94382344O Demonologista
I.S.B.N:9788566636703
Páginas: 320
Autor: Andrew Piper
Editora:DarkSide
Sinopse:“A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe”, escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O DEMONOLOGISTA (DarkSide® Books, 2015), é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados. O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

saidaminhalente_sdml1

Sabe aquele livro que você só consegue largar depois de terminar? Então, foi assim com “O Demonologista“! Quando finalmente consegui um tempo para ler, deitei na cama e só me dei conta do horário quando minha mãe me chamou para jantar. Não é a toa que a obra ganhou o prêmio de Melhor Romance no International Thriller Writers Award em 2014.

Na história conhecemos David Ulman, um renomado professor da Universidade de Colômbia que usa a obra-prima de John Milton (Paraíso Perdido) como referência em sua especialização na figura literária do Diabo. Apesar de acreditar que o Anjo Caído é apenas um ser mitológico, Ulman é apaixonado pelo estudo de religião.

saidaminhalente_sdml

Logo nas primeira páginas percebemos que David vive um momento delicado em sua vida, ele descobre que sua esposa o traiu e que sua melhor amiga está com câncer terminal. Um dia, Ulman, recebe um convite de uma mulher estranha, para testemunhar um fenômeno sobrenatural em Veneza e apesar de ter recusado o convite logo de cara, avaliou a proposta após pensar em seu problemas atuais e decide aproveitar essa “mini férias” ao lado de sua filha Tess, mas o que ele não imaginava é que sua ida seria o início de uma jornada assustadora.

A história começa a se desenvolver depois que o professor testemunha o evento sobrenatural. David começa a viver uma sequência de eventos surreais que envolve o seu passado e a perda de sua filha.  E para resgatá-la ele terá que acreditar que o Diabo existe.

saidaminhalente_sdml2

Há coisas neste mundo que a maioria de nós nunca vê, acabo por falar. Nós nos treinamos para não vê-las, ou tentamos fingir que não vimos se elas ocorrem. Mas há uma razão para o fato de, não importa o quão sofisticadas ou primitivas, todas as religiões terem demônios. Algumas podem ter anjos, outras não. Um Deus, deuses, Jesus, profetas – a figura de autoridade máxima varia. Há muitos tipos diferentes de criadores. Mas o destruidor sempre toma, essencialmente, a mesma forma. O progresso do homem tem sido, desde o início, frustrado por provadores, mentirosos, corruptores. Criadores de pragas, loucura, desespero. A experiência demoníaca é a única verdadeiramente universal de todas as experiências religiosas do homem.

Os personagens são marcantes e você sente interesse de saber sobre (o final de) cada um. A melhor amiga de Ulman, O´Brien, está com câncer terminal e mesmo assim a achei uma personagem muito forte que permanece ao lado dele, mesmo sem saber sobre a veracidade dos acontecimentos. Eu gostei muito da linguagem de Pyper, ele escreve de uma forma que não nos deixa desgrudar do livro. E o fato do livro ter sido escrito em primeira pessoa, justifica os termos acadêmicos usado na história pelo personagem principal, que é um professor.

saidaminhalente_sdml3

saidaminhalente_sdml4

A última vez que li algo que questionasse a existência de Deus foi no livro “Os irmãos Karamazóv” do Dostoiévski. Na história o autor abordava muito a questão da fé: “Deus existe, ou não existe?” e todos os personagens em algum momento discutiram sobre sua visão religiosa. Não quero comparar obras, mas em “O Demonologista” o suspense psicológico vai depender da sensibilidade de cada um. Enquanto “Os irmãos Karamazov” abordava a inexistência do Diabo na visão de Ivan, na obra de Andrew Piper sentimos o terror na medida que Ulman vai obtendo contato com os eventos sobrenaturais que vão surgindo e confirmando a presença real do “Inominável”.

A única coisa que senti falta foi de uma explicação no final da história. Não que o final tenha estragado a obra, mas fiquei pensando em várias possibilidades quando terminei de ler e fiquei curiosa para tentar entender o desfecho. Se você espera uma história estilo “O Exorcista” sinto informar que não encontrará isto em “O Demonologista”.  Apesar de possuir algumas cenas perturbadoras você não encontrará ninguém girando a cabeça em 360º.

Alguém ai já leu?

Comentários

Comentários