Mais do que isso – Patrick Ness 2

Mais do que isso;
ISBN: 9788581637013;
Paginas: 430;
Autor: Patrick Ness;
Editora: Novo Conceito;
Avaliação: 
Sinopse: Um garoto se afoga, desesperado e sozinho em seus momentos finais. E morre. Então ele acorda. Nu, ferido e com muita sede, mas vivo. Como pode ser? Que lugar é este, tão estranho e deserto? Enquanto se esforça para compreender a lógica de seu pior pesadelo, o garoto ousa ter esperança. Poderia isto não ser o fim? Poderia haver mais desta vida, ou quem sabe da outra vida?

*Livro cedido em parceria com a editora

Você já se perguntou se existe “mais do que isso“? Quando tudo parecia não ter mais jeito? Quando você sentiu que já estava no limite? Em Mais do que isso nós começamos a história pelo fim! Seth é um adolescente que está passando por vários problemas e como não enxergava mais solução, decidiu se matar.

E começa com ele se afogando! Ele está no oceano sentindo o frio das ondas e sente quando sua cabeça bate em uma rocha. Ele morre. Acorda nu e cansado, mas vivo! Porém, ele também percebe que acordou na casa em que viveu quando era criança, antes da tragédia que atingiu e afastou a sua família. Antes dele se mudar para a América. Ele está sozinho em uma cidade vazia; Um lugar todo coberto de poeira. E o que é pior do que estar sozinho? Conviver com suas lembranças e sonhar com cada uma delas toda vez que cair no sono. Seth sonha com a sua família e suas diferenças, com o garoto que ele ama. Sonhos bons e sonhos ruins, contudo às vezes os sonhos bons são mais torturantes que os ruins. Ele se pergunta diversas vezes se aquilo onde estava seria o inferno. E ele também quer saber se há mais do que isso.

E aqui está a pessoa que escreve. Ela está olhando para a tela do computador sem saber como fará a sua crítica. Ela tenta pensar em uma forma de não soltar spoilers, mas vai tentar.

O livro está divido em quatro partes e começamos perdidos igual ao personagem. Na primeira parte veremos Seth acordar em um “mundo” novo. Ele está sozinho e não se recorda de nada! Preciso dizer que a narrativa do autor foi tão perfeita que me senti mal com o personagem tentando reconhecer o local e lembrar do seu próprio nome.

Na segunda e terceira parte o autor brinca com o leitor e nós ficamos tentando descobrir o que diabos está acontecendo. Onde Seth foi parar e porque ele sonha com suas lembranças mais tristes? E ficamos ainda mais curiosos quando descobrimos a presença de mais dois personagens (Regine e Thomaz) neste mundo vazio. Será que eles eram reais? Eles realmente estavam mortos? Ou vivos?

E na quarta (e última) parte lidamos com o lado científico da história e começamos a questionar sobre tudo que achávamos que sabíamos. Eu não consigo ir mais além, porque não quero estragar a sua experiência de leitura (e quero de verdade que você leia este livro), todavia a mensagem passada nas últimas páginas foram tão esperançosas que foge de tudo o que eu já havia lido.

No livro encontramos questões que precisam ser discutidas sempre. Seth é um adolescente que se culpa por uma tragédia que aconteceu com seu irmão mais novo quando criança. E acredita que seus pais fazem o mesmo! O jovem não possui um bom relacionamento com eles, porém entende a distância e a atenção integral que dão ao seu irmão. Além de sofrer essa carência afetiva, Seth, se apaixona por seu amigo Gudmund e eles vivem um relacionamento que foi interrompido por conta do preconceito. Quando ele decidiu dar um fim e se matar, acreditou que estaria se libertando. E temos mais dois personagens que também passaram por traumas antes de morrerem e eles também tentam superar os problemas nesse “novo” mundo.

Se antes eu já estava curiosa para conhecer mais obras do autor, agora estou convencida! Eu me senti presa em todas as páginas e como possui capítulos curtos, ficava no “só mais um capítulo” e, quando me dei conta, já estava no fim da história. E o mais interessante é que o livro faz com que o leitor tenha o próprio final baseado na sua crença.

Super recomendo!

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

2 Comments

  1. Desde que eu vi esse livro eu quis, sem nem ao menos saber do que se tratava!
    Sim, minha experiência com Sete minutos depois da meia-noite foi tão incrível que eu me apaixonei pelo autor e quero ler tudinho dele
    Essas histórias de “mundos alternativos” sempre me instigam, aliás li um recentemente, Matéria escura, embora os dois sejam bem diferentes em alguns aspectos.
    Interessante isso do final ser “escolhido” pelo leitor de acordo com o que ele acredita. Acho que nunca li nada assim.
    Quero demais ler ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE