Image default
Home - Rangers #11: Histórias Perdidas – John Flanagan
Aventura Fantasia Resenhas Literárias

Rangers #11: Histórias Perdidas – John Flanagan

Não está sendo nada fácil me despedir da série Rangers Ordem dos Arqueiros. Histórias Perdidas foi um presente do John Flanagam para os fãs. São contos incríveis sobre o reino de Araluen. E mesmo lendo a notícia de que o autor lançará o 13º livro em um futuro não tão distante, já estou com saudades.

SOBRE A HISTÓRIA

Giles MacFarlane é um professor que está liderando uma expedição arqueológica atrás de vestígios do reino de Araluen. Iniciamos a história em 1846, no condado de Redman –  pertencente à República dos Estados de Aralan. Giles encontrou as ruínas do Castelo Redmont e desde então explora (junto com a sua equipe) atrás de evidências sobre os heróis que amamos tanto. Os arqueiros de Araluen se tornaram uma lenda; Não há nenhuma prova de que eles realmente existiram, pelo menos por enquanto.  Audrey, uma das voluntárias mais empolgadas da expedição, encontra uma cabana isolada e chama Giles para explorar a novidade. Eles encontraram um baú com várias páginas de um manuscrito. Felizmente eles encontraram provas de que os arqueiros existiram, pois nesse baú havia as Histórias perdidas de Araluen.

Foi assim que John Flanagan encontrou uma oportunidade para apresentar nove histórias inéditas desse universo incrível. A maior parte dos fatos descritos se passam após os acontecimentos do décimo livro. Logo no primeiro conto o autor alterna entre presente (após o fim do volume anterior) e passado. E mais pra frente vamos encontrar um passado bem mais distante. Sem falar que o autor aproveitou para atender aos pedidos dos fãs e criou dois contos baseado em histórias e momentos que já conhecemos. Rangers #11: Histórias Perdidas - John Flanagan

Rangers #11: Histórias Perdidas - John Flanagan

MINHA OPINIÃO SOBRE HISTÓRIAS PERDIDAS

Esse livro foi um presente maravilhoso para os fãs da saga. Relembrei vários momentos (e personagens) que passaram pela série. Halt é o meu personagem favorito e quando li o conto sobre a verdadeira origem de Will fiquei emocionada. Sempre achei encantadora a relação entre os dois arqueiros, mas finalmente pude compreender melhor a ligação entre eles. Por mais que Halt já tenha mencionado sobre o pai do jovem, foi em Histórias Perdidas que compreendi o motivo dele acompanhar o jovem desde pequeno.

Mas vamos mudar um pouquinho de assunto. Finalmente Horace vai se casar com a princesa Evanlyn  e Will terá que escrever os votos para o grande dia deles. E é claro que se tratando de Will não será nada simples. O arqueiro não quer desapontar o amigo e nem as pessoas da realeza que estarão presentes na cerimônia.

E por falar em casamento, Alyssa também irá para o altar com o arqueiro. Sem dar spoilers, o que posso dizer sem medo é que teremos muitos casais em Histórias Perdidas. É claro que haverá alguns incidentes no decorrer das histórias, mas eles serão usados apenas como pano de fundo. O clima geral é de festa e alegria! 

Não há muito o que dizer sobre o livro, pois não quero estragar a leitura de ninguém (mesmo não sendo um lançamento). A história fluiu super bem por aqui e demorei um pouco para conclui-la porque queria aproveitar todos os detalhes antes de me despedir dos personagens. Sem falar que no final me surpreendi com o primeiro capítulo de Brotherbandeu já li e resenhei por aqui.

LEIAS AS RESENHAS DOS LIVROS ANTERIORES

[metaslider id=13121]

 

VEJA O VÍDEO SOBRE O PRIMEIRO LIVRO DE BROTHERBAND

Leia também:

A Guerra que Salvou a Minha Vida – Kimberly Brubaker Bradley

Clayci

O Livro Ilustrado dos Maus Argumentos – Ali Almossawi

Clayci

Rangers #6 – Cerco a Macindaw – John Flanagan

Clayci

21 comentários

Luiza 30 de janeiro de 2018 at 02:03

Eu amo essa série de coração. Resolvi reler todos já que tinha parado no 10 quando ele lançou. E notei que a tradução deixa um pouco a desejar. Eles mudam o nome de alguns objetos com o passar dos livros, e lendo histórias perdidas eu não entendi porque eles mudaram o nome de Ébano pra Pretinha. Alguém me explica please?

Resposta
Clayci 30 de janeiro de 2018 at 14:42

Oi Luíza, tudo bem?
Na verdade houve um erro de digitação. Nessa história, Will já era arqueiro junior e não mais aprendiz. Quando o Will deu a pretinha ele não tinha certeza se seria o nome definitivo da cadela. Então o Trober colocou o nome sombra. Já nessa história, ela teve a Ebano como filhote. =) Não houve mudança de nome, só de tempo mesmo <3

Resposta
Luan 24 de julho de 2018 at 11:00

No meu entendimento, ou houve erro de tradução (por parte da editora) ou nome (por parte do John), pois pretinha era o nome dado por Will em Macidaw, quando Will e Alis ainda não eram um casal assumido.
Já no “histórias perdidas”, teoricamente, não fica claro em que tempo se passa a história, mas Pretinha nunca chegou a ir para cabana de Halt e Will em RedMont, só na cabana de Will em SeaCliff.
Após Macidaw Will e Alis se assumem como casal, e Pretinha ficou com Trobar (agora chamada de Sombra)…. Teoricamente a história dos Nômades se passa após Tenyson, que é quando Ébano entra pra família.

Resposta
Clayci 24 de julho de 2018 at 14:30

Oi Luan..
Foi uma dúvida que eu tive que perguntar pra próprio fundamento ahIUAhUahIUAh
Acho que teve uma discussão sobre isso lá no grupo do livro no facebook.. achei bem interessante as teorias que surgiram por lá <3

Resposta
Lilian Moraes 21 de novembro de 2017 at 07:25

Não lembro de ter lido nada de John Flanagan, confesso que não curto muito contos e histórias de fantasia. Sua resenha ficou demais e o livro é lindo.

Beijos
http://orangelily.com.br/

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 12:12

Poxa, sério? Esse já é o meu gênero favorito <3

Muito obrigada!!
Beijos

Resposta
Silvana Crepaldi 21 de novembro de 2017 at 05:54

Olá, Clayci.
Nossa essa série é muito grande. Eu só tenho o primeiro livro mas ainda não li ele hehe. Mas é uma série que tenho vontade de ler. É tão bom quando o autor presenteia os fãs dessa forma. Porque bate aquela saudade mesmo. Ainda mais depois de tantos livros acompanhando.

Prefácio

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 12:19

Oi <3
Eu pensava igual você antes de iniciar "É muito grande" e agora que estou no fim , sofro hahahahha

Resposta
Váh 20 de novembro de 2017 at 21:20

A história parece ser dahora!!
Amei as fotos combinando coma temática do livro e tals, muito bom!!
Ah, ameeei os posts que você fez sobre os brinquedos que vinham no Kinder Ovo, eu tenho minha coleção até hoje <3

http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 12:21

Oi Váh!
Você viu? Somos sortudas em manter essa coleção hauhauauha

Resposta
Karina Pinheiro 20 de novembro de 2017 at 17:56

oieee
lindo esse livro e eu amei as fotografias
o seu potinho prateado de guardar joias é igual o meu
eu tenho um igualzinho hehehe
beijão
Karina Pinheiro

Resposta
Karina Pinheiro 20 de novembro de 2017 at 17:56

oieee
lindo esse livro e eu amei as fotografias
o seu potinho prateado de guardar joias é igual o meu
eu tenho um ingualzinho hehehe
beijão
Karina Pinheiro

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 12:33

Obrigada <3

Resposta
Priih 20 de novembro de 2017 at 08:24

Oi Clayci, tudo bem?
Tenho até o 4º livro dessa série, mas só li até o 3º. O primeiro achei mais infantil, mas sinto que a série cresce nos volumes 2 e 3.
Quero retomá-los!
Beijos,

Priih
Infinitas Vidas

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 12:46

Oi Priih!

Bom os personagens amadurecem no decorrer da série, mas continua com o mesmo clima.
A série ela foi feita para um público mais jovem mesmo, então o autor tomou cuidado ao desenvolver os volumes sem perder a “fantasia”

Beijos

Resposta
VANESSA BRUNT 19 de novembro de 2017 at 12:00

Que resenha maravilhosa! Ficou ainda mais sensível e bela por vir das mãos e mente de quem já mergulha tanto nas metáforas do universo. Fiquei encantada! Não lembro de ter ouvido falar do autor, mas sou apaixonada por essas conexões em obras, por essa criação que tanto faz críticas ao ‘mundo real’ de maneiras tão poéticas em entrelinhas. Fiquei louca para ler!

http://www.semquases.com

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 13:08

Muito obrigada! <3

Resposta
Sté Maciel 19 de novembro de 2017 at 09:13

Adoro quando um autor dá um presentinho pros fãs ? adorei o livro *-*

mariasabetudo ?

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 13:16

É muito legal, né? <3
Sinal de que ele se preocupa e atende as vontades hahahah

Beijos

Resposta
Natz Sodré 18 de novembro de 2017 at 20:25

Ameeeeei a sua resenha Clayci! Eu nunca assisti nenhum dos livros da série dos Rangers, mas é tão bacana quando fazem presentes assim aos fãs da série, realmente, emociona… livros mais detalhados e cheios de histórias lindas com os personagens que nos fizeram viajar… confesso que eu fiquei envolvida com sua resenha e fiquei bem tentada em começar a ler, é o tipo de livro que com certeza eu iria gostar… beijocas!

Resposta
Clayci 23 de novembro de 2017 at 13:17

Oi Natz não consegui compreender bem.
Você nunca assistiu Rangers? Super recomendo a leitura, é uma série maravilhosa.

Beijos

Resposta

Deixe um comentário

* Seu comentário irá para aprovação

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE