Rangers: A Origem #2 - A Batalha de Hackham - John Flanagan

Pensa em uma pessoa que está com dificuldades para iniciar este post? Não faz muito tempo que publiquei a resenha do décimo segundo livro da série Rangers Ordem dos Arqueiros aqui no blog. Quem me acompanha já deve estar cansado de ler sobre esse assunto (por favor não desista de mim). Mas é impossível deixar o trabalho do John Flangan de lado. Ainda mais quando ele insiste em publicar coisas incríveis que fazem parte do mesmo universo.

Antes de iniciar a leitura da saga Ordem dos Arqueiros, o meu primeiro contato com o autor foi através do livro “O torneio de Gorlan” que faz parte da série que vou mostrar hoje. Por se tratar de um prequel, não fiquei completamente perdida e gostei do ambiente criado pelo John. Tanto que logo de cara eu já me apaixonei pelo arqueiro Halt.

O primeiro livro de “Rangers a Origem” foi publicado em 2016 pela editora Fundamento. É uma série nova e por se tratar de um prequel, não é necessário ter lido os 12 livros anteriores. Contudo é claro que se você leu todas as histórias, irá se deliciar com as inúmeras referências presentes na trama.

SOBRE A HISTÓRIA

Rangers: A Origem #2 - A Batalha de Hackham - John Flanagan

Rangers: A Origem #2 – A Batalha de Hackham – John Flanagan

A Batalha de Hackham iniciou exatamente onde O torneio de Gorlan parou. Apesar de Morgarath ter conseguido fugir e se esconder, o reino de Araluen investiga o que ele está planejando nessa ausência. Enquanto eles procuram pistas, o castelo está bem movimentado. A rainha Rosalin está esperando um filho e esta gravidez é de risco. Como o rei Duncan está inseguro sobre o futuro de Araluen e o bem estar de sua esposa, decide afastá-la do reino. Assim ela poderá descansar e cuidar da sua gestação.

Crowley e Halt descobrem que Morgarath está com alguns aliados mortais, conhecidos como Wargals. De alguma forma, o barão, consegue controlar a mente deles e dar comandos capazes de destruir o império. E é dessa forma que ele pretende se vingar do rei Duncan.

Como ninguém do reino conhece os Wargals, Halt decide investigar e se aproximar dos inimigos para ver como eles agem. Depois de quase perder a vida, consegue descobrir uma fraqueza e então começa a pensar em como deverá usar esta informação a seu favor. A preocupação é grande, pois depois da última batalha, o rei Duncan perdeu vários aliados. Muitos dos seus seguidores morreram e outros fugiram, ou seja, ele está com um exército reduzido e não faz ideia de como irá enfrentar Morgarath.

E não são apenas os cavaleiros que estão em númenos reduzidos. Os arqueiros também estão passando por uma crise. Deveria ter 50 arqueiros na equipe, entretanto há menos que a metade. Halt é um dos arqueiros mais novos na corporação e terá que usar a sua habilidade de estratégia para ajudar a salvar o reino ao lado do seu amigo Crowley. Será que ele irá conseguir?

O QUE EU ACHEI DE RANGERS A ORIGEM – A BATALHA DE HACKHAM

Rangers: A Origem #2 - A Batalha de Hackham - John Flanagan

Rangers: A Origem #2 – A Batalha de Hackham – John Flanagan

Já estou cansada de elogiar o trabalho do autor, no entanto, é maravilhoso ver a evolução da história. Nessa nova série “Rangers a Origem” vamos nos aprofundar no passado de alguns personagens. Em Rangers Ordem dos Arqueiros, Halt está presente (assim como os demais arqueiros), mas o foco está no aprendizado do pequeno Will.

E em Rangers a origem podemos conhecer melhor o passado de Halt. Nesse período da história, Halt é novo na corporação (com apenas 18 meses de serviço), contudo terá que liderar uma equipe que presta serviços ao rei há mais de 15 anos. Sentimos a sua insegurança, o seu medo e a sua determinação.

Além de rever outros personagens que fizeram a diferença na série anterior. Já imaginou o Gilian pequeno? Ele foi aprendiz de Halt, mas antes disso salvou sua a vida lutando com um Wargal (e tinha apenas 12 anos de idade). Também vamos acompanhar o relacionamento de Halt com Pauline; a amizade que nasceu com o barão Arald; a felicidade do rei Duncan com o nascimento da princesa Cassandra e até mesmo um flashback de como ele conheceu o pequeno Will.

Sem dúvidas, este prequel foi um presente para os fãs. Por mais que a gente compreenda a relação entre os arqueiros na série anterior, nesta é possível ver como eles se aproximaram. Outra coisa que notei, foi a velocidade dos fatos. Se você leu Rangers Ordem dos Arqueiros e se incomodou com algumas cenas paradas, nessa edição você encontrará mais ação.

Estou ansiosa pela continuação da história e feliz porque finalmente poderei saber mais sobre o meu arqueiro favorito.

VEJA MAIS PUBLICAÇÕES SOBRE RANGERS

Rangers #12: Arqueiro do Rei - John Flanagan Rangers #11: Histórias Perdidas - John Flanagan

Comentários

Comentários