Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

Mesmo vivendo um pesadelo e passando por tudo que passou. Paola é forte e determinada. Ela vive um trauma e tenta superar os seus medos todos dias. Paola é uma mulher perfeita mesmo com todas as suas imperfeições.

[blockquote align=”none” author=”Sorrisos Quebrados – Sofia Silva”]Meu reflexo surge no espelho como se o vidro estivesse quebrado, e não eu. Se eu não consigo ver beleza em mim, quem conseguirá?[/blockquote]

Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

SOBRE A HISTÓRIA

Paola vive um relacionamento abusivo e quase foi morta pelo seu ex-marido. Ela nunca imaginou que sua vida seria assim, afinal eles tinham um namoro perfeito e todas as suas amigas a consideravam sortuda. Porém mal sabiam que era apenas aparência. Ela foi espancada por ele e atacada por um dos pitbulls do marido quando tentou fugir e sair dessa vida.

Sei anos se passaram e Paola conseguiu escapar da morte. E desde então ela vive em uma clínica que oferece apoio a pacientes com diferentes traumas. Ela teve o seu rosto desfigurado e carrega cicatrizes (físicas e psicológicas) desde a tragédia. E foi nessa clínica que ela conheceu Sol, uma menina de quatro anos com problemas de socialização decorrentes também de um trauma.

Sol não interage com ninguém, contudo – inexplicavelmente – se sentiu a vontade na presença de Paola. E a partir daí nasce um sentimento de amizade e companheirismo entre elas. Só que esse sentimento acaba se estendendo a André (pai de Sol). No começo, Paola, sentia medo da sua presença devido ao seu trauma, mas aos poucos vai se sentindo a vontade e confiante na companhia de André.

Acaba nascendo um sentimento entre eles e em terceira pessoa, os capítulos de Sorrisos Quebrados, se alternam entre a perspectiva dos dois. E é dessa forma que conhecemos suas histórias individuais e os traumas que ambos carregam. Sol acaba unindo e ajudando nessa relação involuntariamente.

MINHA OPINIÃO

Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

Eu estava ansiosa pelo lançamento deste livro. Foi o meu primeiro contato com a autora e mesmo não comparecendo na bienal – que rolou no Rio de Janeiro este ano – vi o quanto ela é querida pelos fãs. Sorrisos quebrados me prendeu nos primeiros capítulos, antes de Paola conhecer o André.

Nunca vivi um relacionamento abusivo, mas convivo com pessoas que já viveram (e ainda vivem) em um. Então eu fiquei chocada, assustada e senti as dores da personagem quando narrou o episódio que quase tirou a sua vida. Roberto era um monstro! E fico triste em saber que inúmeras mulheres vivem nas mesmas condições (às vezes até piores) e não conseguem sair.

Depois da tragédia que desfigurou o rosto da Paola, acompanhamos a sua recuperação. Ela narra os seus traumas e se sente segura dentro da clínica. É claro que ela vive com medo e receio, pois não foi pouca coisa o que ela passou. Ela explica como ficou a convivência com as pessoas que apoiaram o seu casamento, depois de tudo isso.

Tudo estava indo bem na leitura até surgir o André. Paola e André não tem muita coisa em comum, a não ser o fato dos dois estarem “quebrados“. André possuí uma filha que se trata na mesma clínica e um acaso acaba aproximando os três. A filha do André se torna amiga da Paola e esse sentimento acaba ajudando ambas na recuperação. Ela é uma criança fofa que veio de uma passado sombrio e desde então não consegue se socializar. Mas se sente à vontade com Paola e isso acaba unindo os três.

Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

Eu queria muito ter gostado da história e tentarei mostrar todos os pontos positivos para não desmotivar quem estiver afim de ler. Sorrisos Quebrados aborda um tema atual e necessário. Entretanto o erro – na minha opinião – foi ele ter perdido o foco. Eu esperava ver a recuperação da Paola e a forma que ela lidaria com o seu emocional depois de tudo. Ela vive um trauma e deixa claro o medo que sente em ficar na presença de um homem (o que é compreensível) e era nisso que eu esperava que a história fosse trabalhada.

Todavia surge o André e de repente ela está apaixonada e se relacionando sexualmente com ele. Como acreditar que uma mulher, que viveu um trauma e que está há anos dentro de uma clínica por este motivo, se apaixone assim de forma tão simples? E o que falar de André? Eu até senti empatia pela sua história e gostei de ver a forma que ele se dedica a sua filha, porém ao meu ver ele também possuí um perfil de abusador.

Teve algumas cenas que fiquei com vontade de jogar o livro na parede. Ver a forma como ele tratava a mãe dele, fora a cena em que ele comparou Paola com sua ex e disse que todas as mulheres são iguais e há várias outras. Claro que falando isoladamente soa pesado, mas no livro isso tudo foi romantizado e isso me irritou profundamente. Há varias situações em que ele diz para Paola que seu comportamento/temperamento frio é por conta do seu sofrimento e que eles só teriam uma noite de prazer e nada a mais. E ver ela aceitando foi a gota d’água.

Ela vive insegura por conta da sua aparência e acredita que nunca mais vai encontrar uma pessoa capaz de amá-la nessas condições. Ela merecia muito mais do que o André e a história fez com que eu entendesse que ele foi a única “opção” que surgiu para ela. Não gostei do romance entre eles.

Mas ainda assim eu recomendo a leitura de Sorrisos Quebrados, pois o trabalho da Valentina está lindo. Fora o trabalho dessa capa que está maravilhoso. E recomendo porque acho válido a discussão sobre relacionamento abusivo, empoderamento e superação.

[penci_review]

Comentários

Comentários