É melhor não olhar essa publicação, pois ela não terá um final feliz! Eu imagino a dificuldade que os produtores tiveram para criar Desventuras em Série, pois não é uma tarefa fácil adaptar a histórias dos livros de Lemony Snicket com todo o humor negro da obra. E olha que já tivemos uma adaptação cinematográfica em 2014. com o ator Jim Carrey interpretando o Conde Olaf, porém teve sua personalidade alterada (digamos assim). Até que a Netflix surpreendeu os fãs criando uma adaptação condizente com a série literária. E sabe qual é o melhor? Temos o próprio autor atuando como roteirista.

Eu não li todos os livros de Desventuras em Série e até tentei ler antes de encarar a primeira temporada, porém a ansiedade falou mais alto e me joguei nos oitos episódios liberados pela Netflix. Para a minha sorte, nessa primeira temporada foram adaptados os quatro primeiros livros de Daniel Handler. Então ainda terei tempo de ler os demais antes da outra temporada chegar.

Mas se você não leu nenhum dos livros não tem nenhum problema, pois a série é tão bem narrada que se torna até algo dispensável. Em Desventuras em Série nós acompanhamos os irmãos Baudelaire (Violet, Klaus e Sunny) que se tornaram órfãos após um misterioso e terrível incêndio que causou a destruição da mansão em que viviam e a morte de seus pais. E por conta dessa tragédia eles foram colocados aos cuidados do Conde Olaf, pelo Sr. Poe (o responsável pelo testamento da família).

Acontece que Olaf está interessado na fortuna deixada pelos pais das crianças e por isso bolou um plano para se tornar tutor e ficar com elas até a Violet – irmã mais velha – completar a maioridade. E é aí que começa as desventuras em série, pois em cada episódio teremos uma personalidade diferente do conde.

Claro que não darei muitos detalhes para evitar os spoilers do mal, mas devo dizer que a forma que a série é narrada faz com que a gente sinta interesse em assistir e conhecer o desfecho da história. Cada livro é divido em duas partes, então dessa forma conseguimos apreciar tudo com calma e sem pressa. E também devo dizer que a fotografia está maravilhosa! Foi criado um ambiente sombrio e misterioso e o mais legal é que cada personagem secundário vive em um ambiente semelhante a sua personalidade. Se você observar todos os detalhes poderá lembrar de alguns trabalhos do Tim Burton, por exemplo, pois a direção de arte deixou claro – ao assistir os episódios – que se inspirou no Expressionismo Alemão. Não sei se vocês já assistiram o Gabinete do Dr. Caligari, mas vi muitas referências que me lembraram o filme. E foi deixando o ambiente assim que ficou muito mais fácil de desenvolver os acontecimentos absurdos que acontecem na história.

Eu gostei muito da série e achei que a ideia de fazer episódios casados foi genial, porém isso pode se tornar algo cansativo e desnecessário em algumas histórias. E preciso dizer que gostei de 3 personagens na série: o destaque – sem dúvida alguma – é o Conde Olaf interpretado pelo maravilhoso Neil Patrick Harris, todavia a presença física do narrador tornou a série bem mais interessante (mesmo com ele pedindo para você parar de assistir toda hora). E não posso esquecer da pequena Sunny! Que bebê mais fofa! Eu fiquei apaixonada, mesmo ela não fazendo absolutamente nada.

Eu poderia passar o dia elogiando a série, mas vou segurar a minha língua! Desventuras em série conta uma história que vale a pena ser lida e assistida.

 

Já assistiu? O que achou?

Comentários

Comentários