O lar da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares #1;
I.S.B.N:  9788544102848;
Páginas: 336;
Autor: Ransom Riggs;
Editora: Intrínseca;
Avaliação:
Sinopse:  Tudo está à espera para ser descoberto em “O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que possa parecer – ainda podem estar vivas. “Mesmo sem as fotos, esta seria uma história emocionante, mas as imagens dão um irresistível toque de mistério. A narração em primeira pessoa é autêntica, engraçada e comovente. Estou ansioso para o próximo volume da série!” RICK RIORDAN, autor da série Percy Jackson e Os Olimpianos. “Um romance tenso, comovente e maravilhosamente estranho. As fotos e o texto funcionam brilhantemente juntos para criar uma história inesquecível.”

Finalmente eu consegui ler este livro! E quando digo finalmente, não é porque achei a história ruim (muito pelo contrário). Mas sim porque consegui chegar até ele na minha lista interminável de livros para ler. Ganhei o “O lar da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares” de presente de natal dos meus amigos Weslei e Flore e fiquei tão empolgada com a leitura.

Vamos conhecer Jacob? Um adolescente que trabalha na rede de mercados da família da sua mãe. Ele realmente odeia o seu trabalho, mas não consegue ser mandado embora por conta de seus parentes. Ele mora com os pais, inclusive o seu pai tem o sonho de publicar um livro, porém sempre desiste de suas idéias e elas acabam parando dentro de uma gaveta.

Fora os pais, Jacob possuía uma ligação muito forte com o seu avô paterno. Abe Portman sempre esteve presente na vida do neto contando histórias sobre o seu passado e mostrando o quanto foi feliz no lar da Srta. Peregrine mesmo vivendo no meio de uma guerra. Jacob amava as suas histórias, mas conforme foi crescendo ele passou a questionar a veracidade delas. Como já era de se esperar, ele deixou de acreditar nas histórias encantadoras que o vô contava até que um dia ele viu o seu avô morrer.

Foi então que Jacob decidiu ir atrás da verdade sobre o passado do seu avô e viajou para uma ilha em busca de respostas. E ele encontrou todas elas!

Apesar de ter curtido a história preciso confessar que não consegui simpatizar tanto com o personagem principal. Ele é aquele tipo de pessoa que não questiona nada, sabe? Não consegui sentir a sua presença na história e achei isso bem chato, pois apesar do destaque ser a história do orfanato, Jacob é o personagem que nos leva até lá e por mais que ele tenha ido atrás da verdade e demonstrado curiosidade a respeito, não consegui enxergar a sua personalidade. Espero que isso se desenvolva nos outros livros.

Mas finalmente poderei assistir o filme depois de tanto enrolar. Apesar de ter achado o início do livro arrastado, quero dizer que valeu a pena conhecer cada criança peculiar. Quando finalmente conheci o orfanato e as peculiaridades de cada criança fez com que a leitura valesse a pena. O autor conseguiu prender a minha atenção na história e fazer com que eu imaginasse todas as cenas criadas por ele – claro que as fotografias me ajudaram muito nisso.

Não vejo a hora de dar continuidade na história! <3

 

Comentários

Comentários