Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff 15 97

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi

8 de 10
*Livro cedido em parceria com a editora.
ISBN: 9788565859974
Páginas: 352
Autor: Joachim Meyerhoff
Editora: Valentina
Sinopse: sso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e jovens? Nosso pequeno herói não conhece outra realidade - e até gosta muito da que conhece. O pai dirige uma instituição com mais de 1.200 pacientes, ausenta-se dentro da própria casa quando se senta em sua poltrona para ler. A mãe organiza o dia a dia, mas se queixa de seu papel. Os irmãos se dedicam com afinco a seus hobbies, mas para ele só reservam maldades. E ele próprio tem dificuldade com as letras e sempre é tomado por uma grande ira. Sente-se feliz quando cavalga pelo terreno da instituição sobre os ombros de um interno gigantesco, tocador de sinos. Joachim Meyerhoff narra com afeto e graça a vida de uma família extraordinária em um lugar igualmente extraordinário. E a de um pai que, na teoria, é brilhante, mas falha na prática. Afinal, quem mais conseguiria, depois de se propor a intensificar a prática de exercícios físicos ao completar 40 anos, distender um ligamento e nunca mais tornar a calçar o caro par de tênis? Ou então, em meio à calmaria, ver-se em perigo no mar e ainda por cima derrubar o filho na água? O núcleo incandescente do romance é composto pela morte, pela perda do que já não pode ser recuperado, pela saudade que fica - e pela lembrança que, por sorte, produz histórias inconcebivelmente plenas, vivas e engraçadas.

“A loucura está do lado de dentro ou de fora?”

Sabe aquele pilha de livros que não para de crescer? Já faz um tempo que eu queria ler Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi, mas nunca encontrava uma oportunidade para me jogar nessa leitura. E agora que (finalmente) li posso dizer que fui surpreendida.

SOBRE A HISTÓRIA

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi é narrado pelo pequeno Joachim – o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e adolescentes chamado Hesterberg. Josse (como é conhecido pelos amigos) inicia a história falando sobre a sua experiência – com sete anos – ao encontrar um morto no caminho para a escola. Acredito que esta cena seja um choque para qualquer idade, mas com Josse foi um pouquinho diferente.

Joachim vive em uma casa construída no terreno do hospital junto com seus pais e os seus dois irmãos mais velhos. Por crescer dentro de uma clinica psiquiátrica, ele enxerga a vida diferente das demais crianças. Ele viveu experiências incomuns e o seu ciclo de amizade, bom, são com os pacientes que vivem por lá. E é assim que a história flui, Josse vai narrando a sua visão (limitada) do mundo de acordo com o seu crescimento.

Ele cita as particularidades das loucuras que vai identificando ao seu redor. Porém, mesmo crescendo em um ambiente diferente do que estamos acostumados a encontrar, Joachim é um garoto feliz, espontâneo, curioso e ama a sua família – principalmente o seu pai; que mesmo sendo o responsável por todo o hospital é presente em sua vida e faz de tudo para que a sua profissão não interfira no lar deles.

Josse consegue lidar e conviver nessas condições, no entanto, às vezes ele perde o controle e tem acessos de raiva. Mas tenta suportar essas crises. E aos poucos ele vai crescendo e continua compartilhando todas as suas experiências: os pequenos desentendimentos familiares, tragédias e incidentes que ocorrem dentro do hospital. Vamos amadurecendo junto com ele e acompanhando a sua trajetória motivada pelo mesmo estilo de vida – o único que ele conhece desde então.

Para mim, foi um reconhecimento incrivelmente libertador: inventar significa recordar.

O QUE ACHEI DE QUANDO FINALMENTE VOLTARÁ A SER COMO NUNCA FOI

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff
Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff

A primeira coisa que chamou a minha atenção nesse livro, foi a capa. Logo que bati o olho, consegui fantasiar o mistério que a trama trazia. Porém fui enganada, positivamente, mas fui. Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi é o tipo de livro que surpreende com a simplicidade da narrativa.

Josse cresceu em um ambiente conturbado, mas o destaque não são os pacientes. Aqui vamos conviver com uma família que faz de tudo para ser “normal”, mesmo sabendo que o local em que vivem não é. Ou é? O que é loucura afinal? Quando falo da simplicidade da narrativa é porque o livro é composto por dias bons e ruins. Temos personagens com problemas reais, mas nem por isso a leitura é tediosa.

Eu gostei da construção dos personagens. Mesmo o livro sendo narrado na perspectiva de Joachim, somos apresentados a personagens intrigantes e isso faz com que fiquemos curiosos para conhecê-los melhor. Compartilhamos dos seus medos, defeitos, conflitos, qualidades e vulnerabilidades.  Acompanhar o dia-a-dia dessas pessoas “comuns” é o grande diferencial na história.

Entretanto devo admitir que isso pode se tornar um pouco cansativo. É como se estivéssemos lendo o diário de Josse, por isso a narrativa é mais lenta e cheia de detalhes. Eu gostei muito da história e da mensagem transmitida. O autor fez com que eu enxergasse as coisas por outro ângulo. Fez com que eu pensasse nas minhas atitudes e refletisse sobre o que é ser “normal” de verdade e porque fazemos tanta questão disso. Já que fazer nossas “loucuras” faz com que sejamos únicos e especiais.

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

15 Comments

  1. Oi, tudo bem? O título, desde a primeira vez em que o vi, me chamou muita atenção, assim como a capa. Mas eu não sabia muito sobre a história, até agora, com a sua resenha. Com certeza, é o tipo de livro que gosto. Acho que ele passa uma mensagem muito positiva e de diversidade, coisas que precisam ser inseridas no mundo real (e que ótimo que elas existem na literatura!). Eu não teria problema com a narrativa ser lenta e cheia de detalhes, pois é o meu tipo de narrativa preferida; acho que acabamos perdendo ótimos livros simplesmente porque ficamos esperando a aceleração das cenas e plots twists arrebatadores (lembro de um texto da Aline Valek sobre isso que, nossa, me fez perceber quão verdadeiro é isso!) (e é claro que isso é causado pela ansiedade social que, querendo ou não, permeia a todos nós).
    Adorei sua resenha, me fez muito querer ler!

    Love, Nina.
    Feliz ano-novo!
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

    1. Oi Nina.
      Concordo com vc sobre a narrativa e a pressa pelo desfecho rs;
      A única coisa que me incomodou nesse livro foram detalhes que de fato não fariam diferença se não fossem citados, sabe? Não agregou na mensagem e nem no amadurecimento do personagem. Mas enfim eu gostei bastante e fui surpreendida positivamente. Pensei que iria encontrar uma fantasia, mas encontrei assuntos reais, com discussões importantes.

      Beijos e Feliz ano novo <3

  2. Olá, esse é um livro que está na minha lista de desejados há algum tempo, não só pela capa interessante, mas também por eu estar curiosíssima para descobrir mais da vida desse garoto que mora num local um pouco inusitado. Pela sua resenha, acho que será uma leitura que vou gostar de fazer.

  3. Nossaaa, fiquei intrigada com a capa do livro e o título, lendo sua resenha gostei bastante do título e fiquei curiosa em fazer a leitura, gosto do gênero, aliás gostei muito da foto que você tirou….

    Nara Dias
    Viagens de Papel

  4. Oi, Clayci!
    Eu não conhecia esse livro, achei bem interessante a abordagem da trama com um garoto sendo criado em um ambiente totalmente diferente do que estamos acostumados. Gostei bastante da premissa e espero conseguir ler em 2018.
    Bjos!
    Lucy – Por essas páginas

  5. Oii
    ADorei saber sua opinião sobre o livro, eu ainda não conhecia mas confesso que fiquei bem interessada em ler ele, porque retrata um tema que geralmente não é muito falado por aí. Que pena que a leitura foi um lenta mas deve ser cheia de ensinamentos mesmo, já quero ler.
    Bjos, Bya! ?

  6. Oi Clayci, tudo bem?
    Achei bem válida a discussão que o autor traz, sobre o que é ser normal ou não, e meio que desmistificando o nosso olhar sobre essas questões.
    Mas a trama em si não me chamou muito a atenção, então acho que não leria. 🙁
    Beijos e Feliz Natal,

    Priih
    Infinitas Vidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE