Image default
Home - O Feiticeiro de Terramar #1 – Ursula K. Le Guin
Arqueiro Fantasia Resenhas Literárias

O Feiticeiro de Terramar #1 – Ursula K. Le Guin

o-feiticeiro-de-terramar-capaO Feiticeiro de Terramar (Ciclo Terramar #1);
I.S.B.N:9788580415216;
Páginas: 176;
Autora:Ursula K. Le Guin;
Editora: Arqueiro;
Avaliação: 
Sinopse:Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários. Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.

*Livro cedido em parceria com a editora.

Não é difícil se interessar pelo livro depois de ler a sinopse dele e ver um comentário de Neil Gaiman elogiando a obra. Eu não sabia da existência de “O Feiticeiro de Terramar” até ver o lançamento pela editora Arqueiro. A história original foi publicada em 1968 e se tornou um clássico da literatura de fantasia.

Na história conhecemos Dunny. Ele se tornou órfão de mãe muito cedo e teve uma criação severa ao lado do seu pai. Até que um dia, em um acidente, ele revela e descobre seus poderes. Na verdade quem o descobre é sua tia, uma bruxa da aldeia, e o adota como aprendiz. Sempre surpreendendo, Dunny, se mostrava não só habilidoso, mas muito inteligente. Ele tinha uma facilidade incrível para aprender.

[blockquote align=”left” author=”O Feiticeiro de Terramar”]Esse foi o primeiro passo de Dunny no caminho que ele deveria seguir por toda a vida: o caminho da magia, o caminho que o conduziria finalmente a perseguir uma sombra por terra e mar até as praias sombras do reino da morte. Mas, naqueles primeiros passos, o caminho parecia uma estrada ampla e iluminada. [/blockquote] Aos poucos Dunny ficou conhecido como Gaviãodevido a sua habilidade de se comunicar com os animais. Apesar dele ter aprendido alguns feitiços com sua tia – e com os feiticeiros que passavam por sua aldeia – Gavião não fazia ideia de que sua vida mudaria completamente. Sua aldeia sofreu uma invasão e ele surpreendeu a todos, usando feitiços para salvar os habitantes. Isso o desgastou, mas sua habilidade ficou tão falada que chegou aos ouvidos de um feiticeiro importante.

E é a partir desse momento que a vida dele muda por completo.  Ele inicia o seu treinamento e enfrenta muitos inimigos e desafios até concluir o seu aprendizado. Por ter nascido com poder, isso fez com que ele se tornasse uma pessoa orgulhosa e essa vaidade fez com que ele pagasse um preço alto ao libertar um terrível mal sobre Terramar. Algo que só ele poderia enfrentar, mas não fazia ideia de como faria.

Vou parar por aqui para evitar spoilers do mal, mas como amo fantasia foi fácil entrar na história! No final do livro a autora ainda conversa com o leitor e fala sobre como foi aceitar a proposta e a sensação de escrever algo para um público que não estava acostumada. Como ela mesma disse naquela época todos as histórias de feiticeiros eram protagonizados por pessoas mais velha – como Gandalf – e criar um novo herói para o público infanto juvenil foi desafiador.

E não é que ela acertou em cheio? Ela inspirou várias outras obras como Harry Potter e Eragon (que na qual sou apaixonada). É uma leitura que vale a pena e que super recomendo.

Beijos

Leia também:

Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi -Joachim Meyerhoff

Clayci

Time Riders: O dia do predador – Alex Scarrow

Clayci

O lar da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares #1

Clayci

23 comentários

Daniele Yui 30 de dezembro de 2016 at 17:29

Caraca parace muito bom este livro, eu curto um pouco de fantasia medieval, e não sabia que esta escritora serviu de referência até para o grande Neil Gaiman. Vou dar uma procurada, meu marido que é louco por coisas assim, vou indicar pra ele. Bjo!

http://www.pandapixels.com.br

Resposta
Clayci 2 de janeiro de 2017 at 15:35

Procura sim <3

Resposta
Superman 30 de dezembro de 2016 at 12:59

Mano, esse nome Terramar não me é estranho, mas vendo que o livro é de 1968 pode ser que em algum momento eu já tenha ouvido.
Vou ver se acho aqui na Saraiva porque esse é bem o tipo de livro que eu adoro. Uma historia de fantasia medieval, é medieval né? EU não entendi errado?
Inclusive eu tenho que passar pra um amigo meu que adoro historias envolvendo bruxo e feiticeiros…
bjos LPquatroselos.blogspot.com.br

Resposta
Clayci 2 de janeiro de 2017 at 15:36

Pode ser sim que vc já tenha lido, viu Lp?!

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:24

hauiHUAhUIAhiUAHuHAiuAHuiHAuihuiHiHauHIUH

Resposta
Kézia Martins Batista 29 de dezembro de 2016 at 17:08

Meta para 2017: comprar uma camera pra tirar fotos lindas como as suas!
Eu em arrependi de não ter pedido esse livro pra ler. Acho que vou pedir no proximo
http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:19

hahahaha suas fotos já são lindos, nem precisa de uma câmera nova *_*

Resposta
Mia 29 de dezembro de 2016 at 16:14

Geeeeeeeente, eu quero muito ler esse livro! Já comecei a querer pela capa porque MELDELS QUE CAPA LINDA, mas a história parece ser incrível também! Adoro histórias de fantasia, que envolvem magia, mistérios e a tão famigerada jornada do herói. Quero!!

Resposta
Clayci 5 de janeiro de 2017 at 10:37

hahahaha o livro é lindo <3
Recomendo e muito

Resposta
Mia 29 de dezembro de 2016 at 16:13

Geeeeeeeente, eu quero muito ler esse livro! Já comecei a querer pela capa porque MELDELS QUE CAPA LINDA, mas a história parece ser incrível também! Adoro histórias de fantasia, que envolvem magia, mistérios e a tão famigerada jornada do herói. Quero!

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:21

Então eu acredito que vc vai gostar desse livro *_*

Resposta
Nana 29 de dezembro de 2016 at 15:21

Passando para desejar um maravilhoso 2017 cheio da presença de Deus, paz, amor, alegria e tudo de melhor!
Bj e fk c Deus
Nana
http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

Resposta
Clayci 5 de janeiro de 2017 at 10:37

Feliz Ano Novo, Nana!
Que 2017 seja maravilhoso para nós.

Beijos

Resposta
Thami Sgalbiero 29 de dezembro de 2016 at 14:57

Eu preciso ler mais livros de fantasia, o último que li foi Percy Jackson e foi em 2012, acredita? D: Achei interessante esse.

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:22

hahahah e percy é maravilhoso *_*

Resposta
Isabele 29 de dezembro de 2016 at 12:59

Parece ser bem divertido, hein.
Capaz que eu goste. A história me lembrou um pouco a série Merlin, já assistiu?

Eu adorei e sempre que posso, recomendo.

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:26

eu comecei a assistir a série, mas não continuei =/
hahaha mas lembro da carinha do personagem sim

Resposta
Jade Amorim 29 de dezembro de 2016 at 12:14

Não conhecia essa autora e nem essa obra, mas só de saber que foi predecessora de HP e Eragon eu já fico interessada, por que realmente deve ter sido um grande desafio para a autora vir com algo novo (e eu adoro obras iniciais em estilos não muito explorados).
Uma coisa que eu achei interessante é que o livro tem só 176 páginas. Bem pequeno até. Tem continuação?

Beijos.

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:27

E como.. E o mais legal é que ela criou um personagem negro o que na época era algo errado, né? E só descobrimos isso no meio da história, ela foi genial

Resposta
liz 29 de dezembro de 2016 at 11:44

gente, que capa LIIINDA! E Neil falando bem? ah, preciso! eu sou complicada pra comprar livro desse tipo, de mais fantasia, talvez? mas esse parece DEMAIS! ótima resenha <3

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:27

Eu amei esta capa tbm *_*

Resposta
Andressa Souza 29 de dezembro de 2016 at 11:36

Me senti tão mal por não ter me envolvido com esse livro 🙁 acho que sofro do mal das grandes expectativas, porque achei um pouco arrastado e não consegui ter empatia com o Ged. Ainda bem que esse livro existe, porque sem ele talvez não tivéssemos Harry Potter, mas a Úrsula não pareceu tão confortável escrevendo para adolescentes.

Resposta
Clayci 29 de dezembro de 2016 at 17:29

Ahhh que pena que não gostou =/
Ultimamente eu não ando me decepcionando tanto justamente por não criar expectativa nas coisas hauhauhauha

Resposta

Deixe um comentário

* Seu comentário irá para aprovação

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE