Crítica: Os Defensores (1ª temporada)

Uma das séries mais aguardadas do ano finalmente foi liberada pela Netflix no dia 18 de agosto. Os Defensores já inicia cheio de ação e mistério e é claro que antes de irmos para as lutas e o encontro entre quatro personagens vamos conhecer (na verdade relembrar) suas histórias individuais – ao menos onde elas pararam. Nada de pontas soltas, mesmo para quem está chegando só agora.

Se você ainda não assistiu a série preciso dizer que posso soltar alguns spoilers, mas nada que atrapalhe a sua experiência, ok?

Crítica: Os Defensores (1ª temporada)

Reprodução: Sarah Shatz / Netflix

Apesar de iniciarmos a trama com Danny Rand (Finn Jones) e Collee Wing (Jessica Henwick) lutando e correndo atrás do Tentáculo, a história só começa mesmo quando eles chegam em Nova York. A formidável (desculpa gente, mas essa mulher é maravilhosa) Alexandra (Sigourney Weave) descobre que está morrendo, logo, planos serão alterados e a ação não demora a acontecer perante a possibilidade de Nova York ser totalmente destruída. Dessa forma, os 4 defensores serão então reunidos para deter a ameaça iminente.

Crítica: Os Defensores (1ª temporada)Crítica: Os Defensores (1ª temporada)

A série possui 8 episódios e acredito que era possível resumir tudo em 4, porém foi incrível ver a interação entre os quatros personagens. Está certo que eles mais discutiam do que lutavam quando estavam todos juntos, contudo ver eles interagindo (seja em grupo ou em dupla) tornou o ambiente mais “cômico” mesmo sem exagerar nessa dose de humor.

Apesar deles morarem na mesma cidade, possuem vidas completamente diferentes. E durante a história nós enxergamos a dificuldade de cada um para descobrir onde se encaixam. Para ser sincera, dos quatros, Matt Murdock era o único que estava tentando seguir em frente com sua vida, deixando o Demolidor de lado para assumir apenas o seu papel de advogado. Todavia ele deixa essa tentativa de lado quando descobre que… bom, vocês já devem imaginar. E quem já assistiu consegue compreender seus motivos.

Por outro lado, temos o Luke que acabou de sair da prisão (apesar da ajuda do Foggy, ficou claro que ele só saiu porque precisavam dele) e está tentando seguir em frente ao lado de Claire Temple que o esperou pacientemente. Jessica Jones continua bebendo como sempre, mas depois de Killgrave, ela decidiu optar pelo anonimato e dar uma pausa nas suas investigações (até aparecer um cliente ligado ao Tentáculo). E por fim, temos o Danny que carrega a culpa em cima das costas e só quer concluir sua missão com êxito. Mas o fato é que todos estão em busca de algo estável.

Crítica: Os Defensores (1ª temporada)Crítica: Os Defensores (1ª temporada)

[blockquote align=”none” author=”The Defenders”]You don’t get second chances with these people, all right? If you’re not careful, the next thing you know you’re dead.[/blockquote]

Sei que Punho de Ferro não teve boas críticas e ainda não finalizei a temporada (pretendo terminar), mas fiquei satisfeita porque não vi tanta necessidade de assisti-la antes de Os Defensores. É claro que seria o correto para sacar algumas referências, porém o roteiro ajudou bastante nos momentos em que alguns fatos precisavam ser relembrados.

Crítica: Os Defensores (1ª temporada)Agora vamos à parte que me interessa, a fotografia da série está impecável! Achei incrível o esquema de cores e as sombras atribuídas para cada protagonista. Tiveram a preocupação de destacar cada personagem em seu mundo individual. Porém o que era para ser algo sutil, acabou sendo exagerado. Há várias cenas em que as cores aparecem no quadro quando querem destacá-los e fica evidente a referência aos tons de seus uniformes clássicos. Como mostrei na imagem acima, usaram a cor ouro para as cenas com o Luke Cage, um verde limão para o Punho de Ferro, um tom de violeta/azul para a Jessica Jones e claro o vermelho para o maravilhoso Demolidor.

Também achei as cenas de ação bem executadas e outra coisa que chamou a minha atenção foram algumas transições de cenas, por exemplo, há um corte em que o Luke está levantando a touca do seu casaco e passa para outra cena em que a Jessica está abaixando o dela em outro ambiente, por um instante foi como se entreolhasse as páginas de uma revista em quadrinhos. Gostei muito das coreografias, das edições e das montagens. Só que devo admitir que o excesso de corte nas cenas de lutas pode fazê-lo se sentir perdido de momento.

Resumindo, Os Defensores foi uma série que gostei de assistir e fiquei empolgada por uma continuação. Mais ainda por uma história com Punho de Ferro e Luke Cage. Adorei o atrito entre os dois no início e a forma que começaram a se aproximar. Recomendo fortemente!

Comentários

Comentários