Rangers #10: Imperador de Nihon-Ja - John Flanagan

Chegou a hora de me despedir dos personagens que tanto amo. E nem acredito que consegui ler a saga na sequência! Lembro que adiei a leitura por causa do tamanho da série, mas já comentei o quanto me arrependi por não ter iniciado antes. Sei que ainda tenho dois volumes para ler: “Histórias Perdidas” e “Arqueiro do Rei” e também sei que há um crossover (Brotherband) e uma nova série que conta a origem de Rangers, mas não é fácil ter que me “despedir” dos personagens a que me apeguei tanto.

E no décimo livro,  Imperador de Nihon-Ja, vamos refletir sobre diferenças sociais, injustiças, desigualdades e superioridade. Will, Horace, Halt, Evanlyn e Alyss vão para Nihon- Ja ajudar o imperador a lutar contra a oposição que  tanto quer tirá-lo do trono. O imperador acredita que todos são importantes e que não deve haver diferença social. Todos possuem o direito de se expressar, mas um grupo que jurou lealdade ao imperador entende essa atitude como traição. Eles não aceitam ver uma população “inferior” com os mesmos direitos que eles.

Teremos muitas lutas e mortes nessa história. E o meu querido Halt estará de volta para ajudar no planejamento estratégico e arrumar um jeito para acabar com essa “guerra”.

Rangers #10: Imperador de Nihon-Ja - John Flanagan

Demorei para concluir a leitura porque achei a primeira parte monótona e desnecessária – em partes. Na primeira parte nós vemos Horace convivendo com uma nova cultura. Ele foi enviado para Nihon- Ja para conhecer novas técnicas usadas em batalhas. E acaba aprendendo muito mais do que isso. Para ser mais direta, ele ganha o respeito dos asiáticos e quando está se despedindo do imperador descobre sobre a oposição e decide ficar para protegê-lo.

Por tomar essa decisão, ele deixa seus amigos araluenses preocupados por falta de notícias e com isso eles vão atrás do guerreiro.  Foi essa parte que me deixou irritada! Enquanto estavam a caminho de Nihon- Ja o autor sentiu necessidade de colocar Alyss e Evanlyn em uma disputa infantil por causa de Will. Já aconteceu das duas se estranharem em alguns volumes anteriores, mas não a ponto de “duelarem(vamos dizer assim) por causa do arqueiro.

Não consegui aceitar a “construção” da personagem Evanlyn nessa história. Lembro que em o Resgate do Erak tivemos uma princesa madura que tomava as decisões e pensava nas consequências. Pela primeira vez senti que o autor estava valorizando uma personagem feminina e não a tratando como uma mimada que precisa ser salva. Porém em Imperador de Nihon-Ja, parece que ela foi diminuída para dar espaço para uma outra personagem feminina: Alyss.

Rangers #10: Imperador de Nihon-Ja - John Flanagan

Sempre torci por Alyss e Will, mas a birra que peguei com ela foi tão grande que… (não darei spoilers). Evalyn é uma princesa e possui um papel importante em Araluen. Teve momentos que nossa querida Alyss se esqueceu disso e a tratou com desrespeito. E por falar em Will ele não foi o “destaque” dessa vez – apesar dessa disputa. Pensei que teríamos mais cenas com o jovem arqueiro, contudo apesar de ter um papel importante na batalha o destaque foi para Horace.

Incrível como Horace amadureceu tanto no decorrer da série. Se antes ele era apenas um soldado que pensava apenas em luta, hoje ele é um guerreiro e toma decisões importantes. E a amizade (e o respeito) entre ele e Will permanece intacta e me divirto ver os dois juntos.

O Imperador deu leveza para a história. Por mais que eles estivessem em conflito, o imperador acalmava e mostrava que devemos enxergar os problemas por outro ângulo. Queria que ele fosse um personagem mais presente nesta série, pois seu papel ameniza os momentos de tensão. E por falar em personagens presentes, tivemos vários presentes em  Imperador de Nihon-Ja, Só faltou os principais, como os outros arqueiros, né?!

Rangers #10: Imperador de Nihon-Ja - John Flanagan

Por outro lado, foi bom não ter que me despedir deles nesse volume. Não vejo a hora de dar sequência e ver o que o autor aprontou para os fãs. Se você ainda não conhece a série Rangers eu super recomendo! É uma série que atrai todos os públicos. Com várias mensagens reflexivas e personagens cativantes.

LEIA AS RESENHAS ANTERIORES

Rangers #12: Arqueiro do Rei - John Flanagan Rangers #11: Histórias Perdidas - John Flanagan

[penci_review]

Comentários

Comentários