Image default
Home - A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma – Douglas Adams
Arqueiro Ficção Científica Resenhas Literárias

A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma – Douglas Adams

LONGA_E_SOMBRIA_HORA_DO_CHA_DA_1465561122590538SK1465561122BA Longa e Sombria Hora do Chá da Alma;
I.S.B.N:
9788580415599;
Páginas: 224;
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
Sinopse:  Kate Schechter devia ter prestado atenção aos avisos que o universo tentava lhe dar. No aeroporto de Heathrow, prestes a embarcar para a Noruega, a americana pensa em todos os sinais que lhe diziam para não fazer aquela viagem. Ainda assim, ela não está nem um pouco preparada para a explosão do balcão de check-in, que destrói parte do terminal. Enquanto isso, no norte de Londres, o detetive Dirk Gently está no fundo do poço: sem dinheiro, vive de bicos como quiromante numa tendinha. Refletindo sobre seu fracasso, ele lembra de repente que, na verdade, tem um cliente e está absurdamente atrasado para o encontro aquela manhã. Porém, o investigador chega tarde demais. Sentindo-se culpado pela sina do homem, ele resolve mais uma vez fazer uso da interconexão de todas as coisas e vê uma ligação do seu caso com os estranhos eventos no aeroporto. Abrindo caminho em meio aos elementos mais absurdos, Dirk se depara com uma máquina de refrigerante que aparece nos lugares mais improváveis, uma águia hostil que insiste em atacá-lo, um hospital sinistro para casos exóticos

Quando recebi o livro A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma, logo imaginei que mundo fantástico criado por Douglas Adams estaria à minha frente dessa vez, ainda mais depois de ter lido a coletânea presente em O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias, porém dessa vez o autor me fez mergulhar com os pés um pouco mais no chão, levando-me aos problemas cotidianos de um detetive particular carregado de problemas medíocres da vida real, chamado Dirk Gently; que por sua vez tem seu caminho entrelaçado com o de Kate Schechter, uma mulher comum com uma vida comum em Londres e com saudades das pizzas de Nova York.

De início parece que tudo irá transcorrer de forma lenta e pacata, com parágrafos ricos em detalhes, como não poderia deixar de ser, vindo de Adams. Para quem está acostumado isso passará normalmente e cada cenário e momento poderão ser recriados em sua mente com facilidade e perfeição, porém se não está, só peço que aguarde pelos capítulos subsequentes, com uma intensificação da história e dos fatos, onde a monotonia da vida corriqueira não terá vez.

A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma 1

Gostaria de não dar muitos detalhes em si da história, afinal ela me deixou com a pulga atrás da orelha por diversas vezes, tentando saber até onde ela era “real” ou coisas da cabeça de alguém, algum devaneio de Gently ou até mesmo de Schechter, ou até mesmo uma mistura de mundos fantásticos e seres divinos com o mundo real; pois situações que causam mistério enquanto nenhuma explicação plausível surge, a exemplo da explosão que ocorre no terminal do aeroporto sem motivo aparente, ou do “suicidassassinato” que recai no colo do nosso não tão sagaz detetive, ou também de uma águia que teima em fazer voos rasantes nas pessoas; e quem sabe até pelo fato de pessoas que se dizem com poderes ou se intitulam divinas, mas que pelo está escrito mais parecem devaneios de uma mente perturbada.

Eu poderia dizer que demorou muito para as coisas ficarem sim interessantes nesse livro, mas ao final dele devo mudar minha opinião e assumir que o autor soube dar o tom certo, talvez querendo demonstrar que coisas incríveis podem surgir diante da sua vida, por mais que ela pareça monótona ou chata; não que seres fantásticos, assassinatos misteriosos ou um detetive particular irá bater à sua porta amanhã, mas sim que a possibilidade de coisas diferentes e interessantes existe e vêm até você quando menos se espera.

A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma 2A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma 3

Ainda devo dizer que este livro se trata de uma segunda história da série que tem como foco Dirk Gently; e como não li o primeiro livro não sei dizer até que ponto ele teria alguma importância para compreender a personagem ou a história em si, mas não senti que fez uma falta relevante para tal. Agora fiquei curiosa para saber como foram os primeiros casos de Gently.

E aí o que acham? Gostariam de conhecer Dirk Gently e Kate Schechter nessa aventura?

PS: Esta resenha foi publica às 12 h 10 min, pois, segundo Dirk Gently, ninguém comete assassinatos antes do meio-dia.

beda2016

Leia também:

Pokémon Go: De Treinador a mestre – Emanuel Hallef

Diego Lorenzo

O Fundo é Apenas o Começo – Neal Shusterman

Clayci

No meio do caminho tinha um amor

Clayci

19 comentários

Clayci 13 de setembro de 2016 at 14:10

Eu nem falo nada para não enfraquecer a amizade

Resposta
Dai Castro 25 de agosto de 2016 at 12:50

Parece uma história que mistura bem a realidade do cotidiano com algo imcompreensível, e isso deve deixar muitas dúvidas até a resolução do mistério, né? Ainda não li nada do autor, mas tenho bastante curiosidade 😀 Beijos!

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:24

O Douglas é maravilhoso e eu tenho certeza que vc vai gostar da escrita dele <3

Resposta
Fer 24 de agosto de 2016 at 21:29

Oiiiee, tudo bem?

Adorei a resenha! Eu amo ler… e confesso que ainda não li nada desse autor, apesar de conhecê-lo pelo Guia dos Mochileiros… Fiquei com muita vontade por ser suspense e por ter Londres como cenário, rs.
Anotadíssimo!! 😀

Beijinhooos!

http://www.apenasumdia.com.br

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:35

Sim!!! Tem o clima Londrino na história o que torna tudo melhor hahahahha

Beijos

Resposta
Luly 24 de agosto de 2016 at 20:41

Eu nunca li Douglas Adams mas 01) morro de vontade e 02) fiquei MUITO tentada a começar por essa série porque simplesmente amo romances policiais, detetives particulares inteligentes, acompanhar os crimes enquanto a vida do cara vai acontecendo. Fiquei muito curiosa pra conhecer o Gently!

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:37

Luly, fora que tem um clima Londrino maravilhoso hahahahahha
LEIAAAAAA

Resposta
AMANDA ALMEIDA 24 de agosto de 2016 at 16:09

Oii,
Ainda não li nada do autor, mas tenho a coleção inteira do O Guia do Mochileiro Das Galáxias no kindle, e está na fila de leitura.
abraços,
Amanda Almeida

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:38

Ahhhh dá uma chance pra ele <3
Acredito que vc vai gostar do universo doido dele rs

Beijos

Resposta
Camila Faria 24 de agosto de 2016 at 16:03

Oi Clay, eu costumo gostar de histórias que retratam o cotidiano, a mediocridade dos dias, etc. Me preocupa mais a inserção do fantástico do que os toques de realismo, para falar a verdade. Mas gostei da sua conclusão sobre a história, fiquei curiosa para entrar nesse universo curioso.

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:39

Ai Mila.. Eu sou suspeita porque eu amo o mundo fantástico hahaha
Quem leu e resenhou foi o Di, mas como já conheço a escrita do autor, já sei o que me espera rs

Beijos

Resposta
Emerson 24 de agosto de 2016 at 13:14

Fiquei com medo de ler esse livro, apesar de gostar muito de suspense.
Mas gostei da referência no final.
Beijos e bom restante de semana!

Jovem Jornalista
Fanpage
Instagram

Resposta
Clayci 25 de agosto de 2016 at 21:39

HAHAHAHAHHA
Não fique <3
Leia simmmmmm

Beijos

Resposta
Duds 24 de agosto de 2016 at 10:45

Ainda não li nada do Douglas Adams (nem o próprio Mochileiro) mas a curiosidade só aumenta. Gosto desses livros que deixam confusão em partes 😀

Resposta
Clayci 24 de agosto de 2016 at 11:49

Duds, super recomendo!
Dê uma chance para o autor assim que tiver oportunidade <3

Beijo

Resposta
Claudia Hi 24 de agosto de 2016 at 10:44

Adorei a resenha desse livro! Tem Londres, tem detetives, suspense e tudo isso sempre me lembra Ágatha Christie que eu adoro! Fiquei super interessada em ler. Vou anotar na minha wishlist!

Ps. adorei o ps do post! haha

Resposta
Clayci 24 de agosto de 2016 at 11:52

Tem tudo isso, Claudia!
Ou seja, tudo indica que é bom hahaha <3 London;;

Beijos

Resposta
Marcela Barbosa 24 de agosto de 2016 at 09:44

Não conhecia esse livro do Douglas Adams e admito que deu vontade de sair e comprar um exemplar agora. Impossível não notar aquela caneca linda com a marca do blog <3

Resposta
Clayci 24 de agosto de 2016 at 11:55

Ahhh fico feliz que tenha gostado da caneca e em breve trago ela pra cá *_*

E assim que tiver oportunidade leia a história <3
Beijos

Resposta

Deixe um comentário

* Seu comentário irá para aprovação

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE