o-primeiro-dia-do-resto-da-nossa-vida-capaO primeiro dia do resto da nossa vida;
I.S.B.N:9788580416213;
Páginas: 432;
Autora:Kate Eberlen;
Editora: Arqueiro;
Avaliação:
Sinopse: Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem… Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade… ou será que não? O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

*Livro cedido em parceria com a editora.

Como pode duas pessoas que não se conhecem terem tantas coisas em comum? Em “O primeiro dia do resto da nossa vida” conhecemos dois jovens com destinos diferentes, mas com o mesmo desejo: seguir seus sonhos.

Tess e Gus não se conhecem e passamos a história inteira nos perguntando se irão se conhecer.  Eles estão curtindo (ou pelo menos tentando) as férias em Florença. Eles terminaram o ensino médio e vão entrar na universidade! Tess escolheu o curso de Letras e o Gus optou por medicina (por causa do seu pai). Gus perdeu o irmão recentemente em um trágico acidente e se sente culpado pela morte dele. Já Tess descobre que assumirá uma responsabilidade muito grande, pois sua está com câncer de mama e em fase terminal.

o-primeiro-dia-do-resto-da-nossa-vida-2

A história começa com um clima pesado lá em 1997, mas conforme as coisas vão esfriando vamos conhecendo um pouquinho melhor cada um. Tess teve que abrir mão do seu sonho para cuidar da sua irmã Hope (que sofre de um leve autismo) e não possui o apoio do pai. Ele sustenta a casa, mas passa muito tempo fora no bar com os amigos. E apesar de Gus ter começado medicina por causa do seu pai – o sonho dele era ser artista – ele acaba se adaptando a nova vida e se afastando um pouco da família, depois do acidente com o seu irmão.

Enquanto eles não se conhecem a vida segue. Passamos a história inteira nos perguntando se eles realmente vão se conhecer e em que fase da vida deles isso vai acontecer. A história me prendeu tanto que apenas fiquei na torcida para que eles tivessem um final feliz. Cheguei a um ponto que nem desejava mais que os dois se encontrassem, apenas queria que eles encontrassem alguém e continuassem a vida deles da melhor forma possível.

o-primeiro-dia-do-resto-da-nossa-vida-3 o-primeiro-dia-do-resto-da-nossa-vida-1

E apesar deles serem os personagens principais, vamos conhecendo outros durante os anos que seguem. Teve alguns que peguei tanto ódio e birra que não via a hora deles saírem de cena. A forma que Kate Aberlen usou para narrar a história fez com que me sentisse dentro de tudo o que acontecia a cada página.

Recomendo a leitura!

Bejios

Comentários

Comentários