Rangers #8: Reis de Clonmel – John Flanagan 4 84

Rangers #8 – Reis de Clonmel;
ISBN: 9788539501281
Páginas: 360
Autor: John Flanagan
Editora: Fundamento
Avaliação: 
Sinopse:  É um raro momento de folga para Will e os outros arqueiros. Todos haviam deixado seus postos, por alguns dias, para participar da Reunião Anual dos Arqueiros. Uma oportunidade de reencontrar os amigos e compartilhar histórias de aventuras. Distante de tudo isso, Halt está na costa oeste, a fim de investigar um mal que floresce na região. Uma terrível seita religiosa formada por um infame grupo de malfeitores conhecido como “os forasteiros”. Halt descobre que a influência do culto maligno já chega a cinco dos seis reinos que formam a Hibernia. Apenas o reino de Clonmel se coloca entre os forasteiros e o domínio de todo o território hiberniano. Agora, cabe a Will, Halt e Horace lutar em defesa da liberdade de Clonmel e destruir as pretensões da seita. Em meio ao conflito, segredos serão revelados e Halt precisará encarar alguns fantasmas de seu passado. Um confronto que pode se mostrar ainda mais difícil do que a batalha por Clonmel.

*Livro cedido em parceria com a editora.

Rangers é o tipo de livro que não importa a idade que você tenha, sempre vai aprender algo com ele. Se antes eu me intimidava com o tamanho da série a adiava a leitura, hoje fico preocupada com a chegada do fim. Estou no oitavo livro e é incrível como o autor consegue me surpreender em cada volume. Em Reis de Clonmel vamos conhecer um pouco mais sobre a vida pessoal (e misteriosa) de Halt, além de refletir sobre laços de sangue e da importância dos laços do coração formados pela amizade verdadeira.

Halt é o meu personagem favorito da série. Sei que o foco (pelo menos no inicio) é no jovem arqueiro Will e gostei de acompanhar o seu crescimento e amadurecimento no decorrer da trama, porém Halt é aquele tipo de personagem que não precisamos conhecer a fundo para nos apaixonarmos. Ele é prático, objetivo, sincero e merece todo o destaque e respeito. Mas por que estou falando tanto do arqueiro nessa publicação? Porque em Reis de Clonmel vamos conhecer um pouquinho sobre o seu passado e entender o porquê dele ter feito a escolha de ir para Araluen.

Como a sinopse entrega, começamos a história em um momento de descontração. Todos os arqueiros estão relaxados e prontos para mais uma reunião anual. Nessa reunião eles aproveitam para se encontrar e conversar sobre os últimos acontecimentos. Todos estavam presentes, quer dizer quase todos. Halt estava no país de Hibernia de olho em um grupo de forasteiros prontos para causar o caos. Nessa história nós conhecemos uma nova “ordem!. Will, Horace e Halt formaram uma pequena equipe para agir em situações especiais em que o Reino de Araluen pede urgência.

Como eu havia citado, Halt estava de olho em um grupo de forasteiros que se aproveitaram da fé das pessoas para conseguirem dinheiro. Eles pregavam a palavra de um Deus que não existia (Alseias) e criavam um caos na cidade para “provar” a existência dele. Havia alguns habitantes que não acreditavam nesse Deus, porém se eles enfrentassem o líder sofriam as consequências. Então, a nova  “ordem” foi atrás do grupo para desmascará-los antes que o pior acontecesse.

E olha que esse novo grupo vale por uns 50 homens, viu? Juntando a experiência do Halt, a habilidade do Will e a força de Horace fica fácil derrotar qualquer inimigo. Mas o que os jovens não sabiam é que Halt teria que enfrentar uma parte do seu passado para resolver o problema e levar a paz para Hibernia. Finalmente conhecemos alguns membros da família do arqueiro e a sua origem.

Claro que não irei soltar nenhum spoiler do mal, porém posso dizer que se você for ler o oitavo livro, saiba que você não vai conseguir parar a leitura por nada. Os capítulos são encerrados em momentos cruciais e é impossível não iniciar a leitura do próximo. Apesar de história focar na vida de Halt, Horace teve um grande destaque. É incrível ver que ele se sente mais confortável perto dos arqueiros e que deixou a sua ingenuidade de lado. Ele está confiante e determinado! Will continua habilidoso como sempre e vejo muito do Halt nele. A ligação que os arqueiros possuem entre si é linda! Will encontrou um verdadeiro pai.

Gostei bastante da leitura e não vejo a hora de ler o 9ª livro.

NÃO CONHECE A SÉRIE? LEIA AS RESENHAS ANTERIORES.

 

 

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

4 Comments

  1. Oi Clayci, tudo bem?
    Muito bom quando uma série cumpre com as expectativas, fico feliz em saber que mesmo no oitavo livro a série ainda empolga e surpreende. Adorei sua resenha, não sei se iniciaria a leitura dessa série por agora, já que são muitos volumes e estou com muitos livros para serem lidos, mas espero ter oportunidade um dia!

    Obrigada pelo carinho. Um super beijo :*

  2. Não faz isso Clayci! Assim eu não me aguento de curiosidade hahaha <3 O Halt é um ótimo personagem mesmo! Vai ser muito bom conhecê-lo mais a fundo!
    E que bom que você vem gostando dos livros! Assim fico ainda mais animada para continuar a série! Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE