A menina que não acredita em milagres – Wendy Wunder 9 35

A menina que não acredita em milagres;
ISBN:9788581638157;
Páginas: 327;
Autora: Wendy Wunder;
Editora: Novo Conceito;
Avaliação: 
Sinopse: Campbell tem 17 anos.
Ela não acredita em Deus. Muito menos em milagres. Cam sabe que tem pouco tempo de vida, por isso quer viver intensamente e fazer tudo o que nunca fez, no tempo que lhe resta. Mas a mãe de Cam não aceita o fato de perder a filha, assim, ela a convence a fazer uma viagem com ela e a irmã para Promise um lugar conhecido por seus acontecimentos miraculosos. Em Promise, Cam se depara com eventos inacreditáveis, e, também, com o primeiro amor. Lá encontra, finalmente, o que estava procurando mesmo sem saber. Será que ela mudará de ideia em relação à probabilidade de milagres? A Menina que não Acredita em Milagres vai fazer você rir, chorar e repensar sua conduta de vida.

*Livro cedido em parceria com a editora.

Sabe aquele leitura pesada que te faz refletir melhor sobre a vida? Quando li a sinopse de “A menina que não acredita em milagres” me identifiquei muito com a personagem. Eu já passei pelo câncer, mas ao contrário da personagem eu não sabia o que estava acontecendo e por isso eu não tinha ideia sobre em que me apegar para acreditar na cura. Campbell já sabia como iria morrer desde os 10 anos de idade quando perdeu o seu pai. E é por causa dessa perda –e da relação que a sua mãe tinha com ele – que é fácil compreender o porquê da Cam não acreditar em milagres, Deus, amor e em qualquer outra coisa.

Hoje com 17 anos ela recebeu o diagnóstico final do seu médico. Ele disse que não havia mais nada que poderia ser feito e que Cam dependeria de um milagre para conseguir sobreviver, pois a ciência já tinha feito de tudo para reverter a situação e tentar acabar com aquela maldita doença. Mas mesmo Cam aceitando esse fato com naturalidade, sua família não aceitou! Sua mãe quis buscar métodos alternativos (depois de já ter tentado vários) e por isso decidiu se mudar para Promise que fica no interior do Mine. Promise é conhecida como a cidade dos milagres e é lá que a mãe – e a irmã de Cam – pretendem buscar a cura.

Campbell é uma personagem forte e inteligente, mas muito egoísta. Eu entendo sua motivação e é fácil compreender sua vulnerabilidade, porém ela faz as coisas achando que está afetando única e exclusivamente ela e não se dá conta que sua família sofre junto. Por isso logo nas primeiras páginas eu não consegui admirar a personagem, todavia peguei birra com ela. Claro que ela muda esse comportamento quando vai para Promise, pois uma série de acontecimentos inesperados acontecem, mas ver ela melhorando seu humor e conhecendo novas pessoas ajudou-me conviver melhor com a personagem.

É importante dizer que em nenhum momento o livro fala sobre religião, apesar de ter vários personagens com as suas crenças. O livro aborda sobre a fé e de como a vida responde de forma positiva quando acreditamos e confiamos nela. Então em “A menina que não acredita em milagres” podemos sentir como a solidão faz mal e entender como é importante  ser grato pelo dia de hoje.

Apesar da sinopse já entregar o final da história, vale a pena acompanhar a trajetória da Cam e conhecer as pessoas que fazem parte da sua vida. Ela tem uma amiga que sofre da mesma doença e que decidiu viver sem se preocupar com o amanhã e ela faz novos amigos na cidade de Promise, além de ter contato com uma pessoa que comprovou que o amor existe.

Gostei muito da leitura e da mensagem passada na história, por isso recomendo.

Beijos

Comentários

Comentários

Existe uma frase que consegue me descrever perfeitamente bem: “Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então“ (Alice no País das Maravilhas). Sou uma taurina que gosta de mudanças, estranho né?! Sempre gostei de fazer parte do que não conheço e nunca tive medo de arriscar naquilo que acredito. Sou Whovian, Sherlockian, Slytherin e Nintendista. Apaixonada por fotografia, livros, roedores, toys e miniaturas.

9 Comments

  1. Oi, Clayci!
    Tudo bem?
    Que bacana a sua resenha; deu a sua avaliação e não entregou tudo sobre o livro. Parabéns!!!
    A capa desse livro é muito bonita 🙂
    Neste ano consegui parcerias com duas editoras, então acho que vou levar mais deste tipo de conteúdo pro blog.
    Sucesso com a sua página. Tudo muito caprichado por aqui.

  2. Essa história me lembrou bastante de O Livro de Memórias. Acho que esse tipo de leitura sempre nos traz um aprendizado, principalmente por nós que já passamos por uma situação de saúde complicada.
    Acho que livros que nos fazem entender um pouco mais sobre a fragilidade da vida e nos lembra da importância de agradecer pelo hoje são sempre bem vindos.
    Adorei a dica !
    Beijo!
    Colorindo Nuvens

  3. Não sabia que você já tinha passado pelo câncer, Clay! Mas que bom que já passou né? Tem certos livros ou filmes que nos afetam assim né? Porque a gente começa a ver situações semelhantes. Recentemente vi o um filme que mexeu muito comigo, porque me vi muito na personagem, quando ela perdeu o pai ela ficou desolada e tal. Eu, graças a Deus não perdi meu pai, mas perdi meu avô que era meu segundo pai, então meio que me posicionei totalmente na pele da personagem. Enfim, quero ler esse livro. É bom estar na solidão vez ou outra, mas a solidão faz mal mesmo 🙁 não nascemos pra ficar sozinhos, nascemos para nos relacionar, nos comunicar com outras pessoas e assim vai né? Pra levar a vida. Gostei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE