Vamos conversar? Ninguém é obrigado a gostar de você 13

Vamos conversar? Ninguém é obrigado a gostar de você

Alguma vez você já parou para pensar o porquê daquela pessoa não gostar de você? Já se questionou sobre os motivos e se você realmente tem alguma “parcela de culpa” por despertar esse sentimento em alguém? Eu já! E confesso que muitas das vezes me culpei e prometi para mim mesma que eu seria uma pessoa melhor. Aí você deve estar se perguntando: Eu mudei? Não! Na verdade eu nem tentei mudar e sabe por que? Porque está tudo bem alguém não gostar da gente.

Lidar com a rejeição nunca foi algo fácil (admita). Não sei você, mas na época do colégio eu não possuía um esteriótipo que atraia a atenção dos mais populares da escola. Eu estava acima do peso, era – e ainda sou – branquela e usava óculos fundo de garrafa. Ou seja, na minha cabeça quando se aproximavam de mim era por dois motivos: 1) Pedir ajuda em algum trabalho; 2) Fazer alguma piada sobre mim. Hoje pode não ser o seu pesadelo, porém na minha época quando eu escutava alguém dizendo “Não é para falar com ela...” eu nem conseguia dormir.

E o que era para melhorar com o tempo, só foi piorando. As redes sociais, por vezes, dificultam mais a vida de quem não aceita ser rejeitado, concordam? Hoje em dia você encontra até aplicativos onde mostra-se quais foram as pessoas que deixaram de te seguir. Mas qual o problema?  Está tudo bem se alguém não gostar de você, ou se ela cansou de “estar ali com você”. Não são todos que tem que olhar para a sua cara e sentir empatia.

Esse sentimento de que “preciso ser aprovado” deve sumir, em qualquer âmbito ou esfera social, seja ela nas redes, nas escolas, ambiente profissional ou nas ruas. A pessoa visualizou a sua mensagem e não te respondeu? Tudo bem. Ele não aceitou o seu convite para sair? Tudo bem. Não deu match? Está tudo certo. Só porque uma pessoa não gosta de você não te faz a pior pessoa do mundo. seja lá no que for. Na verdade se você analisar melhor, a pessoa que não gosta de você também não é uma pessoa ruim.

Não deixe que a reprovação de alguém abale o que você pensa sobre si mesmo. Você não precisa mudar seu jeito, só precisa se aceitar! Somos únicos, singulares e não saímos por aí escolhendo as pessoas que devemos gostar. Isso acontece naturalmente, como deve ser! Molde-se sempre para melhor, molde-se com coisas boas, com ações positivas e benéficas, e vá moldando-se durante toda sua vida buscando sempre uma harmonia para que a felicidade esteja sempre ao seu lado.

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

13 Comments

  1. Isso ainda é bem difícil para mim, aceitar que existem pessoas que não gostem de mim. E não porque eu ache que sou incrível e que todo mundo tenha que gostar de mim e sim por que quando isso não acontece, fico pensando que fiz algo errado, ou que sou a pior pessoa do mundo.
    Mas a verdade é que isso é normal, né? Eu também não gosto de algumas pessoas e isso não quer dizer que elas sejam pessoas ruins, só que “nosso santo não bateu”.
    Eu gostei demais do seu texto e realmente preciso melhorar isso, porque viver em função da opinião alheia é muito prejudicial 🙁

  2. Acho que a pior coisa que podemos fazer é ficar procurando o porquê de alguém não gostar da gente, quer dizer, procurar dentro da gente como se tivesse algo errado. Conforme a gente vai se aceitando sinto que também fica mais fácil aceitar os outros. Amar todo mundo é difícil, bem difícil, mas dá para evitar sentimentos ruins como raiva ou frustração.
    O que esse texto transmite merece ser lido em diferentes momentos da vida. Como um lembrete. Como um grande aprendizado.

  3. Clay, adorei seu texto e concordo com você. Somos todos únicos e por esse fato não conseguimos agradar a todos. Mas aqueles que gostam de nós são pq gostam pelo que somos. Se formos melhorar que seja por algo que nos icomode e não pq alguém falou, que seja por nós. Também já sofri por conta disso mas cheguei a conclusão que quem importa de verdade gosta e está do nosso lado pq quer e gosta de quem somos.
    Bjs

  4. OHHH, babe só li verdades <3
    Eu acho que quando a gente para de pensar o porquê que alguém não gosta de nós, tudo fica mais fácil para a gente mesmo. Afinal de contas, ninguém é obrigado a nada nessa vida, né? Vontade de abraçar você e esse post, sabia disse.

    Beijão, Clay
    Supimpa Girl

  5. Disse tudo, Clayci, muitas pessoas acham que é um absurdo o fato de eu não me importar em agradar, mas acho que isso deve ser visto como algo positivo além de negativo. Muitos confundem com arrogância ou ignorância, mas acho que cada um deve ter sua personalidade e respeitar as diferentes, mesmo que agradem ou não. Amei muito, muito e muito esse teu texto <3

  6. Que bonito, Clay! Já me peguei muito pensando essas coisas, principalmente depois de levar tantas chulapadas da vida. Pra mim, é um trabalho diário entender que tá tudo bem, sabe? Acho que mudei muito nos últimos anos nessa questão de ser mais crítica com tudo, e isso interfere total, porque as pessoas não estão preparadas pra isso. Infelizmente, foi o molde que a vida me deu, e, como você disse, nossa parte é sempre tentar ser melhor, mas dentro do que nos faz bem, do que faz parte da gente. Confesso que esse meu medo, hoje em dia, é transferido pro meu filho, a diferença é que, quando ele passar por isso, eu estarei atenta, ao lado dele, pra passar junto.

  7. O pior de tudo é a culpa… Eu também já me culpei demais quando outras pessoas não gostavam de mim. E aceitar que isso é natural e que não dá para agradar todo mundo é bastante complicado. Perdi a conta de quantas vezes tentei mudar meu jeito de ser por conta de outras pessoas. Queria de todo jeito que todo mundo gostasse de mim. Mas aí, conforme ia mudando meu jeito de ser, comecei a perceber que não havia mais um “mim” para que as outras pessoas gostassem.
    Essa ideia de que nem sempre as pessoas gostam da gente e tudo bem é algo que vivo trabalhando na minha cabeça. E um dia eu espero entender isso. Por enquanto, vou tentando não me deixar mudar e entender que o outro tem o direito de não gostar de mim, por mais que minha mente se rebele contra isso.
    Um dia eu chego lá.

    Beijos
    Mari

  8. Clayci, obrigada por esse post, sério mesmo. Tô passando por uma situação meio chata no trabalho onde uma pessoa simplesmente NÃO VAI com a minha cara e eu tenho me torturado bastante pensando O QUE DIABOS eu fiz pra esse sujeito não gostar de mim. A gente esquece que geralmente essas pessoas nem nos conhecem direito, né? E gente, imagina que exaustante ter que agradar TODO MUNDO o TEMPO TODO?

    Eu sempre tive uma teoria na minha cabeça que, conhecendo bem, todo mundo é legal. E que às vezes não ir com a cara de alguém fala mais sobre nós mesmos do que sobre a pessoa de quem dizemos não gostar.

    Bêj :*

  9. Ahhh verdades da vida. Eu sempre achei que tinha que ser a mais legal pra tds gostarem de mim. E também me preocupava. entendo muito seu lado e hoje também tento deixar isso de lado pra não ficar doida. Nem Jesus agradou a todos né verdade? =D

  10. Clay, você e seus textos surpreendentes. Vendo suas fotos, a energia que passa nas redes sociais e aqui no blog, jamais imaginaria que passasse pelo mesmo que eu. Sofri o famoso ‘bullying’ desde sempre, simplesmente por não me encaixar nos rígidos critérios de qualidades estabelecidos por pessoas tão imperfeitas quanto eu. Até mesmo na faculdade, onde ‘tudo seriam flores’, ora falta respeito e as pessoas não sabem se aceitar simplesmente como são. É preciso ser isso ou aquilo. Não saber me aceitar e lidar com essa situação, me trouxe uma perda na minha personalidade, uma insegurança constante e um “impasse” na minha criatividade. Isso reflete completamente na minha vida pessoal e no blog, que não consigo tocar direito por não me enturmar e me sentir sozinha. Complicado, não? Mas seu texto foi ótimo, me trouxe esperança para buscar me aceitar mais e entender que ninguém tem que ser perfeito pra ninguém… (desculpa o textão! ?)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE