelo “por que não?”! Espero que você esteja conseguindo aplicar com todo amor na sua vida mesmo, pra só buscar o que te acrescenta!

Resposta
Clayci 15 de março de 2017 at 10:41

<3

Resposta
Aziza Zayn 11 de março de 2017 at 16:48

Eu ainda tenho problema em não ter medo de investir no que eu acredito, de fato quando não existe um sinal de que realmente pode dar certo é muito é muito complicado arrumar forças para não desistir. Confesso que o se ainda me persegue…
beijoss

Resposta
Clayci 15 de março de 2017 at 10:43

Te entendo bem =/
Algo que me ajudou muito nesse quesito foi ter pensamentos mais positivos.
O NãO vc ja tem, que tal ir atrás do sim? <3

Resposta
Carol 10 de março de 2017 at 13:27

‘E se’ é aquela coisinha que nos sonda a vida toda ne ;/

Mas como você disse, cabe a nos mesmos mudarmos essa situação… e seguirmos olhando o futuro e só carregando o que de bom o passado ensinou!!

Amei o texto!!

Beijao

Resposta
Beatriz Cavalcante 10 de março de 2017 at 11:16

Adorei ler esse texto porque eu sou muito essa pessoa que fica pensando “mas, e se não der certo?”. Hoje até que eu arrisco um pouco mas, mas já deixei muitas coisas pra trás com medo, insegurança e até mesmo o pessimismo de achar que não vai dar certo sem ao menos tentar. Sobre isso de investimento, estou investindo meu tempo estudando para conseguir chegar naquele emprego ideal e o blog fica nesse meio a meio. Invisto, tempo e dinheiro e mesmo assim tenho a sensação de que ele não vai pra frente. Estou fazendo um teste agora de divulgar mais e ele tem dado mais resultado em números mas não em dinheiro. Enfim, to arriscando né? Vamos ver se da certo. hehe

Beijos!

Resposta
Clayci 15 de março de 2017 at 10:43

<3

Resposta
Isabella Lessa 10 de março de 2017 at 01:08

Me identifico, acho que não tenho outras palavras para expressar, amei, amei, amei!

http://isabellalessa.com

Resposta
Marina Menezes 9 de março de 2017 at 13:37

Ótimo texto! Sabe o que eu acho que estaríamos fazendo “se” tivéssemos feito o que achamos que não daria certo? Estaríamos nos perguntando como teria sido se não fizéssemos hahaha Tenho poucas situações em que me perguntaria como teria sido se eu tivesse feito, e são essas que me incomodam, mas são poucas mesmo. Não que eu esteja plenamente satisfeita com minhas decisões, mas estou satisfeita com onde estou e como estou conduzindo daqui pra frente, e isso me deixa em paz com meu passado. É o que você disse: carregar como aprendizado. Ver do que a gente se arrepende e tomar uma decisão diferente no futuro. E tentar entender que sem nossos erros a gente não seria quem somos 🙂

Resposta
Stefhanie 9 de março de 2017 at 08:01

Investir no que você acredita não é perda de tempo. Sempre penso isso, Clay!
Também já pensei em muitos “se” e acabei perdendo várias oportunidades, hoje em dia eu me jogo de cara, sempre dando o meu melhor e me forçando sempre a pensar que coisas ruins também pode acontecer sim, faz parte do processo. O importante é fazer algo diferente, pensar fora da caixinha, trocar ideias e experiências pra sair da zona do conforto e investir no que gostamos.

Seu texto melhorou meu dia!
Um beijo

Resposta
Dai Castro 8 de março de 2017 at 21:40

Realmente não é nada fácil deixar esse tal de “e se” de lado. Eu percebo que acabo sempre colocando alguns empecilhos diante dos meus planos com o famoso “mas”, o que é uma verdadeira auto sabotagem.
Temos que mudar aos poucos, pelo menos é assim que estou fazendo. O medo de que não dê certo sempre vai existir, mas se a gente realmente acredita em nossos projetos temos que ser mais fortes do que isso ou de qualquer “balde de água fria” que as pessoas, muitas vezes, derramam sobre nossos sonhos!
Adorei o texto, me identifiquei muito <3
Colorindo Nuvens

Resposta
Juliana Blog Resultado da Quina 8 de março de 2017 at 15:50

Excelente Artigo !!! Sempre visito este blog, e tenho aprendido muitas coisas legais aqui neste blog, sempre tem informações e dicas interessantes, muito bom…

Parabéns !!!!

Resposta

Deixe um comentário

* Seu comentário irá para aprovação

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE