Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

SOBRE A HISTÓRIA

Em Mitologia Nórdica, Gaiman nos traz os mitos em sua forma mais simples de ser contada: aberta em discurso direto de narrativa, mas oras, o que isso significa? Significa que ele tenta reproduzir a maneira antiga de se contar os grandes feitos dos deuses e suas vidas em Asgard e em meio aos reinos que existem ao redor de Yggdrasil, a árvore sagrada colossal.

 

“Os grandes mitos escandinavos recontados em um arco que vai do início dos tempos até o apocalipse mítico do Ragnarök. Neil Gaiman empresta suas palavras aos contos, mas se mantém fiel à mais tradicional leitura mitológica nórdica, que guarda em verso e em prosa as lendas de Odin, o mais poderoso dos deus, sábio, audacioso e sagaz; de Thor, seu filho, o mais forte, porém o menos inteligente dos deuses; e de Loki, filho de gigantes, irmão de Odin por juramento, trapaceiro e extraordinário manipulador. Em quinze histórias fascinantes, Gaiman nos apresenta deuses competitivos que tram e são traídos e cujas emoções ditam grande parte de suas ações – traços marcantes de uma mitologia que ganha neste livro um novo e precioso registro.”

MINHA OPINIÃO SOBRE MITOLOGIA NÓRDICA

Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

De fato o autor consegue realizar o que se propõe. Ele poderia ter “arrumado” e “ajustado” algumas coisas ou ainda omitido de modo a certos pontos das narrativas fazerem um pouco mais de sentido, porém isto seria humanizar e “cientificar” contos onde deuses são os personagens principais ao lado de gigantes e seres incríveis. Porém não o fez, tanto que conforme fui lendo, em diversos momentos você se pega numa situação que não consegue conceber.

Algumas das situações relatadas lhe fazem pensar: “Mas isso não faz sentido!” Ainda mais se você tiver uma cabeça e mente centrados. Sendo assim o ideal é deixar-se maravilhar pela história, deixar-se levar nas palavras e grandeza das ações, sem procurar por razões e explicações.

São 15 contos que de certa maneira se encaixam cronologicamente se assim podemos dizer, levando-o do começo ao fim de um período de eras e eras atrás. Você pode lê-los individualmente, mas sugiro seguir a ordem, principalmente se for a primeira leitura que fará do livro.

Não se apegue a questionar as incongruências apenas sinta a emoção do momento e tente imaginar a cena e recriar os detalhes que a compões, uma vez que as narrativas não são tão detalhadas. É uma ótima leitura para deixar a mente solta e viajar em Asgard.

E aí, que tal uma aventura pelos mitos nórdicos?

Abraços!

Comentários

Comentários