Image default
Home - O ano em que te conheci – Cecelia Ahern
Novo Conceito Resenhas Literárias Romance

O ano em que te conheci – Cecelia Ahern

O_ANO_EM_QUE_TE_CONHECI_1467825815590269SK1467825815BO ano em que te conheci;
I.S.B.N: 9788581638324;
Páginas: 336;
Autora: Cecelia Ahern;
Editora: Novo Conceito;
Sinopse: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt. Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente.Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer.Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.

Ao contrário de muitos eu não conhecia a escrita da Cecelia Ahern. Sempre tive curiosidade e apesar de ter assistido (e gostado)  PS. Eu Te Amo não tinha como eu comparar a história da adaptação com a literária. O que posso dizer é que “O ano em que te conheci” foi o livro mais maduro que li este ano.

Já iniciei a história me identificando com a personagem principal. Jasmine tinha uma vida agitada, ela não se prendia a um único negócio e sempre estava investindo nas suas ideias. Aliás, ela trabalhava com a criatividade: Ela ajudava as empresas que estavam iniciando a carreira no mercado e depois vendia o que conquistou junto delas. Ela sempre se dedicou ao trabalho! É o tipo de pessoa que não possui vida social, apenas profissional.  Contudo em um belo dia ela se deu conta de que perdeu o seu emprego e teve que ficar um ano afastada do mercado de trabalho. Não sei se é porque eu precisei ficar parada por algum tempo, mas a personagem fez com que eu me identificasse com a sua “queda”.

O ano em que te conheci 1Foi com essa queda que Jasmine se deu conta de como sua vida pessoal estava abandonada. Enquanto ela estava de licençak começou a reparar na rotina de seus vizinhos, principalmente na de Matt! Eles nunca se falaram, mas Jasmine ficava espiando pela janela tudo que o rapas fazia. Matt era uma radialista popular, mas não muito querido. O programa que ele tinha era polêmico e dava voz ao povo. Jasmine o odiava! Eles não possuíam nada em comum, até ele perder o emprego.

Enquanto Jasmine narra o comportamento do seu vizinho, ela vai se lembrando do seu passado e das pessoas que ama. A narrativa é bem detalhada, porém não é cansativa.  Nós conhecemos não só a sua relação com Matt, mas também a sua irmã que é portadora de Síndrome de Down.

Achei interessante o desenvolvimento da trama, pois todos os personagens possuem histórias e objetivos diferentes. São personagens carismáticos (alguns problemáticos) e prestativos.  Foi muito bom ver cada um deles encontrando o seu caminho, sabe? Eu não tinha lido a sinopse da história antes mesmo do livro, por isso tinha imaginando uma coisa completamente diferente. Pensei que seria um romance clichê, com personagens nada cativantes.  Só que na verdade o livro fala sobre amizade e companheirismo.

O ano em que te conheci 2

O livro mostra a importância de aproveitarmos cada momento e de não nos apegarmos aos bens materiais. Na história Jasmine aproveita o tempo que está parada para dar vida ao seu jardim abandonado. Começa a se lembrar dos momentos que passava ao lado do seu avô quando criança e de como sente sua falta.

Quando disse que é o livro mais maduro que li este ano, foi porque achei a leitura profunda e poética. É o tipo de leitura que faz com que a gente pare pra pensar em nossas atitudes e reflita melhor sobre nossas escolhas.

O ano em que te conheci 3

Fiquei com medo de me decepcionar com o final, mas não darei spoilers. É uma leitura que vale a pena e que super recomendo.

Beijosbeda2016

Leia também:

Um Novo Mundo – Bibi Tatto

Clayci

Dreamville: Diário de uma viajante literária – Laura Melo

Clayci

Os Condenados – Andrew Pyper

Clayci

16 comentários

Bruna 20 de dezembro de 2016 at 01:00

Adorei a resenha deste livro. Já conhecia Cecelia pelo livro “P.S: eu te amo”… mas foi o único livro que li da autora.
Depois de sua indicação, quando for comprar um outro livro dela, será este!

wwww.brunapezzan.com

Resposta
Clayci 20 de dezembro de 2016 at 08:04

E acredita que eu nunca li o PS eu te amo? hahahahah
Fiquei surpresa quando descobri que se tratava da mesma autora.

Resposta
Caverna Literária 26 de agosto de 2016 at 21:04

Essa é a primeira resenha positiva que vejo de O ano em que te conheci. A maioria das críticas que andei lendo falava sobre o livro ser parado e a protagonista ser um pouco fria, e quando inciei a leitura também senti isso, por isso até deixei de lado, mas você me fez ter uma outra perspectiva do livro, quem sabe eu dê uma segunda chance. Ótima resenha!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Resposta
Clayci 29 de agosto de 2016 at 16:59

Sério, Carol?
Na verdade eu achei que a protagonista foi desenvolvendo com a trama. No começo ela era egoísta (muito), mas foi aprendendo a lidar com as situações. Achei isso bem legal <3

Resposta
Michele Lima 26 de agosto de 2016 at 20:32

Oi Clayci!

Eu também ainda não li nenhum livro da Cecelia Ahern, mas sempre leio elogios sobre a narrativa dele e quero conferir. Parece ser bem lírico e gostei da descrição dos personagens! Ah, amei suas fotos, são lindas, parabéns!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Resposta
Clayci 29 de agosto de 2016 at 16:57

Obrigada, Michele <3

Resposta
Ana 26 de agosto de 2016 at 13:48

Confesso que não conhecia, as fotos do post estão sensacionais, parabéns!

Resposta
Clayci 26 de agosto de 2016 at 20:12

Obrigada Ana <3

Resposta
SImone 26 de agosto de 2016 at 13:47

Estou prestes a completar 25 anos e ando numa crise, busco literatura madura para ler , pela sua resenha acredito que vou me identificar com o texto, embora o nome me encomenda muito, é tão forte e subjetivo.
Entrará na minha lista também. Agora já tem 2 pra ler de indicação do teu blog haha
Beijos

http://www.cherryacessorioseafins.com.br ?

Resposta
Clayci 26 de agosto de 2016 at 20:13

Simone, acredito que vc vai sim..
É uma leitura leve e reflexiva.
Vale a pena <3

Resposta
Camila Faria 26 de agosto de 2016 at 12:44

Achei interessante e bem humano isso de se identificar com o outro num momento em que ambos estão em situações difíceis, pra baixo… Afinal, somos todos mais parecidos uns com os outros do que imaginamos, certo? Gostei do livro Clay.

Resposta
Clayci 26 de agosto de 2016 at 20:17

Certo, Mila!!!
O livro fala muito de compaixão <3

Resposta
Lethycia Santos Dias 26 de agosto de 2016 at 09:30

Olá! Já ouvi falarem muito bem dessa escritora, e principalmente desse livro, mas nunca li nada dela porque não sou muito chegada em romances. Eu meio que “enjoei” deles há algum tempo e até hoje não consegui recuperar o gosto. Mas vendo pela sua resenha, me pareceu mesmo uma história sensível e bem articulada. Adorei as fotos que você tirou, estão maravilhosas!

Resposta
Clayci 26 de agosto de 2016 at 20:20

Eu entendo! Eu sou muito fã de distopia e ficção científica…. Mas, quis sair um pouco da rotina e adorei <3
O livro é maravilhoso..

Resposta
DAYANE 26 de agosto de 2016 at 09:09

Nossa esse livro e lindo adorei !

Resposta
Clayci 26 de agosto de 2016 at 20:12

Obrigada ^^

Resposta

Deixe um comentário

* Seu comentário irá para aprovação

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE