Os Invasores é o segundo livro da série Brotherband do autor John Flanagan. Ele foi publicado pela editora Fundamento e já fiz a resenha do primeiro livro (Os exilados) aqui no blog. É uma série recomendada para os fãs de Rangers Ordem dos Arqueiros e também para quem curte aventura e ação.

SOBRE A HISTÓRIA

Na história anterior vimos a dificuldade de Hal (e o resto dos integrantes do Garça Real) em concluir a formação dos Brotherband. Após o Andomal ser roubado, eles tiveram que sair em mar aberto em busca desse item tão importante. Mas para enfrentar Zavac (o grande vilão da trama), o skirl Hal terá que usar a sua inteligência e criatividade para ganhar tempo – afinal eles são inexperientes e não fazem ideia de como irão resgatar o que foi roubado.

Nessa aventura eles contarão com a ajuda de Thorn., que será o responsável por continuar o treinamento da tripulação. Mesmo formados, eles precisam conhecer novas técnicas para saber lidar com o desconhecido. E apesar dos membros continuarem imaturos nesse volume, é possível ver mais sintonia na hora de trabalharem em equipe. Porém admito que são as brigas e as discussões entre eles que torna a leitura mais leve e divertida.

No inicio da trama o skirl fica mais ausente, pois está inventando uma estratégia para lidar com o inimigo, e será Thorn que ganhará mais destaque ao ter que lidar com o resto da tripulação. Também teremos a inclusão de uma personagem nova (que me lembrou muito a Cassandra de Rangers). Lydia é uma guerreira destemida e chama atenção logo de cara. Ela irá embarcar nessa aventura ao lado de Hal e seus amigos.

“É corrigindo os erros e aprendendo a lidar com eles que se vê o verdadeiro valor do indivíduo”.

Brotherband: Os Invasores- John Flanagan

MINHA OPINIÃO

Não tem muito o que falar sobre a história, pois como se trata de uma série, qualquer informação pode se tornar um spoiler do mal. No entanto, posso dizer que foi uma leitura que me agradou bastante. No primeiro volume eu fiquei um pouco perdida por causa dos termos de navegação (mesmo com um glossário disponível logo no início do livro), mas nesse eu já consegui me sentir mais a vontade e nem precisei ficar consultando o significado de algumas palavras.

Eu cheguei a comentar na resenha anterior sobre a velocidade dos fatos. Se você leu Rangers deve ter percebido que há poucas cenas de ação na série e logo no primeiro livro de Brotherband conseguimos sentir essa diferença. Pois bem, o rítmo continua nesse volume. Sem falar que há ótimas cenas de batalhas, o que faz com que a história flua naturalmente. Só achei injusto (e bem Flanagan) não concluir o gancho e me deixar ansiosa pela continuação.

Cada vez mais eu admiro a inteligência de Hal. Mais do que isso, o seu talento de liderar a tripulação sem precisar de muito esforço. Não quero desmerecer o resto dos membros (até porque cada um tem a sua qualidade), porém Hal é tão carismático que rouba toda a cena. Thorn também teve seu momento de destaque e foi muito bom vê-lo ganhar um novo sentido de vida. Ele é como um pai para os garotos – principalmente Hal.

Brotherband: Os Invasores- John Flanagan

Não vejo a hora de iniciar a leitura do terceiro livro. Você não precisa ler Rangers para se jogar nessa história, viu? Criei uma playlist inspirada na trama, quem sabe não consigo fazer você entrar no clima e iniciar essa aventura?