O que mais chama a minha atenção em um Space Opera é o cenário exótico utilizado na produção da obra. Esse sub-gênero enfatiza viagens interestelares e batalhas espaciais, além de uma aventura romântica. Em “The Exapnse” temos tudo isto mesclado em drama e conflitos políticos.

Preciso confessar que iniciei a série sem entender nada do que estava acontecendo. Logo nos primeiros episódios somos apresentados a várias informações/contextualizações  e isso faz com que a gente se sinta perdido junto com os personagens. Para ser mais exata, foi no sétimo episódio que eu comecei a entender e a juntar os fios soltos e foi no nono que tive a explicação de tudo.

A história se passa há 200 anos no futuro, quando o ser humano solidifica a colonização do sistema solar. Então nós temos parte da galáxia colonizada e vemos o cinturão de asteroides com humanos. The Expanse mostra como seremos afetados futuramente pelos nossos avanços tecnológicos. Atualmente existe um conflito político em Marte, o planeta se tornou um grande centro populacional e milhares de pessoas vivem da extração de minérios no cinturão localizados não só em Marte, mas também em Júpiter.

As pessoas que vivem da extração são conhecidas como belters e eles vivem em péssimas condições e na escassez de recursos como ar e água. Isso faz com que a eles vivam uma momento de guerra! A ONU controla todo o poder político e militar aqui na Terra. E os Belters estão brigando e lutando para conseguir sair das sombras do nosso planeta.

A Netflix disponibilizou 10 episódios nessa primeira temporada e vi que teremos a segunda em breve (se não me engano, na segunda temporada teremos 13 episódios). O que temos são temos três histórias acontecendo ao mesmo tempo. Temos a história dos tripulantes da nave Canterbury, que sofreram – até então – um ataque terrorista; um policial/detetive investigando o desaparecimento de uma mulher chamada Julie Mao (filha de um cara poderoso aqui na Terra) e uma mulher que trabalha nas Nações Unidas interessada em evitar o conflito entre a Terra e Marte.

Como eu disse no início da publicação, são várias histórias acontecendo ao mesmo tempo e por isso não sabemos em quem devemos confiar e chamar de “mocinho”. Não temos nenhuma informação sobre o passado dos personagens e então vamos conhecendo e descobrindo mais sobre cada um deles no decorrer dos episódios. Eu só não desisti de assistir a série, porque fiquei curiosa para saber a ligação de Marte com toda essa briga.

E também porque o meu crush é um dos personagens principais. Thomas Maravilhoso Jane faz o papel de Joe Miller. Um órfão nascido e criado na Estação Ceres no Cinturão de Asteróides e é o detetive que estuda o desaparecimento de Julie Mao, filha de um dos caras mais poderosos aqui na Terra, mas que nunca concordou com as atitudes do pai e sumiu após descobrir algo que poderia abalar o poder.

 

Se interessaram? Super recomendo a série!

Comentários

Comentários